De . a 6 de Julho de 2010 às 12:13
Estado neutralizado? ou capturado?


Há sectores que querem desarmar e neutralizar o poder do Estado, acusa Jorge Lacão
por Agência Lusa, Publicado em 05 de Julho de 2010

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, atacou hoje as vozes que condenaram a intervenção do Governo no negócio da brasileira Vivo, acusando esses setores de pretenderem “neutralizar” os poderes do Estado, permitindo a desregulação e a especulação.

A referência do ministro dos Assuntos Parlamentares à intervenção do Governo, através da utilização da ‘golden share’, na tentativa de compra da brasileira Vivo pelos espanhóis da Telefónica foi feita no final da sua intervenção na sessão de abertura das Jornadas Parlamentares do PS, que decorrem até terça feira na Assembleia da República.

“Estamos perante uma verdadeira parábola” em relação a este tema, considerou Jorge Lacão.

“Uma parábola entre os que acreditam que a construção de uma sociedade melhor implica capacidade do poder político tomar as decisões adequadas no tempo certo para defender uma visão estratégica; e todos aqueles que querem desarmar o Estado, neutralizando-lhe a capacidade de decisão”, apontou o ministro dos Assuntos Parlamentares.

“Todos esses bem podem falar de modernidade, mas encaminhariam o país para um destino de mais desregulação e maior impreparação contra o quadro especulativo”, acusou.

Ainda num ataque aos setores mais liberais na sociedade portuguesa, o ministro dos Assuntos Sociais referiu-se a alguns dos episódios que marcaram o final de 2008 e o início de 2009, observando que “não deixa de ser curioso” que quem pediu nessa altura a intervenção do Estado face à desregulação dos mercados sejam os mesmos que, “também num movimento especulativo, ponham em causa outra vez o papel dos Estados na regulação para uma sociedade mais equilibrada e mais transparente”.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres