Esquerdas diferentes, juntos por denominadores comuns

Nós, os infalíveis.

Há muitos cidadãos convictamente de esquerda neste nosso país. Muitos deles batem-se, e estão dispostos a continuar a bater-se, por aquilo em que acreditam. Mas entre eles é demasiado grande o número daqueles que, aceitando bater-se por aquilo em que acreditam, são incapazes de juntar as suas forças àqueles outros que, pensando quase como eles, têm contudo algumas diferenças.

E quando as iniciativas falham ou as lutas se perdem, por falta de apoios ou de massa crítica, ainda menos são aqueles que assumem uma parte da culpa ou uma parte do erro. A maioria tende a continuar firme na sua verdade e implacável contra o que separa os outros dessa verdade.

 

Esta atitude não é a fonte de todos os males, mas é seguramente, uma atmosfera malsã que agrava as crispações inter-partidárias e intra-partidárias, inter-regionais e intra-regionais, inter-geracionais e intra-geracionais, fazendo com que pareça uma miragem distante a hipótese de um dia o povo de esquerda, os seus partidos, os seus activistas, os seus expoentes intelectuais, se possam encontrar numa luta concreta por uma causa comum que leve verdadeiramente o país para um outro tempo.

 

É como se cada um de nós visse o correr da vida, principalmente, não como o palco de afirmação de uma esperança colectiva, mas como a oportunidade para que cada um de nós consiga demonstrar como os outros caminhantes da mesma jornada estão errados; como nós e só nós, temos toda a razão. Se a evolução das organizações que conformam a esquerda e as vontades convergentes dos cidadãos que se identificam como fazendo parte do seu povo, não forem capazes de abrir as portas a uma outra atitude, todas as tempestades futuras são de recear.

E nem sequer podemos descartar a hipótese de vermos a nossa direita conseguir vingar, sem estrondo mas com muita ronha, o 25 de Abril de 1974, que ainda hoje verdadeiramente não digeriu por completo.

- por RN, em O grande zoo, 11.04.2010


MARCADORES: ,

Publicado por Xa2 às 00:07 de 18.04.10 | link do post | comentar |

1 comentário:
De Zé das Esquinas o Lisboeta a 18 de Abril de 2010 às 11:07
"Há muitos cidadãos convictamente de esquerda neste nosso país."

Não sei não. Os que conheço estão a ficar velhos e cansados de 'tudo' isto. São desencantos, desilusões e descrença no futuro.

"Mas entre eles é demasiado grande o número daqueles que, aceitando bater-se por aquilo em que acreditam, são incapazes de juntar as suas forças àqueles outros que, pensando quase como eles, têm contudo algumas diferenças."

O sistema está feito para dificultar o aparecimento e a solidificação de poderes paralelos ou que venham a por em causa os poderes instituídos.
E depois, tem-se verificado que quando pequenas franjas de intelectuais ou vozes discordantes começam a ter notoriedade, são convidadas a integrar o sistema e logo logo se apagam.

Ou como diria o meu pai: O problema está quando o proletariado atinge o poder porque deixa de ser proletariado. Ou torna-se nos outros... poder.



Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO