Socialistas católicos mobilizam-se contra casamentos gay e querem referendo

Cláudio Anaia, porta-voz do grupo, diz que o PS de Sócrates anda a reboque do BE e "ideologicamente baralhado".

A pobreza e o combate à crise devem estar no topo da agenda do Governo do PS e não o casamento entre homossexuais. É com base neste premissa que um grupo de católicos, que militam no PS, se estão a mobilizar para uma verdadeira campanha contra a legalização dos casamentos gay, uma das promessas eleitorais que José Sócrates, já depois das eleições, reiterou publicamente que fará avançar nesta legislatura.

Para já, deverá ser criado, esta semana, um site na Internet, em articulação com outras organizações partidárias e movimentos de cidadãos, para funcionar como um fórum de debate sobre o tema. Mas que poderá constituir-se como uma plataforma de angariação de contactos para o objectivo que estes socialistas católicos têm na forja: a recolha de 75 mil assinaturas com vista à realização de um referendo.

"Defendemos que a realização de um referendo é essencial por uma questão de justiça, porque estamos convencidos que a Assembleia da República corre o risco de aprovar uma lei com a qual a maioria dos portugueses não concorda", explica o porta-voz do grupo de socialistas católicos, acrescentando que aguardam apenas "por sinais concretos" dos partidos com representação parlamentar quanto ao sentido de voto para desencadear o processo de recolha de assinaturas. Em dúvida, diz, está a posição que o PCP poderá eventualmente adoptar e que, em conjugação com votos do PSD e do CDS-PP, poderá travar o diploma no Parlamento. "O PS está a ir a reboque do BE, está ideologicamente baralhado. Ser de esquerda é trabalhar contra a fome e a pobreza, é combater a crise", argumenta. [Público]

 

Se para tudo o que é diferente há substantivos diferentes, qual a razão que fundamente que o substantivo que identifica o casamento: contrato celebrado entre duas pessoas de sexo diferente que pretendem constituir família mediante uma plena comunhão de vida” seja o mesmo que identifica o contrato celebrado entre duas pessoas do mesmo sexo (não já de sexos diferentes) que pretendem uma plena comunhão de vida?

Não se questiona a extensão dos direitos e obrigações resultantes do contrato de casamento ao contrato celebrado entre duas pessoas do mesmo sexo, mas sim a impossibilidade de distinguir duas realidades diferentes.

Será tão difícil encontrar uma designação que identifique o contrato celebrado entre pessoas do mesmo sexo que pretendam uma plena comunhão de vida?


MARCADORES: ,

Publicado por Izanagi às 10:31 de 26.10.09 | link do post | comentar |

2 comentários:
De Izanagi a 27 de Outubro de 2009 às 12:16
A ciência põe em causa a bipolarização do sexo? Põe em causa que haja sexo masculino e sexo feminino? também a Igreja ponha em causa que a Terra fosse redonda e não é por isso que deixa de o ser.

Anacrónica a redacção do conceito de casamento? Pelo contrário, é muito objectiva e de facil interpretação.
A lingua é dinãmica porque tem necessidade de encontrar conceitos diferentes para realidades diferentes. Se para realidades diferentes se utilizasse o mesmo substantivo, isso sim , geraria um caos na comunicação entre os intervenientes.


De Alex a 27 de Outubro de 2009 às 00:35
Então os casais que não tenham ou queiram filhos não se consideram casados? Pela mesma lógica não deve ser difícil encontrar uma designação que identifique o contrato celebrado entre pessoas de sexo diferentes que pretendam uma plena comunhão de vida.
Num tempo em que o própria definição de família toma outras qualidades e quando a ciência põe em causa a bipolarização e estanquicidade do sexo http :/ www.economist.com world international /displaystory.cfm?story_id=14646491) a redacção deste artigo que define os termos em que pode ser celebrado o que é apenas um contrato cívil entre duas pessoas maiores de idade que pretendem empreender a empresa de uma vivência conjunta é simplesmente anacrónica.


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO