9 comentários:
De Opus Dei a 24 de Julho de 2009 às 16:37
Sondagem: Costa ganha a Santana

António Costa ganha quase por dez por pontos percentuais a Santana Lopes, segundo a sondagem revelada pela "TVI".

Se as eleições fossem hoje António Costa ganharia a câmara de Lisboa por 46,4 por cento, enquanto Santana Lopes ficaria pelos 37,8%.

Já Luis Fazenda do Bloco de Esquerda ultrapassa Ruben de Carvalho da CDU nas intenções de voto, uma tangente de 8 por cento para o Bloco e 7,8 para a coligação PCP/Verdes.

Esta sondagem da Intercampus para a TVI teve lugar entre os dias 17 e 21 deste mês, foram entrevistados apenas cidadãos residentes em Lisboa.

O intervalo de confiança é de 95 por cento, o erro de amostragem de cerca de 3,85 por cento.


De Calvário a 24 de Julho de 2009 às 16:28
Hierarquia da Igreja demarca-se de padres que elogiam Santana Lopes

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa afirmou hoje que "não compete a nenhum sacerdote fazer campanha eleitoral ou propaganda", depois de padres lisboetas terem elogiado trabalhos feitos por Santana Lopes e criticado o actual presidente no boletim paroquial.

As próximas eleições autárquicas em Lisboa são o tema em destaque no Boletim das Paróquias da Baixa-Chiado, num texto em que o padre Armando Duarte elogia o trabalho executado por Santana Lopes no seu mandato na autarquia lisboeta e critica o actual presidente, António Costa.

Contactado pela Lusa, o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Morujão explicou que "fazer campanha eleitoral e propaganda não compete a nenhum sacerdote", o qual tem "o dever de apenas esclarecer os fiéis contra critérios e não opiniões de voto".


De PadresChupistas a 24 de Julho de 2009 às 16:12
Normalmente os padres são, "Ordenados". estes são "Ordinários"

Pelo que se pode elidir das próprias palavras, em entrevista aos jornalistas, estes padres são daqueles que enviam o corpo ao purgatório e vendem a alma ao diabo.

Mas sempre manobram algumas beatas de sacristia, que já não são muitas pois, para mal de Lisboa, é precisamente a baixa que anda às moscas mesmo de (in)fieis.

Não é de acreditar que isso ponha em causa a vitória, quase assegurada, de António Costa.


De Gil Duarte a 24 de Julho de 2009 às 15:43
Isto não são padres,são uns tipos sem vergonha que desde que a Camara lhe trate do quintal deles estão pouco preocupados com o que acontece com o resto da Cidade. Pessoas que se dizem cultas,cuja cultura é o seu próprio interesse e nada mais.


De Marco Oliveira a 24 de Julho de 2009 às 15:41
Em Lisboa, António Costa não favoreceu nenhuma religião, mas também não as ignorou. Disponibilizou o cinema Roma para a realização de uma conferência inter-religiosa e apoiou a criação do monumento ao massacre dos judeus junto à Igreja de S. Domingos (em cuja cerimónia de ianuguração este também o Cardeal Patriarca).



De Henrique Coutinho a 24 de Julho de 2009 às 15:39
João Seabra é uma espécie de Lili Caneças de batina, padre do Jet-Set que numa vivência palaciana nem se apercebe que existem pobres. Cheira a caça ao subsídio esta subtil pedincha destes párocos talvez famélicos de que o Poder volte a dar abébias à Igreja como nos maus velhos tempos do Salazar de braço dado com o amigalhaço Cerejeira. É um sintoma da época: sacar do Estado o mais que puderem.



De M Tavora a 24 de Julho de 2009 às 17:03
Comentários IMBECIS! Todos, sem excepção.
A Igreja tem os seus princípios e quem quer viver nela vive, quem não quer, não vive, daí que qualquer posição que tome deva ser julgada apenas por quem é católico. A diferença, é que ao contrário do que sucede nos partidos que feliz ou infelizmente nos governam, não há disciplina de voto!
A Igreja não tem de ser imparcial, tem de ser parcial, no sentido que tem de defender aquilo em que acredita, não lhe cabendo a obrigação do silêncio! Bem pelo contrário, deve dizer claramente quem apoia ou não!
Se os Padres em questão viessem dizer que eram contra um qualquer ditador no Mundo, ou a favor do aborto, etc, etc - qualquer causa dita fracturante ou bloquista... então já estava tudo bem!
A Igreja ajuda os pobres no Mundo inteiro e está em muitos lugares onde mais ninguém está, sem qualquer interesse nisso! Aliás, se dependesse de subsídios do Estado, já não existia com toda a certeza.
Acho muito bem que os Padres digam quem apoiam em todas as eleições e devem apoiar quem se identifica com a Igreja! Tal nada tem a ver com a separação entre Estado e Igreja!
Se dissessem que estão a favor do PS ou do BE isso sim seria notícia e pela negativa!


De Simplesmente Católico a 24 de Julho de 2009 às 18:41
M. Tavora só no final do seu comentário é que se CONFESSA: também apoia o “menino guerreiro.

M. Tavora é dos tais: quem não pensa como ele são uns IMBECIS!

M. Tavora não desconhece que sem fiéis não há Igreja…nem padres.

M. Tavora só pode falar por ele. Muitos e muitos católicos, em que me incluo e que não lhe passaram qualquer procuração, não concordam com esta posição dos padres da Baixa-Chiado nem se revêem no escrito/comentário por ele produzido.

Há inúmeros católicos que pensam pela sua cabeça e expressam a sua própria opinião. M. Tavora limita-se a fazer eco.

M. Tavora deve ler e meditar nas palavras do porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa.

Concordo com o parágrafo final do autor do post que transcrevo: “A Igreja Católica Apostólica Romana passa a vida a pedir desculpas e a corrigir “erros” do passado… Muito estranho, para uma instituição que se diz em ligação directa com Deus…”. Termino aconselhando M Tavora, neste período estival, leituras sobre a SANTA INQUISIÇÃO.

Muitos homens que representam Deus na terra é que estragam a Igreja e provocam a debandada de fiéis.


De marianatavora@sapo.pt a 27 de Julho de 2009 às 10:14
Eu não apoio, nem deixo de apoiar ninguém! O meu comentário nada tinha que ver com o "menino guerreiro", simplesmente entendo que uma pessoa, seja ou não seja Padre, é livre de expressar as suas opinões, cabendo a cada um de nós valorizá-la como bem quizer.
O que me irrita e bem, é cada vez que alguém da Igreja expresse uma opinião, seja de imediato linchado na praça pública, abrindo-se de imediato uma série de discussões sem pés nem cabeça, que acabam normalmente com um pedido de desculpas, o que me IRRITA ainda mais!
É uma pena termos de ouvir e respeitar as opiniões de 50000 poliíticos, comentadores etc, sem qualquer inteligência por vezes, e não termos a liberdade de poder ouvir mentes brilhantes, como as dos Senhores Padres em questão, sem virem logo a correr
mandá-los calar! Apetece dizer, metam-se na Vossa vida....


Comentar post