7 comentários:
De ...Cozinhados... ou ... a 12 de Maio de 2010 às 11:51
-----PSD e PS à beira do entendimento...

"É o governo que governa", é a máxima que reina na entourage do maior partido da oposição - escreve o Diário Económico e que Sócrates também faz questão de sublinhar.

Esta máxima beneficia o PSD perante o país. Nesta base, vai aprovando as medidas negociadas com o governo, ditadas de Bruxelas. PS e PSD a fazerem o jogo claro de Bruxelas. E assim estrategicamente vai cozendo o PS em banho-maria. Muito por sua culpa assinale-se. Quando chegar a altura eleitoral o caldo está soberbamente cozinhado.

O PSD para dar mais credibilidade à máxima de que "é o governo que governa" vai aqui e ali apontando alguma medida diferenciadora. Uma que muito me sensibilizou é a que preconiza um corte nos salários dos políticos e gestores públicos de 2,9%. Como é que os abrangidos vão poder viver com menos 2,9%?

Temos de ter uma lista dos abrangidos para quando formos ao supermercado adicionar às nossas compras uma caixa de sardinha para lhes enviar.
Etiquetas: Entendimento PS/PSD, Medidas Gravosas

# posted by Joao Abel de Freitas @ PuxaPalavra 12.05.2010

----Vem aí a quinta-feira "negra"

A comunicação social sobretudo a económica aponta para a próxima quinta feira, como o dia do anúncio de medidas muito duras por parte do governo com interferência no abaixamento do poder de compra das pessoas.

Será já o aumento dos impostos que Teixeira dos Santos se cansou de apregoar como possível, lá por Bruxelas? Será o imposto sobre o trabalho? "Malha-se" sempre nos mesmos, para usar uma expressão tão querida de Augusto Santos Silva.

O PS tem, na realidade, uma vocação especial para este tipo de trabalho, penalizador das camadas sociais.
Etiquetas: aumento de IVA? Corte nos salários?, Medidas duras

# posted by Joao Abel de Freitas @ 11.5.2010

----- Afinal, quando haverá PEC?

Todos os dias, o país muda de PEC. Cada saída à Europa dos nossos governantes um novo PEC. Com este processo tão diferentes da Grécia que éramos, mas as medidas começam a aproximar-se.

Dentro em breve será o aumento dos impostos, depois o corte nos salários. Já há propostas na mesa.

Parece é que nada sobra para aquelas actividades em que a crise até aumenta os lucros.

O País entrou por uma via sem rumo.
Etiquetas: Novo PEC? Aumento de Impostos? Corte nos salários?

# posted by Joao Abel de Freitas


De Magos... Demons... Demagogos vampiros a 12 de Maio de 2010 às 11:24
Os magos a caminho de Belém


A coisa mais interessante de alguns espécimes da Humanidade é a capacidade de se enrolarem, tentando enrolar-nos. Há humanos mais enrolados do que outros mas em Portugal a tendência dos enrolados para se desculparem com o seu enrolado aproxima-se da magia.

Digo magia porque só magos se dirigem a Belém para entregar mirra e incenso, que do ouro que desbarataram nada ficou para oferecer, num enrolanço de fazer crer que o estado demoníaco em que nos encontramos não faz parte das suas incapacidades passadas o que, mesmo em tempos do sobrenatural que proporcionam a Jesus não ser pregado na Luz e a Sua Santidade visitar-nos apesar da nuvem de enxofre expelida pelo fogo eterno, lhes garante lugar entre os alquimistas capazes de boa moeda.

Se esta gente, estes magos, tivessem vergonha na cara e conseguissem perceber que a sua quota parte de responsabilidade levou o País às portas da miséria, se se lembrassem que a condição que os leva a Belém com a mirra no bolso e o perfume do incenso é exactamente a de terem sido Ministros do descalabro das Finanças, seguiriam melhor para Fátima, e de joelhos, para pedirem perdão e sem pretensões de nos darem mais um sermão.

LNT, [0.170/2010], A Barbearia do sr.Luis


De 3 Fs ... preparai-vos... a 12 de Maio de 2010 às 11:27
3fs

Preparai-vos que em breve tereis o terceiro F

Depois de Jesus ter levado o Glorioso à varanda da República, na Praça do Município, vistes hoje Ratzinger, Benedictus XVI, em carne e osso e na Praça do Comércio a apelar à fé, e vereis por fim, lá para o fim da semana, depois de tantas e tão fortes emoções, o f. que aí vem.

Não sei se vos cuidais do coração mas ide-vos preparando pois quer-me parecer que, à excepção de uma mão cheia de gestores públicos e semi-públicos, todos vós ireis ter no Natal um sapato grande demais para tão curtas prendas.

Rezai, pois!

Pode ser que o Verão ainda traga um milagre da África do Sul que vos encha de consolo e vos faça esquecer, ou vos evoque para a misericórdia, na remissão dos pecados de quem nos mete a mão no bolso e coloca o pouco que lá encontra no bolso de outros.

Louvados sejam !
LNT, [0.172/2010], A Barbearia do sr.Luis 11.5.2010


De ..berrões, rebanhos... e aldrabões... a 11 de Maio de 2010 às 12:10
« E viva o benfica, SLB, SLB... »
Segundo palavras do ministro das finanças "governo estuda possibilidade de imposto sobres os salários".

E viva o Futebol ...
e as telenovelas/concursos...

E viva o Papa, amém, amém...


De . a 12 de Maio de 2010 às 11:20
maloud disse...

Um bando de inimputáveis refastelados nas chorudas reformas que sacam aos desgraçados a quem exigem que paguem a incompetência de que sempre deram provas. Que asco!

11 de maio de 2010 16:01, n'A Barbearia do sr.Luis


De Zé T. a 11 de Maio de 2010 às 12:01
Excelente 'post' e propostas de Zé Pessoa.

E o mesmo princípio se aplica a muitas outras empresas públicas (e participadas pelo Estado, autarquias, ...) e organizações e serviços. - a ideia do PRACE era um pouco nesse sentido, foi pena o seu desvio e falhas legislativas e de cumprimento, de vontade política e de incompetência de alguns dirigentes paraquedistas e prepotentes...

Ressalvando a manutenção dos trabalhadores (podendo desempenhar as mesmas ou outras funções ou em outas unidades orgânicas), as organizações poderiam obter maior eficiência, mais ganhos de racionalidade, de massa crítica, de capital, de outros recursos - e obter importantes sinergias.

Em vez de serem as muitas ''quintas'' e ''feudos'' (de usos e abusos, de prepotências assédios e nepotismo, de despesismo e incompetência de novo-riquismo) de administradores e políticos-gestores...




De Querem fulia paguem-na a 11 de Maio de 2010 às 10:37
Não haverá organização de empresas que valha quando em tempo de crise se gastam, se esbanjam tantos recursos publicos para festarolas e visitas papais. Ainda há quem diga que o estado é laico.

Grandes parolos são o povo e as populações que se deixam embalar por tais folclores.

Foi preciso virem polícias de Trás-os-Montes e de outras paragens para garantir a segurança, porquê?

O homem, que é santo, não está protegido pela graça do seu Deus?

Um povo que, segundo estatísticas, será 96% católico, que aguente tais sacrifícios, seja uma penitência pelos pecados dessa igreja e pela sua sustentação. Não contestem, assumam as próprias contradições.

O que não é justo é serem os não crentes a pagar de igual modo.

Não será a própria Fátima um esquema de negocio religioso?

O povo quer é fulia, tem que a pagar...


Comentar post