15 comentários:
De . a 14 de Maio de 2010 às 14:35
De Zé das Esquinas o Lisboeta a 13 de Maio de 2010

Penso que está na altura de mudarmos de Primeiro Ministro.
Não é preciso eleições antecipadas, basta o actual renunciar ao cargo.
O PS terá, com certeza, outra figura política nas suas fileiras com o perfil indicado para Primeiro Ministro de Portugal, que se adeqúe à grave e actual situação financeira e económica da nação.

Na minha opinião, José Sócrates, independentemente da sua honestidade pessoal, política e partidária não estar por mim em causa, deixou de ser a figura de referência que o Pais precisa para tentar a sua reabilitação e recuperação económica.

Perdeu o estado de graça e já não consegue motivar e 'agarrar' os cidadãos à volta do grande esforço e dos sacrifícios que se terão inevitavelmente que ser feitos por todos nós.
Não conseguirá os consensos quer político partidários quer com as entidades representativas dos trabalhadores e patronais necessários. Porque vai ter que tocar a todos.
E José Sócrates não é a figura congregadora dessa maioria de vontades que o país precisa.
Se lhe restar algum sentido de estado e discernimento político, deverá fazê-lo. Se tiver verdadeiros e preocupados amigos entre os seus pares, deverão tentar chamá-lo à razão e convencê-lo a renunciar ao cargo.
Esperemos que haja bom senso e seja rápida e pacífica esta mudança, cada dia que passa será mais difícil e maior o esforço.
Os interesses de Portugal devem estar em primeiro lugar.

De Raposo a 13 de Maio de 2010 às 16:57

Há um raposo a tentar arregimentar as hostes . Como de costume só se lembram do pago em momentos de aflição .
Quando é para distribuir tachos e mordomias não passam cartão a ninguém .

Vejam lá se encontram a chave da gaveta e libertam o socialismo.
Por acaso ainda se lembram o que tal palavra significava?


De Socrat, Assis, Lelo e comp. negativa a 14 de Maio de 2010 às 13:26
DITO&FEITO 14/05/2010

Com que cara irá José Sócrates enfrentar os portugueses a partir de agora?
Como poderá olhar de frente qualquer cidadão depois de ter garantido que não iria aumentar impostos nem existia tal necessidade, depois de o ter reafirmado a pés juntos, há pouco, no Parlamento?
Como conseguirá encarar uma câmara de televisão ou a população de qualquer localidade onde se desloque depois de fazer subir todos os impostos: o IVA, o IRS, o IRC?

Que legitimidade e autoridade pessoal ainda lhe restam para justificar, de cara levantada, a irresponsabilidade de ter negado até ao limite da insensatez a obrigatoriedade de arrepiar caminho?
E de ter impedido, até ao último minuto, que se tomassem medidas de emergência para travar a gravíssima crise da dívida do país?

José Sócrates já se convertera num primeiro-ministro politicamente fragilizado, com a sua imagem marcada de forma irremediável por um défice de seriedade e de credibilidade.
A sua personalidade combativa e determinada já não disfarçava a vacuidade dos discursos, a insuficiência das explicações, a falta de confiança que inspirava.

O grau de inconsciência política e a obstinação cega que revelou, nas últimas semanas, ao tentar iludir a catastrófica situação em que deixara o país mergulhar – continuando a teimar nas grandes obras públicas e num patético discurso a celebrar o crescimento ilusório da economia –
transformaram-no de primeiro-ministro exangue num chefe de Governo virtual, que vive noutra dimensão da realidade, num mundo de fantasias e mentiras.

Regressou de Bruxelas – depois de Merkel e Sarkozy o forçarem a descer, momentaneamente, à terra – a negar tudo o que antes dissera.
E a comprovar que, face ao seu estado de alucinação política, o primeiro-ministro em funções neste Governo, por força das circunstâncias, se chama Teixeira dos Santos

Sócrates tornou-se já um has been da nossa vida política.
E um estorvo, a prazo, para o PS.
Com a campanha presidencial de Manuel Alegre, a combater o PEC-1, o PEC-2 e toda a política de austeridade do Governo, o PS corre o risco de se tornar um partido esquizofrénico.
E de chegar em fanicos a 2011.
Pode agradecê-lo a Sócrates.

jal@sol.pt 14.5.2010
por JAL http://sol.sapo.pt/Blogs/jal/default.aspx

Sol & SOMBRA
Francisco Assis

Perdeu a sua autoridade e peso político como líder parlamentar ao caucionar dois casos lamentáveis na bancada do PS.
O das viagens a Paris da deputada Inês de Medeiros, que defendeu de forma incompreensível e sem fundamentos aceitáveis.
E o do inacreditável furto dos gravadores a jornalistas cometido pelo seu vice-presidente Ricardo Rodrigues.

Alega o líder parlamentar que este é um deputado que se rege ‘por princípios e valores’.
Quais?
O da prepotência sem freios no exercício do poder?
O do desrespeito por regras básicas da vida democrática?
O da intolerância praticada à margem da lei?
Belos princípios...


De Esperamos para ver a 4 de Maio de 2010 às 21:32
Não seria necessário o profissionalismo nem o abandono da família mas tão somente motivações e amor às causas. fazer politica de causas e de serviço altruísta quem acredita que metade dos 61 efectivos e 61 suplentes se movam por isso e não por interesses egoístas ?
Por mim já ficava muito contente e afirmava que a politica valeria a pena se fossem metade, mas não acredito. estou para ver se me engano ou não.


De Atenção à nova concelhia de Lx. a 4 de Maio de 2010 às 15:33
Do Programa da candidatura de «+ambição» de R.P.Figueiredo :
« ... Para ganhar este desafio é necessário uma visão e um projecto com + Ambição, assentes no conhecimento dos problemas e desafios da capital, na solidariedade, característica do socialismo democrático e na vontade de construir uma sociedade marcada pelo progresso social, que garanta mais condições de desenvolvimento a todos os cidadãos.
Neste sentido, vamos:
• Criar uma rede com as estruturas partidárias socialistas ao nível das concelhias e ...
• Criar um Gabinete de Relações Internacionais, que impulsione e articule ...
• Estabelecer um Fórum de Diálogo e Participação Permanente que envolva diversos representantes dos universos sindical, empresarial, académico, associativo ...
• Criar um Observatório de Políticas Urbanas, que envolva militantes e independentes ...
...
• Criar um Laboratório de Ideias, à imagem do que o Partido Socialista Francês promove, no sentido de recolher propostas de políticas...
• Criar um Conselho Autárquico, que reúna os eleitos pelo PS, militantes e independentes...
• Criar uma publicação, com edição mensal ...
• Promover amplos debates e sessões de esclarecimento ...
• Abrir o Partido à sociedade civicamente activa, ...contacto com movimentos associativos, comissões de bairro e ...
• Promover uma Convenção, com carácter anual...
...
. abertura seja eficaz, a primeira coisa que se exige, considerando os desafios no nosso tempo, é a da melhoria da comunicação... começando pela ligação contínua e leal às secções de residência ...
• criação de um Gabinete de Comunicação, que elabore um site atractivo e dinâmico, invista nas redes sociais ...
• criação de um Gabinete de Apoio à Organização
• reuniões mensais com os Secretários-Coordenadores das secções ...
• Criar uma organização que reúna quadrimestralmente elementos de todos os órgãos executivos das estruturas da concelhia, através da participação dos Secretários-Coordenadores ...
• Criar uma estrutura que envolva os militantes das Secções de Acção Sectorial e Temáticas, bem como os militantes sindicalizados ...
• Criar uma publicação com carácter regular...
• Criar um portal de informação, prático e acessível, que fomente a troca e a divulgação de iniciativas políticas
...
formação política dos militantes requer estruturação contínua e devidamente calendarizada. Deve saber fornecer conhecimentos, argumentos e a devida consolidação ideológica, garantindo, também, formação técnica e especializada, para que, da realidade da freguesia à abrangência nacional, cada militante conheça e possa defender as políticas do PS.
• Criar uma Academia de Formação ...
• Criar um Gabinete de Apoio ao Autarca ...
• Criar um Banco de Boas Práticas da Gestão Municipal Socialista ...
• Lançar o projecto de Memória e Militância histórica...
• Promover encontros de convivência entre militantes ...
• Realizar, em Junho, mês em que a cidade tem as suas festas, a recepção ao novo militante, entregando um kit ...

É este o nosso compromisso para os próximos dois anos...


De Zé T. a 4 de Maio de 2010 às 16:15
Nova CPC do PS Lx vai ''criar'' :
* 12 Gabinetes ou estruturas !! !!
* 1 rede, 1 portal, 2 publicações !!
* 1 fórum, 1 conselho, 1 convenção,
* debates, convívios, reuniões mensais...

Para realizar tudo isto, os 61 eleitos (+61 suplentes , bem necessários serão ...) vão ter grande exercício físico e mensal ... e descurar a família, a actividade profissional ...

- ou será que isto é só para ''profissionais político-partidários'' ?


De anónimo a 5 de Maio de 2010 às 10:01
à maioria destes eleitos (democraticamente, mas apenas com 40% !! dos votos dos eleitores/militantes socialistas - logo, os outros 60% devem estar muito desmotivados e pouco crédulos !! )
o que não lhes falta é AMBIÇÃO e ...
quanto ao resto ... veremos.


De Socialistas engavetados a 4 de Maio de 2010 às 09:48
Engavetados

As notícias não são grande coisa. Trinta e seis anos não são muito tempo mas, se em vez de termos andado a guardar na gaveta as verdadeiras soluções as tivéssemos posto em prática, possivelmente a falta de notícias seria a nossa melhor notícia.

É verdade que as democracias sociais do norte da Europa não são grande notícia.

Por lá vive-se razoavelmente bem, os níveis de desenvolvimento não são maus, ninguém lhes aponta o dedo como se aponta a uma formiga que se quer esmagar e o estado social é bem tolerado. Eram modelo há trinta e seis anos, talvez o tempo suficiente para ter formado sem preconceitos doutorais e ter dado a gente que agora tem quarenta e seis anos uma preparação cívica suficiente que lhes tivesse permitido criar os filhos com horizontes mais abertos, como se estivessem num País próspero.

Maldita gaveta.
LNT, A Barbearia, 4.5.2010

(e malditos aqueles que não querem de lá tirar e viver os valores e opções social-democratas...)


De Porque se movem eles? a 3 de Maio de 2010 às 19:48
Nada tenho a ver com o PS muito menos com este partido socialista que há muito meteu o socialismo na gaveta e deve ter perdido a chave que nunca mais o de lá tirou.

Acompanho há muitos anos a vida da freguesia da Ameixoeira, tendo já feito parte do executivo e até recentemente fui membro da sua Assembleia.

Achei estranho que o PS tenha deixado de fora o melhor dos seus elementos que no mandato anterior fazia parte da Assembleia de Freguesia. Conforme já li num comentário o PSD terá ficado agradecido.


De Zé T. a 4 de Maio de 2010 às 09:40
Parece que os ''melhores'' (qualidade técnica e empenhamento voluntário para com a comunidade, sem procurar o simples sacanço ou escadaria para trepar até um tacho...)
não conseguem aguentar o clima de partidarite obtusa e jota-carreirista...
pelo que se cansam e abandonam o terreiro para os galos, galinhas e garnizos...
quem perde são os partidos, a Política e a comunidade...
enquanto os órgãos nacionais, os eleitos e a maioria dos militantes, não perceberem ou não quiserem actuar para corrigir os males partidários ... o partido esboroa-se e a qualidade da democracia deteriora-se, de mandato para mandato... até se tornar irrelevante.



De htttp://www.PSFAUL.com/ a 3 de Maio de 2010 às 17:29
RESULTADOS ELEITORAIS DAS ELEIÇÕES DAS CPC’s
Resultados por Concelho:

Amadora
Lista A – Hélder Salsinha: 18% elege 9 membros
Lista B – Carla Tavares: 82% elege 46 membros

Arruda dos Vinhos
Lista A – Augusto Salgueiro: 100% elege 15 membros

Azambuja
Lista A – Joaquim Ramos: 96% elege 21 membros

Cascais
Lista A – Alípio Magalhães: 64% elege 29 membros
Lista B – Hélder Ferreira: 31% elege 16 membros

Lisboa
Lista A – Rui Paulo Figueiredo: 65% elege 42 membros

Lista B – Carlos Freire: 31% elege 19 membros
Loures
Lista A – Carlos Teixeira: 68% elege 55 membros

Mafra
Lista A – Sérgio Mota: 100% elege 21 membros

Odivelas
Lista A – Edgar Valles: 34% elege 19 membros
Lista B – Susana Amador: 66% elege 36 membros

Oeiras
Lista A – Marcos Sá: 57% elege 32 membros
Lista B – João Viegas: 42% elege 23 membros

Sintra
Lista A – Rui Pereira: 55% elege 29 membros
Lista B – Fátima Campos: 42% elege 22 membros

Vila Franca de Xira
Lista A – António José Inácio: 43% elege 20 membros
Lista B – Fernando Paulo Ferreira: 55% elege 25 membros

Os dados apresentados carecem de confirmação definitiva pela CTE. Esteja atento ao sítio oficial do PS FAUL para saber as datas das tomadas de posse.

Artigo de Sábado, 1 de Maio, 2010 às 19:32, arquivado em Notícias.

-------- 1º e único post do blog da FAUL ! ! ! ---------

Arquivo da Categoria ‘Blog’

1º Post Blog PSFAUL
Sexta-feira, 11 de Abril, 2008 ( !! !! !! )

Aqui está um desafio à participação de todos!

Deixamos o convite para que comente o que achou das últimas iniciativas do PS FAUL. A Nova página e o Espaço POLITIKA

Na categoria Blog | 3 Comentários »
------------------------------------------ !!! !! !!


De Tiros nos pés? a 3 de Maio de 2010 às 17:09
No caso da secção aqui comentada há quem diga, à boca calada, que o PS não sabe ou faz de conta não saber porque não ganhou a Junta da Ameixoeira mas que o PSD saberá, muito bem, porque a ganhou.

Será isto verdade?

É facto que nesta freguesia aumentou o numero de eleitores em cerca de 1500, quem os aproveitor?


De Porquê ?????? a 3 de Maio de 2010 às 16:59
Falta saber, o que seria muito interessante , quantos os incritos, quantos constam nos respectivos cadernos eleitoraisem , cada secção.

No caso da secção do Lumiar, Ameixoeira e Charneca, segundo parece, constam 300 tendo votado, apenas, 65 militantes. Porquê?


De . a 3 de Maio de 2010 às 16:56
e 43 (2,7% ) de brancos ou nulos.

Lumiar/Ameix./Char. = 65 votantes (c. 300 militantes = 21,6%), 42 A, 18 B, 5 Br./Nulos;

E abstenção ?? cerca de 78% !! porquê ?!


Comentar post