23 comentários:
De Militante a 13 de Outubro de 2009 às 12:38
Efectivamente, quem ganhou em Lisboa foi o Antonio Costa e toda a sua estratégia.

Como ele próprio afirmou, na noite eleitoral “os que não quiseram Unir Lisboa foram derrotados”.

É facto que por via da sua influência e credibilidade os eleitores tiveram de optar entre quem é sério e “empresta” dignidade ao município e uma gestão de descalabro e escandalosa optaram, muito naturalmente, pela estabilidade e evolução segura na construção de uma capital de futuro.

Nas assembleias de freguesia onde o PS não ganhou (como foi o caso da Ameixoeira, Lumiar, e outras) foi por manifesta má estratégia das respectivas secções locais, que escolheram candidatos de pouca credibilidade e, o desastre teria sido mais do que realmente foi, em muitos dos casos perdidos.
A questão de fundo é a seguinte: será que os militantes destas Secções de Residência estarão disponíveis e têm vontade de assumir a exigência de uma análise séria e aprofundada destas “vitorias” envergonhadas ou derrotas inexplicadas?

A cada um caberá responder. Apenas ficar pela lamúria e má-língua é curto, se não mesmo, muito hipócrita.

A ver vamos!


De Nova Legislatura, novo Governo, ... a 13 de Outubro de 2009 às 10:00
Presidente da República indigitou José Sócrates como primeiro-ministro
por Marco Dinis Santos, com Lusa, Publicado em 12 de Outubro de 2009, i on line

José Sócrates foi hoje oficialmente indigitado como primeiro-ministro pelo Presidente da República Cavaco Silva, numa reunião que ainda está a decorrer no palácio de Belém.
O secretário-geral do PS está em Belém depois de o chefe de Estado depois de um encontro informal na semana passada.
“Ouvidos os partidos representados na Assembleia da República e tendo em conta os resultados das eleições legislativas de 27 de Setembro, o Presidente da República indigitou hoje o Secretário-Geral do Partido Socialista, Eng.º José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, para o cargo de Primeiro-Ministro”, lê-se numa nota distribuída aos jornalistas e divulgada no ‘site’ da Presidência da República.

A nota foi divulgada enquanto o Presidente da República e agora primeiro-ministro indigitado estão reunidos no Palácio de Belém.

José Sócrates chegou ao Palácio de Belém cerca das 11:00 e à saída do encontro referiu que vai ouvir esta semana os partidos para dar início ao processo de constituição do Governo para “quatro anos”, manifestando-se disponível para dialogar sem “reserva mental” e “preconceitos".

“Vou reunir esta semana com os partidos políticos, com todos os partidos políticos, com vista a apurar da disponibilidade dos partidos para darem um contributo para a governabilidade e para a resolução dos problemas do país”, salientou.

Recorde-se que, após ser nomeado pelo Presidente da República, o primeiro-ministro tem dez dias para formar o seu executivo e submeter o programa do Governo "à apreciação da Assembleia da República", conforme é estabelecido no número 1 do artigo 192.º da Constituição.

Segundo o número 3 do mesmo artigo, "o debate não pode exceder três dias e até ao seu encerramento pode qualquer grupo parlamentar propor a rejeição do programa ou o Governo solicitar a aprovação de um voto de confiança".

Ou seja, o programa do Governo dispensa votação e, ainda de acordo com a Constituição, a sua rejeição "exige maioria absoluta dos Deputados em efectividade de funções".

Já em relação aos prazos do Parlamento, a Constituição determina que a Assembleia da República, "por direito próprio", se reúne no terceiro dia posterior à publicação do mapa dos deputados em Diário da República.

Assim, e visto que os resultados foram divulgados hoje, a Assembleia da República deverá reunir-se na quinta-feira.



De Zé T. a 13 de Outubro de 2009 às 10:01

Acabada a 'festa eleitoral' ... vamos a pagar as contas !!

- Quimonda: centenas despedidos !
- Águas de Portugal: privatizar até 2013 !
- Função Pública: ''está gastar demais...''
- Impostos: ''revisão profunda ...''
- Orçamento: ...
- ...

Estejam atentos...


De futuros líderes do PS e do PSD ? a 12 de Outubro de 2009 às 16:21

"Se (António) Costa tem ainda um compasso de espera até avançar para a liderança do PS,
Rui Rio deverá debater-se nos próximos dias com esta grande dúvida:
a quantos mais líderes fracos sobreviverá o PSD como grande partido e alternativa de Governo?"

Octávio Ribeiro, "Correio da Manhã", 12-10-2009


De vitórias e derrotas a 12 de Outubro de 2009 às 14:42
E as candidaturas PS nos municípios da Grande Lisboa ?:

Lisboa - António Costa + Unir Lx teve uma grande vitória
Amadora, Odivelas e Loures - PS manteve as câmaras

Sintra - Ana Gomes não conseguiu vencer Seara
Oeiras - M. Perestrello não conseguiu vencer Isaltino
Almada - Paulo Pedroso não conseguiu vencer
Palmela - Fonseca Ferreira não conseguiu vencer

... outras - as expectativas não se frustraram ...


De Xa2 a 12 de Outubro de 2009 às 10:38
Lisboa.2009 - Assembleia municipal:
PS: 23 + 22 presidentes de junta
PSD/CDS/...: 23 + 26
CDU: 10 + 5
BE: 0 + 0

Assembleias de Freguesia
Ameixoeira:
PSD/...: 35,22%; PS 34,32%; CDU 21,40%; BE 5,39%
Charneca:
PS 34,34%; PSD/...28,09%; CDU 23,37%; BE 10,81%
Lumiar:
PSD/... 44,75%; PS 35, 74%; CDU 8,38%; BE 6,02%; MMS 1,12%


De Zé das Esquinas o Lisboeta a 12 de Outubro de 2009 às 10:51
Porque será que, por exemplo, os eleitores do Lumiar votaram para a Câmara Municipal e para a Assembleia Municipal no PS e para a Junta de Freguesia na coligação do PSD?
Então o que não funcionou? A empatia com o candidato? A comunicação não funcionou?
Que conclusões a tirar desta disparidade na orientação do voto?
Ou não há nada a reflectir?


De DD a 12 de Outubro de 2009 às 16:02
A resposta contradiz tudo o que é dito sobre partidos políticos, tachos, eleições, etc.
Os eleitores votaram com inteligência naquilo que acharam que é melhor e em quem mais acreditam e, talvez, em quem é mais conhecido, o que é típico das democracias..
A democracia é isto.
O PS obteve a nível nacional 2.083.833 eleitores; o conjunto total do PSD, CDS e coligações entre os dois e outros partidos obteve um total de 1.774.773,5
eleitores.
O PS sozinho bateu toda a direita e não ficou muito longe da totalidade de todos os partidos e grupos de cidadãos.
O PS não teve de esconder o seu programa eleitoral como fez o Bloco de Esquerda que o apagou da Net e na sede na Rua da Palma deixou de o vender.
Apenas ficaram alguns exemplares nalgumas livrarias.
Os defensores da esquerda dura e pura e inimiga do "capitalismo tóxico" como escereveram no seu programa, os bloquistas, esconderam o seu programa.
Nas eleições para o Parlamento Europeu mostraram o seu nepotismo ao candidatarem o cabeça de lista seguido da amante.
Cuidado pois com críticas sobre tachos e coisas do género porque não os há aos milhões e os pequenitos também nada recusam às suas amantes e familiares.


De militante a 12 de Outubro de 2009 às 10:52
E agora PS -FAUL, PS -Lisboa e PS-secções ?
- para quem são os ''louros'' ?
- e para quem é o '' pez e as penas'' ?
- vamos assumir responsabilidades e escolhas ?
- ou todos nos congratulamos e não há qualquer análise séria (aos resultados, recursos, procedimentos, propostas, ... i.e. - como vai ser o futuro próximo)?


De Tristeza a 12 de Outubro de 2009 às 12:45
Eram quase 22H00 de ontem. Nessa altura, com praticamente todos as mesas já com os resultados eleitorais expostos no átrio da Escola Secundária - onde decorreram as eleições - era inevitável a confirmação da vitória do PSD. Cá fora, junto ao portão da Escola, verifiquei com muita tristeza que o candidato do PS à Junta de Freguesia, Rogério Santos, estava quase completamente sozinho. Da sua lista, composta também por alguns "notáveis", ninguém estava com ele... Que é feito da solidariedade e da camaradagem ? Assim vai o PS do Lumiar ...


De Zé das Esquinas o Lisboeta a 12 de Outubro de 2009 às 13:44
"Diz-me com quem quem andas, dir-te-ei quem és"
Quem escolheu a sua lista?
Poerque aceitou?
Que fez dos antigos camaradas de percurso que eram solidários com ele?
Porque não lhe pergunta?


De anónimo a 12 de Outubro de 2009 às 15:15
- Quem irá representar e defender o PS nas Assembleias de Freguesia do Lumiar e da Ameixoeira ?

- Será que as desistências (ausências ou incumprimento) serão em cadeia ?

- E os/as ilustres camaradas ''de peso'' voltarão a pôr os pés na Secção ou apenas vão reaparecer quando se aproximarem novas eleições ?

Talvez prefiram continuar a frequentar ou aproximar-se dos corredores do poder ... aquando das festas, ou aparecimento dos líderes importantes ...
sem se preocuparem com as minudências do trabalho na Secção, da leitura e preparação de dossiers das autarquias, da militância contínua, ...


De Tempo de 'roda-cadeiras' caça ao 'tacho' a 12 de Outubro de 2009 às 15:31
- O quê ?!! Análises, responsabilidades e custos e perdas ?!
Estão doidos... foram só vitórias, somos os maiores, ... parabéns pá, ...
e agora onde é que se pode arranjar um lugar para ...?
olha que eu ... mobilizei, fiz isto e aquilo, ... tens de me arranjar ...

Agora o importante é ''aprofundar as reformas'', ''fazer avançar o partido'', renovar os serviços municipais, ... reestruturar as empresas municipais, ...


De seguidismo e voto útil vs +conscientes a 13 de Outubro de 2009 às 10:32

O voto (triplo) no município e nas freguesias de Lisboa foi diferenciado (com totais diferentes assinaláveis), mostrando transferências de votos e não seguidismo acéfalo.
Parabéns cidadãos de Lisboa.

Uma curta análise, genérica, e visto pelo lado da freguesia revela que:
. PS teve mais votos no município (câmara e assembleia) do que na freguesia, pois eleitores não tiveram dúvida em votar para dar uma maioria a A.Costa no município (voto útil, tal acontecendo com todos os quadrantes políticos);

. mas para as freguesias, os eleitores expressaram-se de modo diferente:
votaram nas pessoas/ listas que lhes pareceram mais aptas, fossem elas do PS, da CDU, do PSD/CDS, ...
- libertaram-se (um pouco) de seguidismos partidários e de apelos a voto útil.


De Freg. Lumiar, Lx a 13 de Outubro de 2009 às 11:02
Votações no Lumiar ( -Aut.09; - Leg.09; - Eur.09; - Aut.05) :

PS: 6783 (; 7399 ; 3521 ; 4670 )
PSD+CDS: 8494 (; 9834; 6263; 8445)
CDU: 1590 (; 1307; 1106; 1860)
BE: 1142 (; 1976; 1906; 1411)

35.585 residentes (censos 2001);
30.068 (CNE 2005)
628 Hectares de área
Mandatos na Assemb.Freg. cessante: 9 PSD; 6 PS; 2 PCP+PEV; 1 BE; 1CDS.


De Zé T. a 12 de Outubro de 2009 às 09:44
Parabéns a todos (quase todos) os vencedores e eleitos nestas eleições - a maioria dos eleitores assim o quis.

Agora espera-se muito dos eleitos, espera-se o cumprimento das suas ''promessas'' ... e muito mais.

Uma coisa parece cada vez mais claro na cabeça de muitos cidadãos:
esta foi a última vez que votaram como carneiros em ''pastores'' iluminados...

daqui para a frente...

esqueçam o ''voto útil'', esqueçam apelos a votos de ''confiança'' a ''cartas em branco'', esqueçam a ''clubite'' e a máquina partidária, esqueçam o ''marketing e os fazedores/ destruidores'' de imagem e personalidades, esqueçam as ''tricas'' para esconder e mostrar podridões ... com que se alimentam jornalismos e blogues da treta a mando d' alguém ...

daqui para a frente, os portugueses serão cada vez mais eles próprios, assumidos, e ... ou lhes compram/ pagam o voto muito bem pago, ou então ... não há mais ''fretes'' para ninguém !

E depois dos inúmeros exemplos de ''primeiros/ cabeças de lista'' que são tudo e mais alguma coisa ... já ninguém vai aceitar ser ''terceiro na lista'' quanto mais dar o nome para lugares substitutos ou não elegíveis !

Daqui para a frente, em política, só se aceita : TRANSPARÊNCIA, experiência PROVADA, colaboração entre IGUAIS.

Fim.
...................................................
De Zé das Esquinas o Lisboeta a 8.10.2009:
Parte de um texto publicado na edição do Expresso de 3 de Outubro de 2009 por Miguel Sousa Tavares:

"O meu travesseiro sabe as memórias infelizes que eu guardo das passagens de Pedro Santana Lopes pela Câmara de Lisboa. Mas a verdade é que o oiço propor várias coisas que me parecem tão evidentes quanto necessárias e simples: repor o trânsito normal na zona do Cais do Sodré/Terreiro do Paço; manter o aeroporto da Portela em Lisboa; impedir a terceira travessia rodoviária do Tejo; não aceitar a expansão do terminal de contentores de Alcântara. Não oiço nada disto à candidatura de António Costa. E aí está o dilema instalado: votar em pessoas ou votar em programas?"

.......................................................
De Menos ''cheques em branco'' a 9.10.2009:

Este é um dilema bem colocado:

- acreditar nas pessoas (na sua ética e qualidade técnica), embora as suas propostas (...) mereçam dúvidas (ou algumas pareçam mesmo contrárias ao nosso desejo...) ?!
ou
- votar em propostas (ou em posições contra...) que nos parecem as mais adequadas/ correctas, mas em que os proponentes não nos merecem confiança (pelo seu passado, pela sua qualidade técnica, ...) ou não são críveis de que irão cumprir essas promessas (até porque às vezes elas não dependem das suas vontades, recursos e competências legais) ?!

Creio que a solução passa por mais transparência, mais informação sobre propostas concretas, mais debates a sério entre candidatos e melhores jornalistas para os questionarem sobre o que realmente deveria interessar aos cidadãos.
Só com mais e melhores dados é que os cidadãos poderão fazer uma escolha fundamentada ... e não apenas em ''parecenças'' ou crenças ou seguidismo partidário.

É preciso melhorar esta Democracia e a literacia dos nossos concidadãos...


De O Tachito a 12 de Outubro de 2009 às 09:39
O PS desapareceu.

Deixou de haver militabtes para dar lugar ao culto da personalidade.

Como a ideologia desapareceu, os boys querem é garantidos os seus lugares e é o aprelho que lhos dá.

Mas se o partido se fragiliza ou mesmo desaparece há que fazer a colagem a quem ainda vai garantindo os tachitos.

É a vida...


De observador a 12 de Outubro de 2009 às 11:18
os devedores de tachitos lá se foram esforçando, mais alguns candidatos a ...
que, por obrigação e falta de comparência dos outros
(dos verdadeiros militantes anónimos e voluntários, independentes de tachitos e favores)
ainda suaram para chegar ao máximo de arruadas, comícios-jantares, ... da sua área, mais a do vizinho, mais à do vizinho do vizinho, ...

Desta vez, todos os primeiros das listas tiveram que fazer uma verdadeira colaboração- troca de serviços, para parecer que a coisa se compunha. Bem, aqueles figurantes pagos e levados a todo o lado também ajudaram a melhorar as imagens...


De Anónimo a 12 de Outubro de 2009 às 11:32
isso e o marketing, liderado pelas cúpulas e adjudicado a poderosíssimas máquinas de propaganda/ agências:
- SMS para toda a gente (quer estivesse na lista do nacional, da distrital, da local, da sectorial, da laboral, da vizinha, ...), a toda a hora, para todos os eventos, encontros, concentrações e comemorações...
- cartazes e mais cartazes, e renovação de cartazes, ... e mais cartazes
- blogues e mais blogs e desdobração de bloggers, e cópias e links, pings, ...
- e textos encomendados e comentários- respostas a todos os opositores ou não defensores, ... e com marcação cerrada

Esta não foi uma campanha político-partidária

Esta foi antes uma ''massiva'' campanha pardidário-empresarial ... e de luxo,
embora quase sem conteúdo programático (claro e preciso).


De E nós a vê-los passar a 12 de Outubro de 2009 às 18:12
"meu filho, faz dinheiro; honradamente se puderes, mas faz dinheiro"

de onde vem o dinheiro? Só a Fátima Felgueiras é que teve um processo? Cadê os outros, como dizem os brasileiros?
O Eng. Cravinho falava nas "derrapagens" das obras de construção civil, mas há os "submarinos" os "magalhães" porque não é com a quota e a comparticipação pública que se paga "este tipo de campanha"


De Perplexo a 12 de Outubro de 2009 às 09:07
Será que o PS ainda existe? No dia 27 Setembro ganhou Sócrates, ontem ganhou António Costa. Onde anda o PS?


De anónimo a 12 de Outubro de 2009 às 11:05
Enquanto os militantes e cidadãos/ contribuintes quiserem ou permitirem:

«quem ganha são os generais; quem perde são os exércitos; quem paga são os civis»

dito francês do séc.19 e 19, renovado


De Accionista limitado a 12 de Outubro de 2009 às 11:43
Se o «Partido Socialista», de intervenção e militância ideológica e ligada às populações, existe ... não sei, talvez no Largo do Rato exista algum armário com ''tralhas'' dessas...

Mas tivemos uma grande prova que o «PS, sociedade anónima» existe, isso sim, com ''cotações'' ora em baixo ora em cima... talvez em linha com a ''engenharia financeira'' dos seus administradores e principais accionistas.


Comentar post