De DD a 4 de Setembro de 2010 às 20:55
É evidente que há uma grande diferença entre o advogado do Bibi sem dinheiro, que tudo fez para o enterrar até aos pescoço, e os restantes advogados que procuraram defender os seus clientes.
Bibi foi levado pelo José Maria Martins a confessar tudo e mais alguma coisa, acabando condenado por 167 crimes a 18 anos de cadeia e nenhum recurso o salva. Bibi confessou tudo em tribunal e ninguém pode tirar isso dos autos.
É evidente que Bibi confessou verdades e não deixa de merecer a condenação, mas o principio da advocacia não é o de enterrar o cliente. Para isso estão os agentes da PJ e os procuradores. Para o que fez o seu advogado, José Maria Martins, Silvino não necessitava de nenhum defensor. Ficaria melhor defendido se não tivesse advogado e nada tivesse dito em tribunal, passando pelo pobrezinho que não tem dinheiro para pagar a um advogado. A maior parte das provas foi ele que, a mando do pseudo-advogado Martins, produziu contra si mesmo e contra os outros. Bibi foi a peça chave da acusação, pois com José Maria Martins provou que os condenados foram à casa de Elvas e a outros locais.
Ninguém sabe quem pagou a José Maria Martins para levar o Bibi a confessar e acusar os outros. O Silvino não tinha dinheiro para isso e uma espécie de parente que o ajudava também não.
É bom não esquecer que o processo começou com o objectivo conseguido de decapitar o PS. Pedroso e Ferro Rodrigues retiraram-se, mas deles o PS não dependia e apareceu alguém que conseguiu a maioria absoluta. Ferro Rodrigues chegou a ser citado como pedófilo, mas com o cuidado de ter cometido os referidos crimes há mais de vinte anos, portanto, com prazo prescrito, o que foi verdadeiramente uma fantasia. Até uma acusação contra Sampaio foi metida no processo sob a forma de documento anónimo sem valor jurídico nem prova, apenas para sair do segredo de justiça e aparecer nos meios de informação.
A acusação contra Pedroso não tinha fundamento e o juiz Teixeira nada fez tudo para conseguir provar seja o que for, nomeadamente levar as vítimas a identificar Pedroso, já que os depoimentos era contraditórios e continham muitos erros como o dizer que tinha óculos do tipo fundo de garrafa de vidro e marcas no corpo que o Intituto de Medicina Legal declarou oficialmente não existirem.
O juiz Teixeira tentou convencer alguns miudos a dizerem que foram abusados na escuridão absoluta pelo Pedroso, o que foi desmentido pelos miudos, que na claridade acabaram por não identificar o Pedroso pelas fotos e disseram que nunca o tinham visto em parte alguma, nem na televisão.
A meu ver, foi a falta de êxito na manobra de decapitação do PS que levou a justiça a nunca acusar Sócrates, pois podia ser substituído por outro líder vitorioso. Preferiram o lume brando da insinuação e calúnia indirecta nos meios de comunicação.


De isolda a 4 de Setembro de 2010 às 21:13
Que disparate de comentário. É a tal coisa: DD só vê do lado esquerdo. O que é de lamentar.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres