Não pagamos, não pagamos, não pagamos
Acabo de regressar da Madeira. A minha opinião é que devemos pegar o boi pelos cornos. Ter o incómodo de dizer a Sua Excelência que não podemos pagar tudo. É um incómodo muito grande: os jornais, que ele comprou, a RTP e a RDP, cujos directores dependem dele, e todos os subsidiados, que são legião, vão dizer de nós cobras e lagartos mas não há outra solução. A Madeira está rica, nós é que somos pobres. Não pagamos. As propinas do Jardim, não pagamos. Não pagamos.

 
Vou contar-vos a coisa por miúdos. Mas para já o que vos proponho é muito simples: organize-se uma excursão de autarcas de Trás-os-Montes à Ilha da Madeira. De autarcas das juntas de freguesia, não de vereadores, ou presidentes de câmara, esses querem é Brasil, países nórdicos, viagens caras, chorudas despesas de representação.

 
A Região Autónoma da Madeira tem sensivelmente o mesmo número de habitantes que o distrito de Vila Real de Trás-os-Montes.
  • Vila Real de Trás-os-Montes que não recebeu ao longo destes anos milhares de milhões.
  • Vila Real de Trás-os-Montes que não pode permitir-se uma dívida (avalizada pelo Estado?) de cinco mil milhões de Euros. Que não pode subsidiar os agricultores para manterem os terraços do Rio Douro a parecer bem aos turistas.
  • Vila Real de Trás-os-Montes que não pode financiar a construção hoje de antigas casas, tradicionais (não é gralha, tenho fotografias!), ridículas casas de bonecas.
  • Nem dezenas de "arrastadores" de carrinhos de cestos, que não têm clientes, e andam ao alto (contei 72, a jogar cartas, e nenhum cliente, um dia inteiro)
  • Nem dezenas de jardineiros, por canteiro, a cavar e recavar, os jardins do Palácio Presidencial.
  • Nem comprar quintas atrás de quintas.
  • Nem deixar de cobrar IVA.
  • Nem pôr a gasolina mais barata.
  • Nem esburacar as montanhas em todas as direcções com 164 túneis, com um total de 73 quilómetros, todos gratuitos, que já começam a precisar de elevadas despesas de manutenção.
  • Nem meter ao bolso as receitas das fugas aos impostos numa escandalosa zona franca.
  • Nem e nem e nem.
Temos de confrontar os eleitos de Vila Real de Trás-os-Montes à Assembleia da República (aliás maioritariamente do mesmo partido que Sua Excelência o Dr Alberto João Cardoso Gonçalves Jardim - um nome que está em toda a parte na Madeira) com as suas decisões de mandar mais dinheiro, sempre mais dinheiro, para os luxos da autonomia e da irresponsabilidade.
Só porque assim querem o PSD, o CDS, o PCP e o BE. Faz cá falta. O Governo da Madeira não merece mais.

 



Publicado por Xa2 às 00:05 de 06.02.10 | link do post | comentar |

1 comentário:
De Manuel Brgança a 6 de Fevereiro de 2010 às 04:26
Perante um texto destes, é difícil saber por onde começar. Este senhor foi á Madeira com o propósito de fazer contagens e não em turismo de certeza. Deve ter sido uma viagem paga pelo partido socialista para ele contar os túneis (imagine-se contar túneis).Já que gosta de contar túneis pode na sua próxima viagem ir contar túneis na Suíça ou então em certas regiões de Itália. A demagogia é tanta que se esqueceu de dizer aos portugueses que pretende enganar que toda a Madeira é relevo. São montanhas e montanhas. Esqueceu-se de dizer que antes as pessoas demoravam horas e por vezes dias para poderem transportar os produtos que cultivavam. Pelo menos os fundos comunitarios (não confundir com o dinheiro dos impostos dos Portugueses) foram aproveitados e não foram enviados para trás como em muitas zonas do Continente. Também contou os condutores de carrinhos de cestos que, coitados pelos vistos não tiveram clientes durante um dia inteiro. Mas que paciência este senhor deve ter para estar um dia inteiro a ver se tinham ou não clientes. Sabe a Madeira é um destino turístico e a crise chega todo lado. Daí até querer dizer que eles estavam ao alto, como se não quisessem trablhar, mas pelos vistos havia mesmo era falta de clientes.Sabe eles vivem disso,. dos clientes. O facto de a Madeira ser um destino turístico pelas características paradisíacas que tem não mencionou. Nem que a Madeira sabe explorar o pouco que tem que é o facto de ser um destino turístico. Soubesse o Continente explorar as potencialidades turísticas que tem. e se calhar estaria melhor. Mas o distrito de Vila Real que eu saiba não é uma região autónoma e claro que como em muitos outros distritos o dinheiro fica mesmo em Lisboa e vale do Tejo que tem o maior PIB Nacional. E claro que a obsessão para a critica negativa é tanta que teve que ir também contar os jardineiros no Palácio da Presidência. Não faço ideia quantos jardineiros existem a tratar dos jardins de São bento ou de muitos ministérios de Lisboa. Mas isso também não me interessa. A madeira preza o seu património e os seus jardins são visitados por turistas e o turismo gera receitas e essas receitas vão para os cofres do seu governo que depois dá o que lhe apetece a conta gostas aquilo que não lhe pertence. Para a próxima vez que vier á Madeira, não venha fazer relatórios para o seu partido e venha pura e simplesmente como turista, ver o que a madeira evoluiu e ver tudo o que se contruíu para dar alguma qualidade vida a um povo que sempre viveu isolado no meio do mar. Vá ver as levadas e pense no trabalho árduo que aquelas pessoas tiveram há dezenas de anos para conduzir a água tão preciosa. E nessa época o Salazar e outros antes dele não davam um tostão á Madeira. Pelo contrário, vinham cá roubar e explorar.
Pensse duas vezes antes de dizer mal de uma região ou corre o risco de alguém contar os campos de futebol que estão ás moscas e que foram construídos pelo Partido Socialista com o nosso dinheiro. Sim, campos de futebol em vez de hospitais e universidades. Ou ir contar quantos autarcas corruptos existem no país e quantas rotundas existem em cada vila ou pequena cidade em vez de escolas. Já para não falar de pavilhões gimnodesportivos em detrimento de centros de saúde


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO