4 comentários:
De Liz a 1 de Março de 2017 às 05:31
maravilha!


De Reverter a Eucaliptização, medidas: a 9 de Novembro de 2016 às 14:07
Eucaliptugal

(-por Vital Moreira , 1/11/2016, https://causa-nossa.blogspot.pt/2016/11/eucaliptugal.html )

O Governo anunciou o propósito de "travar a expansão" do eucalipto e de revogar a chamada "lei da liberalização".
É pouco!
Primeiro, em vez de "travar a expansão" - que significa somente reduzir a velocidade da eucaliptização - deveria propor-se parar novas plantações e reduzir as existentes.
Segundo, a reversão da área do eucalipto deveria incluir pelo menos as seguintes medidas:

- afastar o eucalipto da proximidade das linhas de água, de modo a permitir o desenvolvimento de bosques de espécies características desses habitats;
- remover os eucaliptos de encostas de pendor mais acentuado, de modo a reduzir a erosão dos solos pelas chuvas;
- acabar com as extensas áreas de monocultura do eucalipto, imponto a obrigação de bandas intercalares de outras espécies florestais, a fim de dificultar a transmissão dos fogos florestais e de preservar a diversidade biológica;
- interditar em absoluto o eucalipto em áreas de aptidão agrícola, em regadios e em parques naturais;
- aplicar uma taxa à plantação de eucaliptos, como contrapartida dos danos ambientais e outras "externalidades negativas" provocadas pela eucaliptização.

Decididamente, a força do lóbi da celulose é enorme e a vontade política de o enfrentar é frágil. Portugal parece estar mesmo condenado, sem remissão, a tornar-se um imenso Eucaliptugal.

Adenda
Fico curioso, à espera da posição dos nossos vários pseudo-partidos verdes, quando for do debate deste dossiê legislativo na AR...


De País a SAQUE ...é PORCALIPTAL. a 4 de Junho de 2015 às 09:33
---- invests na desgraça ambiental. a 22 de Maio de 2015

O modelo de desenvolvimento económico do “por cima de toda a folha”, caduca ou persistente

( por josé simões, 19/5/2015, http://derterrorist.blogs.sapo.pt/)

De uma coisa ninguém pode acusar o CDS, que é a de não ter um modelo de "desenvolvimento" económico para o país.
Ou quando Pires 'soldado disciplinado' de Lima, pelo S. Martinho de 2013, anunciou no Parlamento investimentos na ordem dos 150 milhões de euros, 120 milhões pela Portucel e 26 milhões pela AMS Goma Camps,
pensavam que os castanheiros iam ficar en su sitio, a dar castanhas para acompanhar a água-pé, e
que os eucaliptos vinham por mar, importados em porões de navios, ou que,
pelo contrário, se iria liberalizar a plantação do eucalipto e assistir à eucaliptização do país, do Minho ao Algarve?

O ambiente, a biodiversidade e o ordenamento do território têm de ficar para depois
que a prioridade é fomentar a desertificação do terrirtório e
desertificação humana e
aumentar a mais-valia aos accionistas é tirar o país da crise e criar emprego.
Os incêndios ficam por conta do Orçamento do Estado que
por sua vez fica por conta do bolso do contribuinte.

Adenda:
Há dados relativos ao emprego criado pelo investimento de 150 milhões de euros por parte das empresas de celulose?
Há dados sobre qual a percentagem da riqueza criada por esse investimento de 150 milhões de euros
que foi aplicada novamente na economia ?
e sobre qual a percentagem que foi distribuída pelos accionistas?


---- Desgoverno lobby e eucaliptização

----- Quando o lobby não é lobby mas Governo
(-josé simões, 25/1/2014, derTerrorist )

-- As chamas vão continuar a consumir hectares de floresta; o combate às chamas vai continuar a sair do bolso dos contribuintes, para gáudio dis combatentes privados e luto dos combatentes públicos;
-- o combate à desertificação do território, num futuro próximo, também vai sair do bolso do suspeito do costume – o contribuinte;
-- as vidas humanas e a miséria do dia seguinte ficam a cargo dos mesmos de sempre – os que já pagam o combate às chamas e vão pagar a guerra contra a desertificação do território;
-- a biodiversidade fica por conta dos contribuintes das gerações futuras [onde é que eu já ouvi isto?];
-- as televisões vão ganhar shares de audiência, assim que mudarmos para a hora de Verão, com directos do local do crime e bate-papos da treta com especialistas da tanga;
-- o lucro, esse, já se sabe para quem fica, porque o crime compensa e está consagrado em papel de Lei e tudo.
É toda uma indústria à roda do património natural,
comum a milhões para benefício de algumas dezenas.

«Eucaliptos dominam pedidos ao abrigo da nova lei de arborização»

Adenda:
A ministra do CDS já tinha avisado o que o ministro do CDS posteriormente confirmou.
Neste momento o verdadeiro lobby é fazer pressão sobre o Governo do lobby.

---- Nem autarcas, nem cidadãos se mexem !!

realidade... nada mais há a dizer... só perguntar:

ONDE ANDAM OS VEREADORES...
OS PRESIDENTES DAS JUNTAS DE FREGUESIA...
OS PRESIDENTES DAS CÂMARAS,
os Deputados deste país ??!! ??

----Ana Paula Fitas
... é caso para perguntar, ... sem dúvida alguma! Onde estão (a maioria d)os 'políticos' eleitos, dos dirigentes partidários, e os cidadãos activos na defesa do interesse público ?!

------ brites :

Este PAÍS está SEQUESTRADO por INTERESSES espúrios,
e parece que ninguém está disposto a mexer-se contra eles,
como se fosse uma fatalidade inscrita no adn das nossas necessidades !

O futuro é coisa impalpavel sem gente dentro,
para esta cambada toda que se remete ao silêncio e passividade.

----- contra o Eucaliptal e lóbi celulose/...

---Portucaliptal
por Vital Moreira , 26/1/2014, CausaNossa

Não temos um partido verde nem uma consciência política ambiental.
Se tivéssemos, o DESASTRE ECOLÓGICO que é a contínua EUCALIPTIZAÇÂO do país, sem paralelo em nenhum outro país europeu, não continuaria, com o solícito apoio de todos os governos.

Ao contrário do que corre como verdade convencional, o principal lóbi do País
não é a BANCA
mas sim a indústria da CELULOSE (e as Export!!, à qual vamos sacrificando a paisagem e a diversidade florestal, assim como os AQUÍFEROS do país, para além de combustível fácil para os INCÊNDIOS ..


De Portucaliptal destrói floresta diversi.. a 14 de Outubro de 2014 às 14:24
Portucaliptal

(-por Vital Moreira , 14/10/2014, CausaNossa)

«Eucalipto ganha terreno à floresta autóctone na Serra da Lousã».
E assim sucederá em todas as serras e não-serras deste país! Este Governo deu mais um bónus à indústria de celulose facilitando a plantação de eucaliptos. As espécies florestais tradicionais vão desaparecendo vítimas da voracidade predatória do eucalipto.
Parafraseando Xico Buarque, esta país está em vias de cumprir o ideal da indústria de celulose, que é transformar Portugal num imenso eucaliptal.


Comentar post