2 comentários:
De formação política globalização a 19 de Janeiro de 2010 às 14:38
I Curso de Formação Política da Fundação Res Publica 2010

GLOBALIZAÇÃO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS

O curso pretende proporcionar uma formação introdutória e geral sobre as várias dimensões da
globalização e suas consequências para o sistema de relações internacionais, através de abordagens
disciplinares diversas e qualificadas.

Metodologia:
Cinco módulos práticos, ao longo de quatro semanas, entre as 20.30 e as 23.00, e uma conferência
de encerramento. A Fundação Res Publica é uma entidade certificada pela DGERT.
1 - A Globalização Económica - (2 e 4 de Fevereiro de 2010)
Por: João Marques da Cruz (Economista, EDP)
2 - Democracia no Mundo - (10 de Fevereiro de 2010)
Por: Andrés Malamud (Politólogo, ICS/UL)
3 - Segurança: Ameaças e Respostas - (9 e 12 de Fevereiro de 2010)
Por: José Loureiro dos Santos (General)
4 - Globalização e Relações Internacionais - (15 de Fevereiro de 2010)
Por: Carlos Gaspar (Politólogo, IPRI/UNL)
5 - Portugal no Mundo - (24 de Fevereiro de 2010)
Por: Bruno Cardoso Reis e Pedro Aires Oliveira (Historiadores, FCSH)

Notas:
Conferência de Encerramento por Nuno Severiano Teixeira, quinta-feira, 25 de Fevereiro,
pelas 18.30, no Auditório do Edifício Novo da Assembleia da República.
As conferências vão realizar-se em Lisboa, no ISCTE (Alameda da Universidade).
A conferência será aberta não só aos formandos, mas também à comunicação social.

Avaliação:
Os formandos são convidados a apresentar um ensaio sobre um dos cinco temas do curso.
O ensaio que obtiver melhor classificação será premiado com uma bolsa de incentivo ao seu
aprofundamento. Os segundo e terceiro melhores ensaios serão divulgados no sítio e na revista da
Fundação.

Inscrição:
Número de vagas: 40 pessoas
Candidatura: Os candidatos que já frequentaram outro(s) curso(s) em 2009 devem enviar apenas um
email com a indicação de que também pretendem participar neste primeiro curso de 2010. Se ainda
não frequentou nenhum curso da Res Publica, envie o seu CV para geral@fundacaorespublica.pt
Matrícula: 40 euros
Pagamento: Por transferência bancária para a Conta da Fundação, de acordo com informação enviada
no email de confirmação da aceitação da candidatura.
O regulamento deste curso está disponível em: www.fundacaorespublica.pt


De Justiça e economia a 19 de Janeiro de 2010 às 14:25
DD - «... Por isso, tudo o que Garcia Pereira escreve é asneira, porque os tribunais não podem alterar as regras mundiais do mercado.
O problema do desemprego é, para nós, o problema chinês e só pode ser resolvido com o fecho de fronteiras, a não ser que a China passe a comprar mercadorias do resto do Mundo de modo a haver um equilíbrio entre a compra e a venda. »

G.P. em «Inefectividade das leis e tribunais do trabalho» (em Portugal, actualmente):
leis do trabalho (código de T. e código de processo de T.) e tribunais do trabalho com aplicação duvidosa dos ''direitos'' dos trabalhadores, com não aplicação de Justiça (embora possa aplicar Direito...) .

Um fala de ''alhos'' e o outro replica sobre ''bugalhos'' ... independentemente destes ou daqueles serem os mais azuis ou os mais amarelos... embora em ambos tratem de vegetais ou de cores...

Oh DD !! - posso concordar que Portugal e o ocidente têm um grave problema económico (...) em parte devido às exportações chinesas (e ...)
mas daí a dizer que tudo o que GP escreve (sobre leis e tribunais do trabalho...) é asneira ... - não está a ser racional.
e dizer que os tribunais não podem alterar as regras mundiais de mercado ... não é nada.
Mas os legisladores (parlamentos e governos) têm a ver com as leis e os tribunais e com a efectiva aplicação de Justiça !!


Comentar post