5 comentários:
De DD a 24 de Fevereiro de 2010 às 20:32
Não é nas circunstâncias em que está o País, mas sim o Mundo e, particularmente, a Europa.
Na Europa, apenas a Polónia não está em crise. A receber ajudas comunitárias de grande valor e encostada à Alemanha e Zona Euro com uma moeda (Zloty) baixa, os polacos estãpo a fazer excelentes negócios.
A Polónia fez o contrário de Cavaco quando Portugal entrou na então CEE que foi valorizar o Escudo.
Os polacos desvalorizaram o Zloty e exportam imenso para a Alemanha. A situação é tal que as lavandarias polacas vão a Berlin recolher a roupa dos hotéis para as lavarem do outro lado da fronteira que fica a uns 75 quilómetros. O mesmo se passa com as reparações automóveis; milhares de oficinas polacas reparam os carros alemães por preços incomparavelmente mais baixos. Mas isso são excepções, pois de futuro já não podem baixar o Zloty mais que 3% e acalentam a ideia de entrar no Euro.
Portugal neste extremo, está como quase todos os países europeus, incluindo a Alemanha que em 2009 sofreu uma quebra de 5,6% no seu PIB.
Não há uma solução para a Grécia, Portugal ou Alemanha, etc. Há uma solução europeia ou o prolongamento mais ou menos grave da crise por muitos anos.
O Banco Central Europeu tem de ser um verdadeiro banco central e emitir títulos de tesoura para toda a Zona Euro.
Não podemos ter uma moeda única e finanças completamente separadas.


De marcadores a 25 de Fevereiro de 2010 às 15:10
Plenamente de acordo.
Ter uma moeda única e finanças separadas, cria entre os diversos países da comunidade imensas assimetrias economica e sociais.


De A crise Queima? a 23 de Fevereiro de 2010 às 11:54
O homem reconhece-se de grande estatura política.

O eurodeputado Paulo Rangel, que decidiu candidatar-se à liderança do PSD, admite hoje em entrevista conjunta ao “Diário de Notícias” e à TSF que “não é apetitoso ser primeiro-ministro nas circunstâncias em que está o País”.

Rangel indica ainda que não irá entrar em “consensos moles” se chegar à liderança do seu partido.



De Ressaca a 23 de Fevereiro de 2010 às 09:51
Tem pai qué cego...
Pior cego é o que não quer ver...


De Bajulamento e hipocrisias a 23 de Fevereiro de 2010 às 08:37
Tanto bajulamento, até receio que “DD” possa correr o risco de ficar engasgado.

A hipocrisia é tão grande que agora o Alberto João, o Bukassa da Madeira se tornou, por via das desgraças alheias “um excelente Presidente do Governo Regional. Agora tudo se pode esquecer!


Comentar post