De escutado? a 13 de Novembro de 2009 às 09:55
Há uma grande confusão, intencional ou não, na abordagem que o Rui Namorado faz á questão das escutas: O escutado não foi o Primeiro Ministro, foi o Armando Vara. Não há qualquer ilegalidade.
Não vjo o Rui Namorado queixar-se da "ilegalidade" no que respeita aos outros receptores das chamadas de Armando Vara e que constarão das certidões enviadas ao juiz, porque na óptica do Rui Namorado, só poderiam ser escutadas a palavras do Armando Vara e quando o interlocutor respondesse o sistema de gravação automaticamente suspendia-se. Claro, tudo a a Bem da Nação.
Como está escrito num comentário; com Presidentes do Supremo Tribunal deste cariz, pobre Portugal.


De DD a 14 de Novembro de 2009 às 23:47
Há aqui má fé. Dos outros escutados nada apareceu na comunicação social, salvo uma gravação de um encontro entre o Vara e o Grilo que é preciso saber e provar em tribunal que existiu mesmo.
Desde que o Palma toma posições tão fanaticamente anti-Sócrates, é de adimitir que haja corrupção política no Ministério Público, ou seja, manobras para derrubar o governo com o intuito de levar outros partidos e pessoas ao poder, que deverão ter feito promessas aliciantes aos procuradores.

As escutas e a divulgação no sentido de destruir uma personalidade na praça pública têm muito de KGB, Gestapo e Pide.

No fundo, a Justiça está a tornar-se num segundo Estado Totalitário que não respeita a lei nem os cidadãos. Faz o que lhe apetece e intromete-se na política dos democratas, porque eleitos, com objectivo de conspiração e perseguição do tipo das utilizadas pelas referidas polícias, apenas com a diferença de não estar ao serviço do poder democrático, mas contra o mesmo.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres