Em busca do 5º Império?

Jornalismo de buraco de fechadura”, jornalistas sem o mínimo de tarimba nem garantias de qualquer estabilidade, políticos de meia tigela e investidores gananciosos são o que abunda na sociedade portuguesa à mistura com um povo que, há já algum tempo, perdeu a capacidade de indignação, de insubmissão, que, segundo tudo parece indicar, mandou às ortigas a dignidade pessoal e colectiva.

Este povo (que somos) é o que abandona os partidos de que faz parte, vira as costa a todas e quaisquer politicas congeminadas pelos aparelhos partidários e já não é capaz de se organizar associativamente, salvo as chamadas ONG’s que estão na moda e através das quais sempre se arranjam alguns empregos, ao mesmo tempo que se conseguem apoios e subsídios, particulares ou do Estado. São uma forma do exercício de cidadania, não há dúvida, mas é redutor, pobre e acobertado.

Parece, não há dúvida, que a luta de classes desapareceu, efectivamente; já não há operários, as fábricas já faliram ou fizeram despedimentos colectivos dado que as máquinas fazem o trabalho ou foram deslocadas para outros locais do planeta, onde a mão-de-obra seja mais escrava.

A classe média engrossou o rendimento garantido de inserção social de onde, muito dificilmente, virá a ser retirado ou tornou-se uma “corja” de empresários a viver à sombra dos subsídios de Estado.

Resta a classe dirigente (políticos e económico-financeira), uma classe superior a quem tudo é permitido esteja ou não previsto na lei. Quando não estiver far-se-á uma apropriada.

Apesar de tudo, quase, vivemos na paz do Senhor não fossem uns grupelhositos mafiosos dos ex-países de Leste, as recentes descobertas arsenalistas da ETA ou as “canibais” agencias internacionais de avaliação da divida nacional que dão pelo pomposos nomes de: Moody’s, Standar&Poors-(S&P) e Fitch, ao que parece todas americanas.

Um povo muito estranho que nem se governa nem se deixa governar”. Parece estar-nos na massa do sangue e o mais grave é que desta vez já não existem mares desconhecidos nem competição a fazer com os vizinhos de Espanha. O que fazer? Ou será que depois de, socialmente, mortos vem o 5º Império?



Publicado por Zé Pessoa às 00:30 de 15.02.10 | link do post | comentar |

4 comentários:
De Reformas e enganados... a 18 de Fevereiro de 2010 às 14:42
Jugular, 17.02.2010
"Fomos enganados"
João Pinto e Castro
Mais um excelente artigo de Pedro Lains no Jornal de Negócios:

"O crescimento não vem de reformas, vem do trabalho, do investimento, da tecnologia e da inovação. Ponham em cima da mesa um caso de crescimento com base em reformas estruturais e, quando virem que não conseguem, chegarão à mesma conclusão que aqui se expõe."
Também eu andava com vontade de desmontar esta ilusão das "reformas estruturais", mas tenho-me inbido por me sentir tão desacompanhado.

5 comentários:
De António Parente
Por acaso, considero que as reformas estruturais são a maior treta que nos querem impingir há muitos anos. Li e concordo com o artigo do Pedro Lains. Consigo, com ele e comigo já somos 2,0001 dado que eu na minha pequenez conto apenas como um milésimo.

Acabei de ler o documento da Sedes publicado hoje e lá se fala nas reformas estruturais. É sempre o óbvio e é triste.

De Marcelo do Souto Alves
O problema começa em saber ao certo o que são as "reformas estruturais": é que podemos estar aqui a falar um pouco de tudo e de nada. O que são, para a SEDES, as "reformas estruturais"? O que significam, para os prezados comentadores e distintos articulistas, "reformas estruturais"? O que deve entender-se por "reformas estruturais", as tais de que nos falava Bruxelas quando "nos enganou", segundo P. Lains? Houve já quem entendesse "mais infra-estruturas" (rodovias, comboios, ou bandas largas), quem interpretasse mais "investigação e desenvolvimento", ou quem meramente tivesse percebido flexibilização de despedimentos e precarização do trabalho. Como vemos, antes de se começar a falar em reofrmas estruturais é necessário precisar com rigor em que consistem as mesmas. Se virmos bem, foram as profundas reformas estruturais no modo de trabalhar e de gerir as empresas nos Países ricos do Norte da Europa que estão na base da sua riqueza presente, muito mais do que «o trabalho, o investimento, a tecnologia e a inovação». Experimentem analisar como são geridas a maior parte das nossas Empresas privadas, sobretudo as mais pequenas, comparem com os métodos empregues na Europa (sobretudo para além dos Pirinéus) e percebam onde radica a baixa produtividade nacional. Talvez descubram, então, que a única "solução" que podem pedir aos tais Gabinetes "que são pagos para as descobrir" é, simplesmente, quinhentos anos de mentalidade luterana a mais, que é no fundo o que os Países pobres do Sul da Europa têm a menos do que os ricos do Norte...

De nuvens de fumo
quinhentos anos de mentalidade luterana a mais, que é no fundo o que os Países pobres do Sul da Europa têm a menos do que os ricos do Norte...

Nem mais

De João Pinto e Castro
Só uma precisão: eu não sustento que não sejam necessárias muitas e variadas reformas em Portugal, apenas que é uma ilusão esperar delas resultados mágicos.

De nuvens de fumo
Reformas este páis já teve imensas, a da educação, a da tecnologia, comunicações, privatizações, a reforma da SS, a reforma das reformas, etc

Enquanto tivermos empresas geridas por pessoas com a 4ª classe, um espírito tacanho que troca o lucro de curto prazo pela sustentabilidade das empresas, enquanto as regras forem para os otários, enquanto a cunha for a regra, enquanto a ética do valor, do trabalho e capacidade for minada pelo conhecimento , pela família, pelos amigos, enquanto tivermos esta cultura de terceiro mundo nada feito.

Isto demora décadas a mudar, infelizmente


De larry adams a 24 de Maio de 2017 às 10:38
Eu prometo compartilhar este empréstimo Testemunho Por causa do favor de Deus em minha vida, eu tenho em busca de empréstimo através da internet eu não era capaz de obter um empréstimo porque estou na lista negra devido à minha má pontuação de crédito perdi meu emprego e eu Perdi minha casa eu estava vivendo na rua frustrado sem abrigo ou comida, até um dia fiel eu me deparei com um depoimento na internet de como esta empresa tem ajudado as pessoas com empréstimos assim que eu tentei infelizmente meu empréstimo foi concedido sem nenhuma garantia eu apliquei Por US $ 200.000 estou muito feliz graças a mérito mutuantes, por favor, no caso de você precisar de um credor legítimo e um Deus temendo emprestador de contato agora aqui é o seu e-mail: (Larryadams252@gmail.com)


De Bacocadas a 15 de Fevereiro de 2010 às 12:35
Poder e contra-poder, Informação e contra-informação, manifestação e contra-informação, ..., são o pão nosso de cada dia nos tempos que correm.

Ninguém deu a cara na marcação de uma, solidária, manifestação a Socrates, como aliás, ninguém dá a cara em muitas outras coisas que por aí vão sucedendo. Ao que tudo indica, não se sabendo porque carga de água, a dita manif. já se não ira realizar.

Bacocadas é o que é.


De DD a 15 de Fevereiro de 2010 às 22:21
Eu recebo sempre as mensagens por telemóvel e por fax de todas as actividades do PS, principalmente das destinadas a mobilizar o "bom povo socialista".
Ora, desta vez não recebi nada, pelo que parece que é uma invenção de alguém que pretende que os órgãos de informação venham a dizer que os socialistas não apoiam o Sócrates.
Na verdade, praticamente não há ninguém no PS contra o Sócrates e quanto mais o nosso líder é atacada, mais somos a favor dele.
É como o bombardeamento de civis nas guerras. Os bombardeados, na Alemanha, eram tanto mais a favor do nazismo quanto mais eram bombardeados porque as bombas eram inglesas e americanas.


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO