1 comentário:
De ASSALTADO a 4 de Janeiro de 2010 às 19:42
Mais uma vez, enquanto cidadão fui assaltado pelo administração local. Será que em 1997, um contrato de 45000 contos não estava sujeito a concurso público? E essa obrigação legal é facilmente ultrapassada e sem consequências para quem violou a lei - presidente da Câmara de Lisboa, ao momento, Dr. João Soares - prejudicando não só toda uma classe profissional - arquitectos - que podia concorrer, como também os residentes contribuintes, que sistematicamente assistem imptentes ao aumento das taxa para fazer face as despesas ilegais? Em Portugal, infelizmente é.
Quando é que neste país se faz uma revolução que tenha como único objectivo por o sistema judicial a funcionar, por forma que todos estes roubos sejam devidamente penalizados?
E não há sanções para Troufa Real, que violou um contrato , onde se propôs, sem coacção a trabalhar gratuitamente para esse projecto? Não pode a CML exigir uma indemnizaçaõ por perdas e danos?
Será que a Sicília é uam brincadeira comparada com Portugal?
È isto o socialismo em Portugal?


Comentar post