Princípios de um Cidadão

Em nome da papoila: manifesto de apoio ao Dr. Fernando Nobre

Vale a pena ler:

 "A clareza e a frontalidade na assunção de princípios, de valores e de conceitos ideológicos bem definidos levam-me a apoiar a candidatura do Dr. Fernando Nobre a Presidente da República.

 

Assumo, desde já, uma declaração de interesses:

sou militante e dirigente Socialista, autarca em regime de voluntariado na Câmara de Gaia, dirigente associativo voluntário numa IPSS.

Fui Presidente da Junta de Freguesia de Oliveira do Douro, sempre sem ordenado.

Sou Sociólogo e Professor na Faculdade de Letras do Porto de profissão.

Trabalho desde sempre nas áreas da pobreza, da exclusão social, das políticas sociais, do desenvolvimento (local), do Estado e da Sociologia Política.

 

Sabe-se que as eleições Presidenciais têm uma especificidade grande: são supra-partidárias, são candidaturas de cidadãos, a que os partidos podem aderir, mas sem a lógica de vinculação partidária tradicional. É por isso que, no passado, houve candidaturas diferentes oriundas do PS, sem leituras abusivas.

Claro que me surpreende ver alguma gente muito preocupada com a ausência de definição do apoio do PS nas Presidenciais. Estranho é que sejam muitos dos mesmos que, há 5 anos, criticavam o PS (que apoiou Mário Soares, e bem) por dar apoio institucional e, dessa forma, “intrometer-se” num acto eleitoral específico, por serem eleições apartidárias e da cidadania.

 

Assumo uma convicção séria em alguns princípios fundamentais:

a verdade, a fraternidade, a igualdade, o serviço público, a democracia e a participação cidadã.

Assumo uma necessidade clara de reforçar a democracia com formas renovadas de participação e de cidadania.

O reforço da democracia é a única forma de impedir os totalitarismos e os radicalismos sectários e intolerantes.

Assumo a necessidade de reforçar a acção política e de introduzir novos actores, com provas dadas e vinculados ao Humanismo e à Solidariedade (global).

 

Desprezo o economicismo puro e o capitalismo selvagem e predatório, que tem atirado vastas camadas da população para os limiares da sobrevivência.

Desprezo esse modelo vocacionado para reproduzir as desigualdades, seja num contexto local, seja num contexto supra-nacional.

Questiono uma divisão internacional do trabalho que compatibiliza crescimento económico com aumento da pobreza e das desigualdades.

 

Acredito em processos de mudança. Mas em processos de mudança sem aventureirismos e com conceitos claros e noções explícitas.

Acredito na tolerância e na responsabilidade, na afirmação do Humanismo, de um novo Humanismo capaz de travar os ímpetos fordistas de uma economia avassaladora dos direitos humanos, dos direitos sociais e da cidadania.

Acredito que a acção humana – mesmo em pequena escala – pode mudar pequenas partes do mundo; acredito mesmo que mudando pequenas partes do mundo já estamos a mudar o mundo.

 

O Dr. Fernando Nobre é uma das minhas grandes referências de Humanismo, de Solidariedade global e de Cidadania. Não o é de agora. Começou por sê-lo há muitos anos, quando me inspirou a experimentar caminhos e preocupações sociológicas concretas, mas também quando me inspirou a uma acção de base local, acreditando poder melhorar o mundo de cada vez que se muda a vida das pessoas. E foi-o também quando me levou a viajar com a AMI, rumo a Réfane, no Senegal, onde experimentei das mais fortes emoções da minha vida e onde senti que, a propósito da construção de um Centro de Saúde, estava a ajudar a mudar a vida de muita gente.

 

Onde senti o que vale o ser humano. É possível que ele não seja um homem dos grandes discursos redondos. Mas é claramente um homem dos grandes exemplos. E o mundo, o país e a vida precisam cada vez mais de gente de exemplos.

Conte comigo, Dr. Fernando Nobre. Concordo consigo quando refere, no seu livro Humanidade, que “a Democracia, que em todas as minhas conferências comparo a uma papoila, não é perene. Ela terá de resistir, de se adaptar às mudanças ou de morrer, transitoriamente, até que o sopro da liberdade lhe volte a dar vida.

A democracia é uma papoila frágil: logo que colhida, morre, mas é uma flor que renasce sempre, mesmo no terreno mais inóspito, entre as pedras dos escombros e do lixo”.

 Eduardo Vítor Rodrigues

# posted by Primo de Amarante, http://margemesquerdatribunalivre.blogspot.com/ 16.04.2010



Publicado por Xa2 às 00:07 de 26.04.10 | link do post | comentar |

1 comentário:
De Não-qualidade da Democracia Portuguesa a 26 de Abril de 2010 às 10:44
Jorge Sampaio descontente com a qualidade da democracia portuguesa
(Antena 1, 21-04-2010, Público, 23.04.2010, via MIC)

"Não estou nada satisfeito com a qualidade da democracia, temos que a requalificar, revitalizar. A começar pela renovação das dinâmicas e das estruturas partidárias. E há uma remobilização dos cidadãos que é necessária" disse Jorge Sampaio à Antena 1.

Questionado sobre de quem é a culpa pelo estado de democracia em Portugal, Sampaio responde "somos todos naturalmente responsáveis".

Na entrevista que hoje foi transmitida, na integra, às 10 horas pela Antena 1, o antigo chefe de estado elogia também "o estilo" do novo líder do PSD, Pedro Passos Coelho, e alerta para os "perigos" da politização da justiça e da judicialização da política" .

Nesse quadro, Sampaio defende a "diminuição" do segredo de justiça e aponta o dedo à comunicação social, "que arruína a reputação de uma pessoa". "Apregoamos o princípio, violando-o todos os dias e isso parece-me muito grave para a coesão social"diz o ex-Presidente da República.

Sampaio diz considerar "suficientes" os actuais poderes presidenciais e afirma que a revisão constitucional "não é uma prioridade".

Quanto ao apoio à candidatura de Manuel Alegre, o ex-secretário geral do PS garante que "isso é uma coisa" que dirá "primeiro" ao próprio, antes que a "toda a gente", mas deixa um recado, "o PS terá que se definir".

A entrevista de Jorge Sampaio é a primeira de uma série de três, a antigos Presidentes da Répública do ex 25 de Abril, cujo aniversário se assinala no próximo Domingo. Ramalho Eanes e Mário Soares são os próximos entrevistados da Antena 1, na quinta e na sexta feiras, respectivamente.


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO