De ... a 26 de Abril de 2010 às 10:51
LA disse...
...
Numa sociedade mais igualitária as pessoas muito talentosas e inteligentes têm mais oportunidades de singrarem e serem úteis à sociedade e ao país.
Acho muito importante que uma pessoa excepcionalmente inteligente mas nascida numa família pobre possa fazer obra.

Um país que desperdiça os melhores, que se suporta apenas naqueles que tiveram uma cunha ou que eram primos do outro, não vai longe. parece-me que se vê muito disso por aí.
24 de Abril de 2010 19:12

José Luiz Sarmento disse...
...
Temos que perceber que em Portugal a brutal desigualdade não é um problema:
É O Problema.
...
A redistribuição nunca é gratuita; e tem sempre que ser coerciva porque a natureza humana é predadora antes de ser produtora.

Não vejo ninguém, em Portugal, a ser expropriado da riqueza que "cria" por mérito próprio.
Nem sequer vejo ninguém a ser expropriado da riqueza que adquire sem mérito nenhum.

(As aspas em "cria" não foram lá postas por capricho. A noção de criação ligada à de riqueza é em si mesma todo um programa político, ou melhor: anti-político e anti-social).
25 de Abril de 2010


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres