De Zé T. a 26 de Janeiro de 2010 às 11:41
«... por desleixo, corrupção e militante estupidez.»

não concordo com tudo ... mas a conclusão está boa.
E, no caso da «militante estupidez» (de vários partidos mas principalmente nos do 'arco do poder') convém incluir os fanáticos, os que votam sempre no mesmo ''clube'' apesar das políticas, das jogadas, das lideranças, ...
estejam ou não inscritos num determinado partido, paguem quotas ou não, participem ou não nas reuniões e decisões (propostas, votações, moções, listas de candidaturas, ...manifestações).

Os partidos estão ''de rastos'' e a militância 'activa' nas secções concelhias e distritais é quase nula (exceptuam-se, às vezes, os ''líderes''/ presidentes/ coordenadores das comissões e secretariados - que têm a ''obrigação de ter de ir a todas'', para não perderem tachos e hipóteses de novos tachos...).

A única militância política e/ou partidária (...) que ainda existe é a de uma minoria (mais ou menos independente ou + - engajada, por diversas razões) que LÊ e ESCREVE /comenta em páginas da net e em blogues (pessoais, colectivas, de jornais, ...)
... pelo que mais valia ENCERRAR a maioria das SECÇÕES Partidárias (locais e sectoriais) e
'ABRIR' várias CIBERSECÇÕES partidárias (secções que funcionam via internet, independentemente do local de residência ou de trabalho).


De marcadores a 26 de Janeiro de 2010 às 13:02
De rastos?
De rastos não estão os partidos, de rasto estão quem acredita ou continua a acreditar nestes partidos.
Encerrar secções?
Mas não estão já na prática encerradas.
São como jazigos de famílias nos cemitérios. Só lá vai alguém em dias de memórias ou comemorações.
Se isto não é estar 'mort0'/encerrado...


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres