5 comentários:
De Zé T. a 28 de Janeiro de 2010 às 14:18
Concordo totalmente com o texto de Zé Pessoa, e os princípios que deviam ser prosseguidos na República Portuguesa (agora a 'comemorar' 100 anos, alguns interessantes e felizes mas demasiados com duvidosas cepas e más colheitas...)

Quanto à questão em título...

.Teoricamente sim, vivemos numa República ..., com um Estado de Direito, com uma Constituição Democrática e até bastante progressista e 'humana', com muitos (intencionais) 'direitos' pessoais e colectivos...

.Na prática ... dizem-nos que 'não temos futuro' e resvalamos para um Estado falhado (tipo Haiti, antes ou actual, também uma república) na Justiça, na economia, na igualdade de tratamento dos seus cidadãos,...

para além de termos um sistema que só promove a mobilidade social para uns poucos, para aqueles detentores de cargos/poderes (políticos, económicos, sociais, artísticos, ...) que transmitem e reproduzem novos cargos ou 'tachos' para apenas os seus descendentes e familiares próximos -
(alguns, muito poucos, conseguem passar ao nível superior se forem excepcionalmente muito bons em determinada área ... ou então se forem muito zelosos em 'baixos' serviços prestados ... ou prestados 'na horizontal' !!! ).

antigamente, o filho de sapateiro seria sapateiro e o filho de nobre seria nobre por direito (de sangue) hereditário.

actualmente, o filho de deputado é deputado, o filho de governante é governante, o filho do patrão é/será administrador, ...
e o parente do administrador ou director será ('naturalmente', nepoticamente !) bem colocado (e rapidamente promovido, ou entra mesmo logo 'por cima') numa lista eleitoral, numa empresa fundação organismo ou cargo ... público, para-público ou privado (da família e amigos próximos, do mesmo clube económico-social, que entre si trocam influências e 'tachos') ...

os outros cidadãos da República (e independentemente do seu próprio esforço, valor, mérito, competências, capacidades) ... que emigrem se querem melhorar a sua vida !!
porque, se ficarem, serão sempre cidadãos de 2ª ou 3ª classe !!
ou terão de fazer uma Revolução, a sério.!


De marcadores a 29 de Janeiro de 2010 às 10:27
É isso mesmo Zé T, infelizmente o amigo tem razão.
E conclui muito bem. Revolução.


De Não há LUMINÁRIA que valha a 28 de Janeiro de 2010 às 10:54
Por mais acendalhas que se acendam não há LUMINÁRIA que chegue para alumiar estes políticos da nossa praça e deste mundo planetário em que vamos vivendo.

Vamos vivendo os que temos sorte de vida com alguma dignidade que já não é muita e está em decrescendo.

Os Boys, Jotinhas, que teima em dizer, em afirmar, pelos megafones e através dos órgãos de comunicação social, muito coniventes nestas como noutras matérias, também, pouco dignas, que são capazes de governar os partidos e o país e afinal só conseguem, biem que mal, governar-se a si mesmos e ajudam os capangas que os rodeiam na mesma atitude.

Temos, infelizmente, os políticos que merecemos enquanto sociedade e cidadãos demissionários das nossas obrigações cívicas.

Veja-se o que se passa no interior dos partidos. Já não há militantes, estes entregaram, de bandeja, os partidos e respectivos “aparelhos” aos oportunistas que deles se servem para tudo e mais alguma coisa, nomeadamente estratégias corruptas que ninguém condena, tão pouco o aparelho judicial, que se deixou, também, enredar por este polvo que nos envolve a todos.


De CARLA DOS SANTTOS a 3 de Maio de 2011 às 14:43
ZÉ VOCE É Ó´TARIO


De CARLA SANTTOS a 3 de Maio de 2011 às 14:54
MUITO BEM cARLA O ZÉ É OTARIO MESMO ALÉM DISSO É ELE É BURRO POIS NÃO VIVEMOS NA REPUBLICA .


Comentar post