De Zé das Esquinas o Lisboeta a 2 de Julho de 2010 às 11:52
Se se der como certo que cabe ao Estado ter e subsidiar empresas que dão sistematicamente prejuízos,mas que são consideradas de caracter socializante ou de importância capital para a população, e estou a referir-me nomeadamente a empresas como a CP, REFER, Metro, TAP, RTP, etc... é natural que ao mesmo Estado deva ser permitido senão que mesmo 'obrigado' a ter também empresas, também elas de identica importância social, mas que são habitualmente rentáveis, e estou a referir.me nomeadamente à CGD, Galp, PT, etc...
Ou há aqui alguma incongruência neste racicínio?
Não é apenas e mais uma vez uma questão de bom sens?


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres