De Estado 'enxuto' livre e transparente a 16 de Março de 2010 às 15:43
Carlos Marques
Março 10th, 2010 at 20:18

Os EUA são um exemplo para o mundo – é a terra da liberdade, esse conceito verdadeiramente superior a clubes de esquerda ou de direita.
Além disso, têm um sector público a sério:
a justiça é melhor, a burocracia é melhor, a defesa é a sério, a polícia é melhor, as urgências têm meios, etc., talvez porque as pessoas são responsabilizadas – quando as coisas correm mal, as pessoas são responsabilizadas, (...)

Se os correios são públicos nos EUA por força da constituição, há-de ser pelas boas razões. Para garantir que há comunicação com cada pedaço do território, pela importância, ainda hoje, da comunicação por escrito e em papel, que ainda é a forma mais séria, oficial.

Sou favorável a um Estado enxuto,
um estado que sirva para prestar serviços às pessoas livres e às empresas livres

e não para criar empregos / avenças / ajustes directos artificialmente
ou para manter artificialmente os lucros e as empresas de alguns,

no entanto a privatização dos Correios parece-me inexplicável porque há muito mais onde mexer e os Correios são verdadeiro serviço público e fazem, até, parte da identidade do país, da sua cultura, portanto.

Os Correios por todo o país é algo que vai acabar se os privatizarem, a não ser que o Estado continue a pagar para manter muitas das estações.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres