2 comentários:
De Zé T. a 23 de Agosto de 2010 às 11:37
Embora com algumas diferenças estatutárias e regulamentares, isto aplica-se também ao PS (e a outros).

Está bem ? está mal?... nim...
do que não tenho dúvidas é que há demasiada ''legislação''
(regulamentos disto e daquilo, que vão mudando constantemente)
e confusão interpretativa, para além de uma aplicação deficiente e não atempada ...
até parece que é feita ''à medida de...''
e não é, como deveria ser, de simples interpretação e de aplicação geral e prolongada, dando segurança e confiança aqueles que por ela são regidos.
- isto é, embora em escala reduzida, partilha dos mesmos problemas que o resto da Justiça Portuguesa.

Quanto aos ''militantes/inscritos/pagantes de quotas'' ... que pensam ou agem de forma diferente, realmente só lhes resta:
- deixarem-se de tretas e passarem a ser OBEDIENTES... aos chefes,
- ou tentarem MUDAR por DENTRO (com mais ''correntes de opinião'', ''cibersecções'', propostas de resolução/moções e listas de candidatos, a apresentar nas secções, concelhias, federações, congressos),
- ou SAIREM do Partido (e, se quiserem, entrar para outra agremiação cívico-política, ou criarem uma NOVA e arranjarem seguidores/companheiros).

Em meias-tintas é que só dá frustração...


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 23 de Agosto de 2010 às 12:25
É então por isso que anda por cá tanto comentário frustrado...
O meu amigo diz que são ‘meias-tintas' eu diria que são 'Peter-Pans' - não f_odem nem saem de cima...


Comentar post