De Partidices a 15 de Março de 2010 às 12:46

''democratas de bem'' não podem concordar com isto (embora MFL hesitasse no concordar com 'a rolha' e Rangel hesitasse em discordar...).

porém (embora tempestivamente) esta 'rolha' foi aprovada de modo transparente ...
enquanto em outros partidos o que se faz nos congressos, na preparação das eleições internas e na tomada de decisões é tudo na obscuridade, com muitos jogos de bastidores, com manigâncias e tráfico de influências... embora os discursos e comunicados sejam muito 'politicamente correctos e democráticos'...

Apesar de tudo, acho que prefiro o discurso incorrecto e a bofetada às claras do que a sacanice e navalhada às escondidas...


De Arrastão a 15 de Março de 2010 às 12:47

-----Caifás , 14 Mar 2010 às 19:33

Tratou-se de uma tentativa desastrada de acabar com os tiros nos pés que os “descontentes” (leia-se: os excluídos do banquete das benesses partidárias) dão em si próprios e no Partido que dizem “defender”…

Não se acaba com as facadas nas costas por decreto… É apenas uma patetice, nada mais.

-----luÍs bernardo , 14 Mar 2010 às 22:59

Se percebi a proposta é muita parecida ao que está previsto nos estatutos do PS. Expulsão para militantes que apoiem ou se candidatem contra o partido. Depois há sempre outras maneiras mais subtis e mais lentas de afastar dissidentes para dar uma ideia de que foi o militante que se afastou do partido e não o partido do militante.

-----tiago santos , 14 Mar 2010 às 23:00

Já todos sabemos o que aconteceu àqueles reaccionários que não deixavam o grande camarada estaline falar não já?

Ahah, às vezes sinto que mais valia fazermos o mesmo a alguns políticos e comentadores da nossa praça, aplaudir sem parar para eles ficarem contentes e para vermos se eles não conseguiam dizer mais nada…

Mas agora a sério…acho uma norma legitima: é uma associação de pessoas que decide reprimir-se a si própria, por força da maioria, que todos aceitam como legitima. Ora, o que não acredito é que alguma pessoa com coluna vertebral possa continuar a pertencer a um partido assim, onde os individuos são meros peões, tal qual os deputados de 3ª fila a dizer “muito bem, muito bem”…

Não acho boa estratégia para o PSD e diz muito sobre o que estas pessoas acreditam e pensam e fariam pelo país. Estou a lembrar-me do típico crime Bushista da traição à pátria. Afinal, dizer mal da administração do país quando se encontravam numa guerra era perigoso para a coesão nacional não era?

------Guimarães , 14 Mar 2010 às 23:29

É a velha controvérsia entre fidelidade e lealdade. Os detentores do poder detestam os leais, que os avisam que se aproximam do abismo, preferindo os fiéis que os ajudam a cair lá.
Que lhes faça bom proveito!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres