Presidenciais: Gama ameaça unidade Alegre no PS

António Costa, António José Seguro e Carlos César apoiam Manuel Alegre para as presidenciais. Jaime Gama espreita.

Por estes três homens passa a sucessão de José Sócrates e os três apoiam Manuel Alegre às presidenciais. António Costa, António José Seguro e Carlos César querem que Alegre seja o candidato do PS para o confronto com Cavaco Silva em 2011. Mas Sócrates - cujo apoio a uma candidatura de Manuel Alegre às presidenciais parecia evidente durante o processo de pacificação interno - vai ter de se confrontar com uma nova frente. A proto-candidatura de Jaime Gama ameaça a unidade à volta de Alegre e tem o apoio dos socialistas que, como José Lello recentemente afirmou, consideram que a actuação de Alegre na passada legislatura contribuiu "para o PS perder a maioria absoluta".

Os sectores antialegristas - onde pontificam os soaristas, que se converteram em grandes inimigos do alegrismo - encontraram outro candidato que, garantem alguns dos seus membros, estará disponível para se bater com Manuel Alegre no combate pela nomeação de candidato do PS a Belém. É Jaime Gama, presidente da Assembleia da República, que teve o bálsamo de uma votação esmagadora quando foi reeleito para o cargo.

Imediatamente a seguir, Gama abriu o ano parlamentar com uma "chicotada psicológica" que os seus apoiantes consideram já fazer parte de uma estratégia com vista à nomeação presidencial: acabou com os desdobramentos de viagens que permitiam aos deputados levar acompanhantes nas deslocações oficiais, trocando o bilhete de primeira classe a que têm direito por dois bilhetes de segunda classe.

Doutrinas Jaime Gama vai permanecendo em silêncio, enquanto os seus apoiantes no interior do PS admitem, em privado, a sua disponibilidade para ser o candidato presidencial, afastando Alegre, senão da corrida, pelo menos da bênção do partido.

Mas a doutrina divide-se sobre o que realmente move Gama: segundo outros observadores, não se estaria a posicionar para as eleições presidenciais de 2011, mas para as de 2016. A teoria é simples: a recandidatura de Cavaco Silva é um dado praticamente adquirido e em Portugal nunca foi possível desalojar um Presidente da República em funções.

Apesar da maioria de esquerda no país e das más relações entre Cavaco Silva e o governo, que tiveram como epicentro o episódio das escutas e vigilância a Belém no Verão, está por provar que Cavaco possa ser derrotado quando se apresentar a um segundo mandato.

Um sinal de como será difícil remover o inquilino de Belém já foi dado: depois das sondagens desastrosas que o Presidente obteve na sequência da guerra estival, a popularidade de Cavaco Silva já voltou a subir. Bastou-lhe retomar a discrição presidencial e uma ou outra iniciativa mais institucional: aparentemente, o país já lhe perdoou a confusão das escutas.

Manuel Alegre mantém-se em reflexão sobre o que fazer. Na última intervenção pública, afirmou não estar disposto a uma candidatura presidencial em que tivesse de enfrentar a guerrilha interna que sectores próximos de Mário Soares lhe estariam a mover.

Apesar de ter participado em debates sobre cidadania, Alegre reduziu as suas intervenções públicas, mas foi evidente a sua moderação nos comentários ao caso "Face Oculta", que nunca poderiam ser utilizados pelos seus "inimigos" dentro do PS para o acusarem de "oposição interna".

O milhão de votos O desfecho da guerra das presidenciais ainda não é líquido, mas mesmo entre os apoiantes de Jaime Gama - onde se incluem figuras como Vítor Ramalho, Correia de Campos e Sérgio Sousa Pinto - permanece a dúvida sobre a capacidade de Gama vencer Cavaco Silva.

Quanto a Manuel Alegre - que gerou vários anticorpos dentro do próprio PS quando se aliou ao Bloco de Esquerda em duas iniciativas públicas - foi notória a sua capacidade para "juntar a rua" em torno da sua candidatura, mesmo havendo um candidato oficial do PS com o peso de Mário Soares.

O milhão de votos que Alegre um dia disse "não poder levar pela trela" vai ser decisivo quando se tiver de resolver esta equação.

[ i , Ana Sá Lopes]



Publicado por JL às 00:01 de 24.11.09 | link do post | comentar |

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO