12 comentários:
De RTP: circo-bola com o nosso $$$ !! a 16 de Junho de 2010 às 17:04
Mundial de Futebol:
RTP não chora miséria II

Um número record de 32 câmaras, um helicóptero, uma câmara aranha que corre em cabos ligados às coberturas das bancadas (spider-cam), e uma
ultra super slow motion da organizaçãoda FIFA vão assegurar a transmissão do jogo Portugal-Brasil.

Nos outros jogos de Portugal, são utilizadas 30 câmaras.
Não contente, a RTP ainda vai ter, em cada jogo de Portugal, oito câmaras suplementares, para dar imagens ainda mais particulares e especiais.
Com o apoio de 2 carros-satélite, um deles ido de Lisboa e outro contratado localmente.
E, porque o material não funciona sozinho, são 19 os funcionários deslocados.

Confortavelmente respaldada nos 298 milhões de euros a receber do Estado e dos cidadãos em 2010, fora a publicidade (121 milhões de euros de indemnizações compensatórias, 64 milhões de aumento de capital, 113 milhões de taxa audiovisual), a RTP não chora miséria.

Assim, convenhamos, 30 ou 32 câmaras da organização é número miserável para assegurar transmissões de estação tão rica.
Pelo que mais 8 câmaras suplementares, 2 carros satélite e 19 funcionários não deixam de ser uma ninharia em tão vastos proventos.

Nota:
A SIC e a TVI enviaram oito funcionários cada e repartem entre si a utilização de um carro-satélite;
por seu lado, a Sport TV, que transmite todos os 64 jogos, enviou 12 profissionais.
Estes dados e os referentes aos da RTP foram retirados do jornal A Bola de 7 de Junho corrente.

Retirado do blog quartarepublica em 15/06/10
http://quartarepublica.blogspot.com/ posted by Pinho Cardão @ 10:09


De E o Burro Sou eu? a 15 de Junho de 2010 às 17:07
Onde é que eu já ouvi isto??

Não, na cecilia não foi, muito menos na Colombia onde nunca estivi...


De Zé das Esquinas o Lisboeta a 14 de Junho de 2010 às 09:45
Independentemente de ser como diz aqui DD em relação à independencia dos sistemas político do judicial e ainda serem pertinentes as suas dúvidas quanto à morosidade do assunto BPP, à veneração da AR aos 2 figurões, etc..., certo é também confirmar que o sistema judicial não é célere e não contribui para um melhor Portugal.
E ainda mostra que para o cidadão comum tem um funcionamento e para os 'engratadinhos' tem outro.
Quero com isto dizer que mesmo não funcionando bem e sendo lenta, ela não é igual para pobres e ricos, logo não promove nem procura a justiça mas sim e apenas a jurisprudência como mais uma forma de ter dois pesos e duas medidas e isto não é de um país que se diz democrático.


De DD a 14 de Junho de 2010 às 23:01
O sistema é célere quqando quer; veja como fecharam rapidamente o caso da menina inglesa iMaddie e como ilibiram o assassino confesso de uma freira e de ocultação do seu cadáver.
E veja-se como há anos suspenderam rapidamente as buscas ao "serial killer" português que tinha assassinado uma série de mulheres à noite.
Veja-se como libertaram o assassino da Praia do Osso da Baleia que matou uma ou mais filhas e vários amigos e parece que a mulher também, ao todo sete pessoas. Esteve cerca de 7 ou 8 anos preso e está em liberdade enquanto sete pessoas estão enterradas em cemitérios por culpa dele.


De $$$ manda na Justiça, no Governo e ... a 14 de Junho de 2010 às 09:29
Nada se divulga e nunca são investigados a fundo e muito menos julgados (em definitivo e penalizados) os grandes e poderosos senhores do dinheiro.
Porque quem, de facto, manda em Portugal (e...), manda nos governantes e deputados, nos juízes e procuradores, nas polícias e administradores públicos, nos investigadores e fiscais, ... é ''Mr.DINHEIRO'', ''Mr.Banqueiro'', ''Mr.Especulador'', ''Mr.Investidor'', ... ''o Cons. Administração'', ''o Fundo X'', ...


De DD a 13 de Junho de 2010 às 20:45
É evidente que o caso BPN é o maior roubo ou burla da história de Portugal, ultrapassando largamente a célebre burla de Alves dos Reis.
Só que a justiça parece estar parada, não atam nem desatam. Estão à espera de quê depois do veredito do Banco de Portugal?
É evidente que a Justiça não quer perturbar a reeleição de Cavaco e não quer intervir antes das eleições. A Justiça portuguesa aposta em fraudes eleitorais, permitindo falsas suspeitas sobre Sócrates que defraudaram as eleições e apostando em nada fazer para evidenciar as responsabilidades e benefícios de Cavaco e seu amigos no caso BPN.
Está na cara do próprio que Cavaco anda aflito e daí a sua ausência de tomada de medidas.
O próprio PSD não está interessado em meter-se já em eleições com medo que se revele muita coisa sobre o BPN e Spociedade Lusa de Negócios, incluindo o Banco Insular e a Fincor depois de compradas pelo BPN.
Se não tivesse havido as burlas do BPN e do BPP, as contas públicas estariam bem mais equilibradas e podia-se dizer que Portugal não sofreu muito com a crise mundial-


De Anonimo a 13 de Junho de 2010 às 21:53
Sò do BPN? e do Millenium? Quanto dinheiro dos contribuintes entrou lá? Do BPN ainda se sabe, mas do BCP tudo é segredo ( mas há seguramente quem sabe). Lá está! Se se zangam as comadres, vêm ao de cima as verdades.
Será por isso que a Justiça - ao caso , bancária - não funciona e o Ministro da tutela, nada faz?


De Zé das Esquinas o Lisboeta a 13 de Junho de 2010 às 08:52
Sim onde estão eles?
E onde está dinheiro?
E onde está o estado português que não questiona este assunto? E o tal procurador que chama os processos a si e não impõe prazos...Ha, já sei, é a tal separação de poderes... Quando covem separar, separa. Quando não convem separar, não separa.
Ou se calhar é como diz o DD - como não são do PS estão soltos... ou estão a fazer férias lá fora.
Em vez de irem 'dentro'.


De Anonimo a 13 de Junho de 2010 às 21:46
Mas o Ministro da Justiça, que eu saiba, é do PS. O Ministério Público depende hierarquicamente do Ministro da Justiça.
Porque é ineficaz no seu funcionamento? Porque não há despedimentos no Ministério Público? Será que há telhados de vidro? Parece-me que sim. Não convém zangarem-se as comadres...senão descobrem-se...


De DD a 13 de Junho de 2010 às 22:55
O Ministério Público não depende do Governo, excepto no aspecto material.
O Ministro da Justiça não manda nos procuradores, não os nomeia, não dá ordens para que os processos avancem mais depressa. O Governo pode apresentar queixas ou pedidos de investigação ao Ministério Público tal como o pode fazer qualquer cidadão ou instituição do País e isso está feito. A actual administração do BPN apresentou queixa por fraude à procuradoria da justiça. Não compete directamente ao Ministro da Justiça apresentar queixas quando há outras pessoas ou entidades que o tenham feito.
Recordemos que a Comissão Pidesca da Assembleia da República recebeu o Oliveira e Costa com todas as honras e delicadezas, deixando-o aldrabar à vontade e o homem foi à comissão vindo directamente sob escolta da prisão. O preso preventivo foi, sem dúvida, a pessoa mais bem tratada por uma comissão pidesca da AR, obviamente porque não é do PS, mas sim do PSD.
O Oliveira e Costa foi também muito bem tratado e aceitou-se que o homem não se lembrava de ter assinado cheques de muitos milhões de euros e tinha-se esquecido de ter ido ao Porto Rico fazer a aquisição de uma falsa empresa tecnológica por mais de 30 milhões de euros.
A grande vergonha da AR foi tratar com toda a deferência pessoas que roubaram mais de 900 mil milhões de euros aos portugueses. Só queria atacar Vitor Constâncio quando o BP andava a perseguir o BPN há muitos meses para deslindar as ligações fraudulentas entre o BPN e o Banco Insular, isto sem que houvesse ainda o conhecimento do montante roubado pelos amigos de Cavaco Silva, pois estava tudo bem escondido em pretensos fundos com nomes sonantes em inglês que nada tinham de substancial em termos de activos financeiros.
O Ministério Público está na posse de todos os documentos, incluindo os cheques e depósitos feitos nas contas de Cavaco e família.
É óbvio que o Ministro da Justiça não pode dar ordem de prisão a Cavaco Silva.


De DD a 13 de Junho de 2010 às 22:57
Correcção: O Dias Loureiro foi também muito bem tratado pela ......


De DD a 13 de Junho de 2010 às 00:53
Cavaco utilizou as instalações do Banco Insular (Ladrão) para sede da sua candidatura presidencial.
Cavaco está altamente comprometido com este roubo que, entre outras coisas, traduziu-se num falso negócio de compra e venda de acções não cotadas que lhe renderam quase 250 mil euros de lucro sem trabalho algum. Quem vendeu foi quem comprou.
Claro, Cavaco não tem nada a ver com isso,pois foi trabalho do gestor da sua fortuna que, por acaso, era o BPN.


Comentar post