De Zé T. a 17 de Dezembro de 2009 às 09:31
Totalmente de acordo com o articulista.

Ainda há pouco tempo, em determinada especialidade médica era controlada por um sr. (monopolista) que, com um único jovem assistente, era o único professor doutor da cadeira (na única universidade que 'oferecia' essa disciplina) e o único médico da especialidade em todo o país, prestando serviço num hospital público (como director clínico) e no seu consultório e ... E todos os incautos candidatos a escolher aquela especialidade (tanto na universidade como no estágio) eram chumbados ou afastados ... porque o sr queria continuar a controlar todo o mercado e a ganhar milhões à custa da saúde dos portugueses.

BASTA de 'quasi' monopólios, de oligopólios e de carteis !

O acesso ao ensino, à profissão e aos mercados (todos) devem ser livres, concorrenciais (ou concurso público) e transparentes, tendo como única exigência as normas/critérios de qualidade internacionais/gerais e publicitadas antecipadamente.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres