23 comentários:
De observador a 12 de Outubro de 2009 às 11:18
os devedores de tachitos lá se foram esforçando, mais alguns candidatos a ...
que, por obrigação e falta de comparência dos outros
(dos verdadeiros militantes anónimos e voluntários, independentes de tachitos e favores)
ainda suaram para chegar ao máximo de arruadas, comícios-jantares, ... da sua área, mais a do vizinho, mais à do vizinho do vizinho, ...

Desta vez, todos os primeiros das listas tiveram que fazer uma verdadeira colaboração- troca de serviços, para parecer que a coisa se compunha. Bem, aqueles figurantes pagos e levados a todo o lado também ajudaram a melhorar as imagens...


De Anónimo a 12 de Outubro de 2009 às 11:32
isso e o marketing, liderado pelas cúpulas e adjudicado a poderosíssimas máquinas de propaganda/ agências:
- SMS para toda a gente (quer estivesse na lista do nacional, da distrital, da local, da sectorial, da laboral, da vizinha, ...), a toda a hora, para todos os eventos, encontros, concentrações e comemorações...
- cartazes e mais cartazes, e renovação de cartazes, ... e mais cartazes
- blogues e mais blogs e desdobração de bloggers, e cópias e links, pings, ...
- e textos encomendados e comentários- respostas a todos os opositores ou não defensores, ... e com marcação cerrada

Esta não foi uma campanha político-partidária

Esta foi antes uma ''massiva'' campanha pardidário-empresarial ... e de luxo,
embora quase sem conteúdo programático (claro e preciso).


De E nós a vê-los passar a 12 de Outubro de 2009 às 18:12
"meu filho, faz dinheiro; honradamente se puderes, mas faz dinheiro"

de onde vem o dinheiro? Só a Fátima Felgueiras é que teve um processo? Cadê os outros, como dizem os brasileiros?
O Eng. Cravinho falava nas "derrapagens" das obras de construção civil, mas há os "submarinos" os "magalhães" porque não é com a quota e a comparticipação pública que se paga "este tipo de campanha"


Comentar post