1 comentário:
De Manuel Brgança a 6 de Fevereiro de 2010 às 04:26
Perante um texto destes, é difícil saber por onde começar. Este senhor foi á Madeira com o propósito de fazer contagens e não em turismo de certeza. Deve ter sido uma viagem paga pelo partido socialista para ele contar os túneis (imagine-se contar túneis).Já que gosta de contar túneis pode na sua próxima viagem ir contar túneis na Suíça ou então em certas regiões de Itália. A demagogia é tanta que se esqueceu de dizer aos portugueses que pretende enganar que toda a Madeira é relevo. São montanhas e montanhas. Esqueceu-se de dizer que antes as pessoas demoravam horas e por vezes dias para poderem transportar os produtos que cultivavam. Pelo menos os fundos comunitarios (não confundir com o dinheiro dos impostos dos Portugueses) foram aproveitados e não foram enviados para trás como em muitas zonas do Continente. Também contou os condutores de carrinhos de cestos que, coitados pelos vistos não tiveram clientes durante um dia inteiro. Mas que paciência este senhor deve ter para estar um dia inteiro a ver se tinham ou não clientes. Sabe a Madeira é um destino turístico e a crise chega todo lado. Daí até querer dizer que eles estavam ao alto, como se não quisessem trablhar, mas pelos vistos havia mesmo era falta de clientes.Sabe eles vivem disso,. dos clientes. O facto de a Madeira ser um destino turístico pelas características paradisíacas que tem não mencionou. Nem que a Madeira sabe explorar o pouco que tem que é o facto de ser um destino turístico. Soubesse o Continente explorar as potencialidades turísticas que tem. e se calhar estaria melhor. Mas o distrito de Vila Real que eu saiba não é uma região autónoma e claro que como em muitos outros distritos o dinheiro fica mesmo em Lisboa e vale do Tejo que tem o maior PIB Nacional. E claro que a obsessão para a critica negativa é tanta que teve que ir também contar os jardineiros no Palácio da Presidência. Não faço ideia quantos jardineiros existem a tratar dos jardins de São bento ou de muitos ministérios de Lisboa. Mas isso também não me interessa. A madeira preza o seu património e os seus jardins são visitados por turistas e o turismo gera receitas e essas receitas vão para os cofres do seu governo que depois dá o que lhe apetece a conta gostas aquilo que não lhe pertence. Para a próxima vez que vier á Madeira, não venha fazer relatórios para o seu partido e venha pura e simplesmente como turista, ver o que a madeira evoluiu e ver tudo o que se contruíu para dar alguma qualidade vida a um povo que sempre viveu isolado no meio do mar. Vá ver as levadas e pense no trabalho árduo que aquelas pessoas tiveram há dezenas de anos para conduzir a água tão preciosa. E nessa época o Salazar e outros antes dele não davam um tostão á Madeira. Pelo contrário, vinham cá roubar e explorar.
Pensse duas vezes antes de dizer mal de uma região ou corre o risco de alguém contar os campos de futebol que estão ás moscas e que foram construídos pelo Partido Socialista com o nosso dinheiro. Sim, campos de futebol em vez de hospitais e universidades. Ou ir contar quantos autarcas corruptos existem no país e quantas rotundas existem em cada vila ou pequena cidade em vez de escolas. Já para não falar de pavilhões gimnodesportivos em detrimento de centros de saúde


Comentar post