De DD a 19 de Fevereiro de 2010 às 11:15
Caro Izanagi

O texto quase humorístico era a carta do embaixador de Espanha ao seu ministro.
Na verdade estou convencido que a Manuela Moura Guedes foi posta na rua por ordens da direcção espanhola da Prisa em resultado de pressões do governo Zapatero.
Zapatero reagiu mal à afirmação proferida há meses pelo Ministro da Administração Interna de que não havia operacionais da ETA em Portugal.
Provou-se agora que há e bem perigosos em termos de mais uma tonelada de explosivos na casa de Óbidos..
A TVI é espanhola, pertence à Prisa, e esta empresa perdeu a sua independência quando entrou em colapso financeiro e necessitou de apoios públicos e outros.
É evidente que quando uma empresa dependente do Estado espanhol se lança numa campanha para derrubar o governo português, o resultado é um "encolher de ombros" a qualquer pedido de ajuda por parte do governo espanhol.
O jornal da MMG era uma campanha televisiva para derrubar Sócrates, tanto mais que, afinal, não há provas de nada contra o PM no caso Freeport.
O masoquismo não faz parte da vida política e normal das pessoas; quem bate não pode estar à espera de favores ou agradecimentos.
O Camarada está fulo porque Sócrates não foi levado a tribunal por causa de escutas Pidescas por parte do Pide juiz de Aveiro e o presidente do STJ mndou destruir as escutas que não estavam relacionadas com o negócio das sucatas, processo Face Oculta.
Sucede que NADA aconteceu, a PT NÃO comprou nada e qualquer discussão em torno de uma compra não é proibido por lei. A PT podia comprar a TVI; a PT não é do Estado, apesar das "golden shares".
O facto de Sócrates saber ou não disto ou daquilo não é crime, a não ser para os seus irredutíveis inimigos.
O problema fundamental não está na compra da TVI, mas na origem do dinheiro e o presidente da CGD (militante do PSD) veio a público dizer que o financiamento eventual não foi discutido ou abordado sequer na CGD e, menos ainda, acordado.
A Ongoing, dirigida também pelo Moniz, anda a querer comprar 35% da TVI, mas necessita de financiamento e agora ninguém lhe dá. Assim, o Moniz não volta à TVI pela via indirecta da Ongoing.

Como cidadão não psso aceitar que haja escutas telefónicas fora de um processo e que sejam reveladas com o objectivo de deitar abaixo um governo saído de umas eleições. Principalmente não posso aceitar escutas pidescas em cadeia, o que acabaria por colocar todo o País a ser escutado pelos novos pides em auto-gestão da parte das estruturas judiciais.

´Repito que em Aveiro, e não só, há uma máfia pidesca de magistrados apostados em abater Sócrates.
O caso Freeport está morto por falta de provas.
Dois outros casos foram tão ridículos que nunca mais ninguém falou.
O caso escutas ILEGAIS do procurqdor e juiz de Aveiro está morto com a entrevista dada pelo PGR à "Visão".
À falta de melhor vem o caso Figo, já desmentido pelo próprio, mas qualquer ALDRABÃO pode dizer que o Figo recebeu 350 mil, 750 mil ou 10 milhões de euros, pagos por ofshores, etc.
Na vida, só é HONESTO quem prova, o resto é ficção.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres