3 comentários:
De DD a 26 de Fevereiro de 2010 às 22:29
O Berlusconi é um "democrata", adora as quotas femininas. Agora fez entrar no seu partido e propôs para um alto cargo uma higienista oral que o tratou quando foi agredido em Milão. A senhora é muito bela por cima e por baixo, dizem, e chama-se Mineti.


De LB a 26 de Fevereiro de 2010 às 09:27

F. Penim Redondo disse...
Quem é responsável pelo facto de 90% dos italianos terem apoiado a alteração da lei eleitoral ?
Quem os levou a tal atitude ?

Em suma, a culpa é dos juizes que atacaram a classe política ou da classe política que fez os possíveis para merecer tal ataque ?

Com que argumento se pede ao povo para aceitar todos os desmandos ?
Será sério argumentar que os desmandos da esquerda são melhores do que os desmandos da direita ?

A impunidade dos dirigentes é a maior ameaça à confiança popular nas instituições.
Não será preferível prevenir e punir os desmandos, seja de quem for, enquanto resta alguma credibilidade, preservando assim a respeitabilidade das instituições democráticas ?


nuno castro disse...
Não nos preocupemos, porque está a chegar uma aliança democrátrica renovada, onde o populismo à Berlusconi vai conhecer um fôlego atlântico.


F. Penim Redondo disse...
Será que estamos condenados a a tolerar um Berlusconi de esquerda para evitar um Berlusconi de direita ?


D., H disse...
Dou a minha opinião (em abstracto) de cidadão que quer viver numa sociedade onde a democracia cresça sempre, mais e mais. Entendo que a democracia sem uma justiça tendente para a celeridade e a cegueira, não se cumpre. Só a partir deste pressuposto fará sentido falar-se em políticas, em modelos de sociedade, em esquerdas, direitas ou centros, em adversários políticos e por aí fora. Não se concordando com os adversários políticos e respectivas ideias, esses serão respeitados em primeiríssimo lugar, pelos seus princípios. Mesmo perdendo, e tendo que sujeitar-se a políticas que não se subscreve…Ou a ter entendimentos ou alianças, a haver intersecção de ideias.
É facto, no entanto, que esta terra não é um mosteiro de franciscanos. E ninguém pensará certamente que, da esquerda à direita, qualquer partido ou organização estará ao abrigo de ter nas suas fileiras alguém que não cumpra os tais “requisitos mínimos”. Isso acontece (tem acontecido de uma ponta a outra); o que espanta, nessas circunstâncias, é o silêncio ou a cumplicidade.

A democracia não se faz, nem com caimões, nem com papões!


Nuno Castro disse...
Fernando, a minha convicção é que os berlusconis de direita são SEMPRE piores que os de esquerda, ou suposta esquerda.



De DD a 25 de Fevereiro de 2010 às 00:45
O texto está muito bom e é notavelmente elucidativo.

Os berlusconianos consideram-se como vivendo já num regime pós-democrata.
Faltou acrescentar que quase tudo se deveu aos processos de magistrados com base em fantasias cinematográficos como a pertença do democrata-cristão Andreoti à Máfia.
Com isso, os magistrados italianos lograram colocar no poder um verdadeiro mafioso, o Berlusconi,
Os mesmo magistrados chegaram à conclusão jurídica ao fim de muitos anos de processo que Andreoti nunca pertenceu à Máfia e que esta nem existe. Por Máfia entendem-se várias formas regionalizadas de crime organizado para tráficos diversos e até para imposição sob chantagem de uma espécie de imposto a certas populações, o chamado "pizzo". As pessoas recebem uma carta com a quantia que devem depositar num dado local. Se não o fixzerem podem ver o carro ou a casa incendiados.
Os partidos democráticos continuam a não se entenderem verdadeiramente e Berlusconi domina completamente as televisões e elabora leis para branquear os muitos crimes fiscais e financeiros que praticou ao longo da vida.


Comentar post