De O que terão a dizer? a 12 de Agosto de 2010 às 16:50
O que terão Mário Soares, Manuel Alegre, Ana Gomes, João Cravinho, Edmundo Pedro e outros destacados e históricos militantes a dizer de tais acontecimentos?

Será que não se pronunciam?

Os socialistas, em particular e a sociedade em geral , muito naturalmente, esperam , ansiosamente, ouvir tais pontos de vista.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 12 de Agosto de 2010 às 17:48
Infelizmente não concordo consigo. Gostava de concordar, mas já não acredito que se possa continuar à espera que sejam os habituais, mesmo esses que nomeou, que venham trazer algo de novo ou mesmo pronunciar-se pela clareza e pela legitimidade do que quer que seja. Estão todos conspurcados aqui e ali pelo percurso feito. Têm telhados de vidro. Uns com mais telhas outros com menos telhas de vidro...
A excepção só virá se lhes convier pessoalmente por qualquer interesse momentâneo. Aí aparecerão armados em paladinos da transparência e dos valores democráticos.
Hoje já não vivemos em democracia . Vivemos numa ditadura democrática Temos 'ditadores' democraticamente eleitos - quem nos governa acha que tem o direito de fazer o que lhe apetece porque foram legitimados pelo voto. E só são penalizados e responsabilizados pelo voto. E as oposições garantem-lhes por conivência a possibilidade da alternância. Para mim considero que são as novas formas de ditadura. As ocidentais ainda disfarçam, mas pensem bem na democracia de Angola ou da Venezuela , que são mais naifes ... Ou a da Itália com o Berlusconi ...
Estas novas ditaduras são apenas mais macias, estão travestidas de democracias. São como aquelas gajas lindas e bem vestidas que na noite lisboeta se vêm ali, por exemplo, para os lados do Conde Redondo... São visualmente do melhor do sexo feminino que já se viu, só que, na verdade, são homens.
Na política estamos na mesma. Modernices...
Tempos difíceis, estes que atravessamos!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres