3 comentários:
De Um País de hipóteses perdidas a 19 de Agosto de 2009 às 13:00
Hipóteses há muitas. Em política as hipóteses quer de governação como de desgoverno são tantas que nem têm conta.

Eu aponto aqui, agora uma quanta hipótese que, alias não é nenhuma novidade de, a governação à moda do queijo limiano. Lembram-se?

É claro que a mais acertada seria a de entendimento à esquerda. Seria interessante tanto o bloco como o PC esfriarem amenamente os seus ímpetos demagógicos aumentando os seus comportamentos de responsabilidade e o PS a tornar-se mais coerente no governo com as seus compromissos e declarações quando se encontra na oposição ou em tempos de campanhas. Uns e outros teriam de ceder em coisas consideráveis, mas o pais e os portugueses sairiam beneficiados.


De DD a 19 de Agosto de 2009 às 21:04
Não chega a ser uma verdadeira formação política, um partido que recuse participar num governo de coligação na base de um programa detalhadamente estudado que não será a imposição de um partido sobre o outro, mas sim um acordo em que dois ou três partidos prescindem de parte dos seus programas para realizarem um bom trabalho de governação sem se traírem mutuamente.
Em quase toda a Europa há governos de coligação e em Portugal pode dizer-se que nenhum deputado eleito é leproso, pelo que todos se podem entender sobre um governo.
O essencial é estudar previamente o programa com todos os detalhes de modo a evitar surpresas e mal-entendidos futuros.
Hoje, a questão mais à esquerda ou mais à direita na prática não é tão importante porque as margens de manobra governativas são restritas.
Uma coisa é reivindicar o que qualquer grupo quer, outra coisa é dar a todos o que exigem e acham que tem direito. Dar a todos é impossível..


De Militantância do equilibrio a 20 de Agosto de 2009 às 09:15
Dar a todos não será impossível , se a todos for dado o que seja justo numa sociedade que se queira equilibrada em dignidade e justiça, tanto económica como social.

Não chega para todos se continuarmos a cultivar uma sociedade de pedintes e reivindicadores sem o mínimo de respeito pelo Estado e este não respeitando os contribuintes .

É necessário acabar com vícios e maus hábitos de exigir e dar apenas direitos e nenhumas obrigações nem responsabilidades. Veja-se o que se passa dentro dos bairros de realojamentos (Programas Especiais de Realojamentos-PER´s).


Comentar post