2 comentários:
De Anónimo a 13 de Setembro de 2009 às 12:32
"!As grandes empresas portuguesas como a Portucel/Soporcel, EDP, Galp, PT, etc. têm lucros porque são bem dirigidas"

Afinal não são só alguns muçulmanos que são fundamentalistas: há também "socialistas??" ainda mais fundamentalistas.

Para um não fundamentalista aquelas empresas estariam de rastos se não tivessem aqueles dirigentes. Há que promover a sua canonização.


De DD a 13 de Setembro de 2009 às 21:25
Não se trata de fundamentalismos, mas sim de contabilidade de que só conheço os números que surgem nos jornais.

O aspecto fundamental de algumas grandes empresas como PT, EDP, Galp, Soporcel/Portucel foi a política de investimentos e expansão. Com a entrada em breve da maior máquina de papel do Mundo na Mitrena a Soporcel/Portucel fazem de Portugal o maior fabricante e exportador de papel fino do Mundo.

Mas, também é verdade que os sindicatos, comunistas e outros têm um respeito reverente às empresas privadas enquanto malham a torto e a direito no Metro, na Soflusa dos Cacilheiros, na CP e agora na TAP os trablhadores mais bem pagos no país querem uma greve para aumentos de ordenado quando a empresa está em situação crítica e a inflação até está abaixo de zero.

Nenhuma escola privada fez greve e o Nogueira nem fez referência ao facto e parece que nada exige dos privados em que os professores são avaliados pelos patrões da escola e assim ficam ou vão para a rua ao fim de cada ano pois estão quase todas a trabalhar à hora, mas não precisam de ser avaliados porque se esforçam.

Por acaso estou a escrever num portátil que adquiri ontem a um preço inferior em 250 euros ao de há umas semanas atrás. Um programa Office que custava há dias 99 euros foi-me vendido a 69 euros na Worten e o famoso software Flip7 de português e outras línguas já me foi oferecido a 48 euros quando comprei há anos uma das primeiras versões a mais de 100 euros..

Na empresa em que trabalho estamos a vender quase tudo a uns 30% abaixo dos preços praticados no mesmo mês do ano passado e são produtos para a agricultura como sementes, pesticidas, herbicidas, etc.

Nas economias de mercado, quando faltam os clientes, os preços descem e nas lojas Dia, os pobres como eu e outros muito mais pobres compram alimentos básicos a preços incrivelmente baixos. Já fiz uma contabilidade alimentar e verifiquei que posso comer uma refeição um 1,50 euros com base nas salsichas ou enchidos do Dia e uma batatinha e uma fruta. E faz-me muito bem porque sou contra a obesidade, a minha, entenda-se.



Comentar post