De DD a 28 de Abril de 2010 às 23:51
Os grandes culpados da crise actual portuguesa são os bancos que recusaram o dinheiro português, pagando juros quase nulos, recorrendo ao dinheiro estrangeiro e aumentando a dívida privada portuguesa que é muito mais grave que a dívida pública portuguesa que até é inferior à alemã em percentagem de um PIB muito superior.:
Há uma espécie de obsessão em não mexer nos bancos. A própria CGD não é capaz de pagar juros mais elevados por depósitos a prazo de um ou dois anos, não para depósitos a cinco ou mais anos em que no último ano se paga um juro de 3 a 5%. Os portugueses têm bastante dinheiro para depositar a prazo, mas não o suficiente para emprestar a 5 ou 10 anos. O próprio imposto de capitais sobre os juros de 20% deveria descer para os depósitos até 100.000 euros, a fim de levar os portugueses a reduzir despesas supérfluas e poupar mais.
Estou convencido que com juros mais elevados, a dívida externa serias paga no país, pois a moeda é a mesma e tanto faz o dinheiro vir de Lisboa ou de Berlim .
Claro, com mais poupança talvez a venda de carros não tivesse aumentado em 70% em Março relativamente ao mesmo mês do ano anterior em que desceu apenas 40%. Muita gente comprou carro novo porque não há depósitos atraentes, a banca quer dinheiro de graça para o emprestar a alto juro.
Aumentar o IVA dos 20% para 22 ou 23% seria uma boa medida para reduzir a dívida pública e externa pois é quase tudo importado e não devemos esquecer que temos o IVA de 5% para produtos alimentares essenciais, sementes, pesticidas, adubos, medicamentos, livros, revistas, jornais, etc. e temos ainda o IVA de 12% para a restauração.
Por exemplo, na Rua do Lumiar uma sapataria vende sapatos vela a 27 Euros com boa qualidade e de fabrico nacional. Com mais 2% de IVA custariam mais 54 cêntimos. O mesmo se passa com os jeans que vendem a 15 Eu e calças de fazenda a 25 a 35 Euros.
Produtos como televisores, computadores, impressoras, mobiliário standard, etc. baixaram bastante de preço nos últimos tempos pelo que um pequeno aumento do IVA não tem qualquer importância.
A dívida pública portuguesa é quase um terço da grega e não é das mais elevadas da Europa, mas não convém deixá-la subir continuamente porque a dada altura uma parte da receita do Estado vai para o chamado serviço da dívida em vez de ir para reformas, salários mais elevados, etc. .


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres