De A obra de Alexandre Herculano a 31 de Março de 2010 às 17:56
A obra
Herculano deixou ensaios sobre diversas questões polêmicas da época, que se somam à sua intensa atividade jornalística.

A parte mais significativa da obra literária de Herculano se concentra em seis textos em prosa, dedicados principalmente ao gênero conhecido como narrativa histórica.
Esse tipo de narrativa combina a erudição do historiador, necessária para a minuciosa reconstituição de ambientes e costumes de épocas passadas, com a imaginação do literato, que cria ou amplia tramas para compor seus enredos.
Dessa forma, o autor situa ação num tempo passado, procurando reconstituir uma época.
Para isso, contribuem descrições pormenorizadas de quadros antigos, como festas religiosas, indumentárias, ambientes e aposentos, topografias de cidades.
São frequentes as intervenções do narrador, que tece comentários filosóficos, sociais ou políticos, muitas vezes relacionando o passado narrado com o quotidiano do século XIX.

A narrativa de caráter histórico foi desenvolvida inicialmente por Walter Scott (1771-1832), poeta e novelista escocês que escreveu A Balada do Último Menestrel e Ivanhoé,entre outros trabalhos.
Também o francês Vitor Hugo (1802-1885) serviu de modelo a Herculano: Hugo escreveu o romance histórico Nossa Senhora de Paris, em que surge Quasimodo, o famoso “Corcunda de Notre-Dame”.

A partir desses modelos, desenvolveu-se a narrativa histórica de Herculano, que pode ser considerada o ponto inicial para o desenvolvimento da prosa de ficção moderna em Portugal.

As Lendas e Narrativas são formadas por textos mais ou menos curtos, que se podem considerar contos e novelas.
Herculano abordou vários períodos da historia da Península Ibérica. É evidente a preferência do autor pela Idade Média, época em que, segundo ele, se encontravam as raízes da nacionalidade portuguesa.

O trabalho literário de Herculano foi, juntamente com as Viagens na Minha Terra, de Garrett, o ponto inicial para o desenvolvimento da prosa de ficção moderna em Portugal. Assim, a partir disto, as narrativas históricas foram gradualmente focando épocas cada vez mais próximas do século XIX.

Wikipedia


De Obras principais de Alex. Herculano a 31 de Março de 2010 às 18:01
Obras principais
(O Wikisource possui trabalhos escritos por este autor: Alexandre Herculano )

Poesia:
A Voz do Profeta – 1836
A Harpa do Crente – 1838 (eBook)
Poesias - 1850 (eBook)

Teatro
O Fronteiro de África ou três noites aziagas (drama histórico português em 3 actos) – (Representou-se em Lisboa, em 1838, no teatro do Salitre, foi editado no Rio de Janeiro em 1862)
Os Infantes em Ceuta – 1842

Romance
O Pároco de Aldeia (1825) - 1851[1]
O Galego: Vida, ditos e feitos de Lázaro Tomé[2]

Romance histórico
O Bobo (1128) – 1843.[3]
O Monasticon
Eurico, o Presbítero: Época Visigótica - 1844[4]
O Monge de Cister; Época de D. João I - 1848
Lendas e narrativas - 1851
1.º tomo: (eBook)
O Alcaide de Santarém (950-961)[5]
Arras por Foro de Espanha (1371-2)[6]
O Castelo de Faria (1373)[7]
A Abóbada (1401)[8]
2.º tomo: (eBook)
Destruição de Áuria: Lendas Espanholas (século VIII)[9]
A Dama Pé de Cabra: Romance de um Jogral (Século XI)[10]
O Bispo Negro (1130)[11]
A Morte do Lidador (1170)[12]
O Emprazado: Crónica de Espanha (1312)[13]
O Mestre Assassinado: Crónica dos Templários (1320)[9]
Mestre Gil: Crónica (Século XV)[9]
Três Meses em Calecut: Primeira Crónica dos Estados da Índia (1498)[12]
O Cronista: Viver e Crer de Outro Tempo[14]

História
História de Portugal: 1.ª época, desde a origem da monarquia até D. Afonso III - 1846-1853
História das Origens e Estabelecimento da Inquisição em Portugal - 1854/1859
Portugaliae Monumenta Historica – 1856-1873

Opúsculos
Opúsculos I: Questões Públicas, Tomo I (eBook)
A Voz do Profeta (1837)
Teatro, Moral, Censura (1841)
Os Egressos (1842)
Da Instituição das Caixas Económicas (1844)
As Freiras de Lorvão (1853)
Do Estado dos Arquivos Eclesiásticos do Reino (1857)
A Supressão das Conferências do Casino (1871)
Opúsculos II: Questões Públicas, Tomo II (eBook)
Monumentos Pátrios (1838)
Da Propriedade Literária (1851-2)
Carta à Academia das Ciências (1856)
Mousinho da Silveira (1856)
Carta aos Eleitores do Círculo de Cintra (1858)
Manifesto da Associação Popular Promotora da Educação do Sexo Feminino (1858)
Opúsculos III: Controvérsias e Estudos Históricos, Tomo I (eBook)
A Batalha de Ourique:
I. Eu e o Clero (1850)
II. Considerações Pacificas (1850)
III. Solemnia Verba (1850)
IV. Solemnia Verba (1850)
V. A Ciência Arábico-Académica (1851)
Do estado das classes servas na Península, desde o VIII até o XII Século (1858)
Opúsculos IV: Questões Públicas, Tomo III (eBook)
Os Vínculos (1856)
A Emigração (1870-1875)
Opúsculos V: Controvérsias e Estudos Históricos, Tomo II (eBook)
Historiadores portugueses (1839-1840):
Fernão Lopes
Gomes Eanes de Azurara
Vasco Fernandes de Lucena - Rui de Pina
Garcia de Resende
Cartas Sobre a História de Portugal (1842)
Resposta às Censuras de Vilhena Saldanha (1846)
Carta ao Redactor da Revista Universal
Da Existência e não Existência do Feudalismo em Portugal (1875-1877)

Esclarecimentos: ...


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres