De DD a 27 de Fevereiro de 2010 às 17:53
Nunca no Mundo houve liberdade de imprensa. Há sim liberdade dos patrões dos meios de comunicação de imporem uma dada linha informativa, tanto nos países capitalistas como nos comunistas, tanto nas democracias como nas ditaduras e nas socio-economias de interesses como é a portuguesa.

O Expresso diz o que Balsemão manda e quando pretende ser ligeiramente plural é porque o patrão acha que necessita de leitores que não sejam apenas do PSD, o mesmo se passa com outros jornais e estações televisivas.

Agora, não há excepções, toda gente malha no Sócrates, desde os jornais gratuitos às televidões, rádios, etc.N~sao vejo mesmo uma única excepção, a não ser nalguns blogs. Mesmo aqui está muita gente contaminada pela obrigação pidesca de malhar no secretário-geral do PS.

O curioso é que na primeira linha do malhar no Sócrates estão os pasquins estrangeiros, Metro, Destak, Sol e na televisão espanhola TVI.

Os capitalistas suecos estão interessados em derrubar Sócrates. Não sei porquê, nem o que tem a Suécia a ver com Portugal?

Todos sabemos que a situação é tal que o governo não vai chegar ao fim do ano. Logo que o PSD tenha um líder, qualquer que seja, o governo será derrubado para gáudio de m uita gente.

Vamos ter eleições antes do fim do ano.


De Zé das Esquinas o Lisboeta a 27 de Fevereiro de 2010 às 19:14
Não, aqui "não há a obrigação pidesca de malhar no secretário-geral" do PS...
Aqui há quem tenha a liberdade de "malhar" no secretário-geral do PS, quando na sua modesta opinião, é de "malhar no secretário-geral" .
E pelo vistos o que aqui há é quem ache que deve impor aos outros de não "malhar no secretário-geral", mas não tem sorte nenhuma...


De Zé T. a 1 de Março de 2010 às 14:23
bem visto Zé das Esquinas.
também há quem goste de malhar noutros 'postantes' ou comentadores ... e nas suas ideias ou posições - espero que, quanto a isto, fiquemos apenas nas críticas ao que é expresso ... LIVREMENTE.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres