3 comentários:
De Anónimo a 18 de Maio de 2009 às 17:18
Pena é que tudo isso não faça baixar o desemprego e não melhor a justiça no mundo.

Se esse tal deus existe deve estar muito velho e distraído , ...

Se cada um não tiver fé em si próprio está bem fu ..do que os senhores empresários, católicos ou não, estão aí para dar as respostas ... solidárias.


De DD a 18 de Maio de 2009 às 22:36
Este Anónimo não percebeu que sempre que se enche um copo até ao cimo a água começa a transbordar para fora.
As economias crescem e aumentam a produtividade até à saturação e, a partir daí, transborda o fluxo material de bens produzidos. E não há solução, porque enquanto o copo não está cheio não há razão para fechar a torneira.
No antigamente, a maior parte das pessoas morriam cedo e até 1850 a população mundial manteve um crescimento muito lento, sendo da ordem dos mil milhões de humanos. A partir daí começou o salto e hoje estamos quase nos sete mil milhões.
O Dr. Charcot disse para as parteiras lavarem as mãos com sabão e álcool e utilizarem roupas limpas saídas das barrelas para agasalharem os nascituros e a explosão foi imediata, de uma mortalidade à nascença de 450 por mil passou-se para 100 e foi descendo até chegar aos 3 a 4 de hoje, em Portugal e na Europa em geral.
Depois veio a penicilina do dr. Flemming que fez duplicar a população em cada vinte e cinco anos.
Em 2007 foram fabricados 56 milhões de automóveis no Mundo e o parque automóvel ultrapassou os 700 milhões.
Que fazer?


De Anónimo a 19 de Maio de 2009 às 09:33
Senhor "DD" que fazer?

Há vários copos a transbordar e não um só.

Há o copo dos excessos de produção em certas zonas do globo, mas só aí;

Há o copo do excesso de famintos por todo o globo ainda que numas regiões mais do que noutras;

Há o excesso de natalidade numas regiões e população a diminuir em muitos paises;

Há o excesso de falta de equilibrios, mesmo ecologico e planetário.

Há excesso de tudo o que é mau e falta de quase tudo o que é necessário, incluindo o equilibrio do bom senso.

Senhor "DD" secalhar deveria haver a coragem de se acabar com as fronteiras geograficas. Se para o capital financeiro já acabaram há muito tempo, para os serviços são incipientes, porque não acabar com elas, também para as pessoas?

Isso é perigoso, não é?

Porque se não exigem as mesmas condições de trabalho e de vida,segundo as suas necessidades e capacidas, para todo e qualquer cidadão viva ele onde viver trabalhe ele onde trabalhar.

Os trabalhadores da china, de africa ou qualquer outro lugar deveriam ter iguais condições às dos europeus, japoneses ou americanos, não acha?


Comentar post