8 comentários:
De Legalidades? a 13 de Novembro de 2009 às 10:17
Legalidade?

Então a ética, o respeito, o rigor, a transparência , ....

Afinal quem estava a ser escutado, era o Vara ou o Sócrates ?

Já pensaram na hipotese de poder ter havido alguém a lembrar-se de meter essa "pedra" na engrenagem da investigação para a fazer abortar ?

O desrespeito do segredo de justiça, feito a partir de dentro das investigações, será feito com que intenções: destruir os processos ou defesa dos investigadores?

Num lamaçal pantanoso em que se tornou a sociedade português (não culpem disso os trabalhadores) é de admirar saírem sempre limpos o peixe graúdo eles estão infiltrados e têm poderosas ventosas em todo o lado.


De escutado? a 13 de Novembro de 2009 às 09:55
Há uma grande confusão, intencional ou não, na abordagem que o Rui Namorado faz á questão das escutas: O escutado não foi o Primeiro Ministro, foi o Armando Vara. Não há qualquer ilegalidade.
Não vjo o Rui Namorado queixar-se da "ilegalidade" no que respeita aos outros receptores das chamadas de Armando Vara e que constarão das certidões enviadas ao juiz, porque na óptica do Rui Namorado, só poderiam ser escutadas a palavras do Armando Vara e quando o interlocutor respondesse o sistema de gravação automaticamente suspendia-se. Claro, tudo a a Bem da Nação.
Como está escrito num comentário; com Presidentes do Supremo Tribunal deste cariz, pobre Portugal.


De DD a 14 de Novembro de 2009 às 23:47
Há aqui má fé. Dos outros escutados nada apareceu na comunicação social, salvo uma gravação de um encontro entre o Vara e o Grilo que é preciso saber e provar em tribunal que existiu mesmo.
Desde que o Palma toma posições tão fanaticamente anti-Sócrates, é de adimitir que haja corrupção política no Ministério Público, ou seja, manobras para derrubar o governo com o intuito de levar outros partidos e pessoas ao poder, que deverão ter feito promessas aliciantes aos procuradores.

As escutas e a divulgação no sentido de destruir uma personalidade na praça pública têm muito de KGB, Gestapo e Pide.

No fundo, a Justiça está a tornar-se num segundo Estado Totalitário que não respeita a lei nem os cidadãos. Faz o que lhe apetece e intromete-se na política dos democratas, porque eleitos, com objectivo de conspiração e perseguição do tipo das utilizadas pelas referidas polícias, apenas com a diferença de não estar ao serviço do poder democrático, mas contra o mesmo.


De Zé T. a 13 de Novembro de 2009 às 09:53
não sou jurista (mas se até muitos destes e juízes, procuradores, Tribunal Constitucional... não têm posições coincidentes e claras, definitivas...) e

não tenho tantas certezas quanto a ''LEGALIDADE'' ... desta (escutas, corrupção, tráfico de influências, ...) e em geral ... cada vez menos, aliás ...
sendo que quanto a JUSTO ainda tenho alguns valores.

o que tenho para mim assente, é que neste país, a Justiça a Política e a Economia estão demasiado conspurcadas !


De jojoratazana a 13 de Novembro de 2009 às 00:18
Que grande combate vai por essa blogofera entre os PS e os PSD.
Para saberem quem tem mais corruptos,
para mim estão empatados.
Mas os cúmplices são muitos.
Pobre Portugal.



De vamos desVENDAr a 13 de Novembro de 2009 às 10:06
O CASTENDO
Vamos desvendar a «Face Oculta»
publicado por António Vilarigues às 2009-11-12 18:04:29

Gostaria de ter escrito ISTO:

«Nós queremos saber o que se passou no BPN.
Por que razão foi Dias Loureiro tão protegido durante tanto tempo por Cavaco Silva.
Queremos saber quem estabeleceu o preço de venda das acções da Sociedade Lusa de Negócios de que Cavaco Silva e Família eram proprietários.
Queremos saber se houve transacções na mesma data de acções daquela empresa pelo mesmo preço.
Queremos saber por que preço, e segundo que critérios, comprou Arlindo Cunha bens dos ex-IPE e quem lhos vendeu quando Manuela Ferreira Leite era Ministra das Finanças. Queremos saber o que se passa com o negócio dos submarinos.

(...)

É evidente que nós não queremos saber nem conhecer nada que diga respeito à vida privada do Primeiro-Ministro. Nós queremos saber que razões levaram os investigadores a extrair certidões das conversas que Sócrates teve com os investigados.
E isso vamos ter que saber.

(...)

Sócrates só tem uma saída:
mandar publicar as conversas.
Se o não fizer só lhe resta, mais tarde ou mais cedo, uma outra, essa sem retorno!»

............gostei de ler e recomendo o ''Castendo'', onde cheguei via ''jojoratazana''..........




De DD a 14 de Novembro de 2009 às 23:37
É pouco provável que Sócrates tenha gravado as suas conversas telefónicas, pelo que não as poderá publicar, a não ser que lhe sejam entregues pelo PGR.
O Supremo não as considerou válidas e, antes disso, antes de 3 de Stembro, já o PGR as tinha considerado como pouco relevantes na comunicação que acompanhou a entrega ao Supremo, em Julho passado.
Depois apareceram umas coisitas que parece serem ainda menos relevantes.

Sócrates falou com o Vara para colher informações com utilidade POLÍTICA. E isso não é da conta dos tribunais.
Assim, se Sócrates fosse portador de uma carteira de títulos da TVI ou Media Capital, certas informações dadas por um banco podem ser consideradas ilícitas, mas se forem para avaliação política da situação global de um sector, ninguém tem nada com isso nem tem de saber.



De Izanagi a 15 de Novembro de 2009 às 00:12
"Sócrates falou com o Vara para colher informações com utilidade POLÍTICA. E isso não é da conta dos tribunais."
pode não ser da conta dos Tribunais, mas seguramente é do interesse dos eleitores. Sócrates gere a coisa pública e não o seu património privado. Mesmo na "ditadura2 parece ter havido mais transparência e respeito pelos cidadãos.


Comentar post