4 comentários:
De Xa2 a 29 de Maio de 2009 às 15:02
Quando estas coisas dão para o torto (e não só) ... tem que haver responsáveis e tirar-se daí lições para melhorar e para precaver o futuro. E, por isso, convém clarificar e lembrar alguns aspectos:

1- Existem diferentes graus de responsabilidade e de participação (ou omissão)... pelo que eventuais críticas e penalizações têm de ser diferentes.
Tal como também tem que se ter presente que há diferenças entre ''polícias'' e ''ladrões''. E neste caso, é óbvio que a gravíssima fraude e... foi praticada pelo BPN ...

2- Há que recuperar ''o produto do roubo''... (antes que este se esfume, antes que os prazos se esgotem, antes que seja tudo arquivado por ... qualquer ''razão'' ou ''desculpa'' processual).

3- Há a possibilidade de os eventuais arguidos, ''suspeitos'' e ''presos preventivamente'' sejam declarados como «não culpados» e peçam ainda uma indemnização ao Estado e/ou aos magistrados, jornalistas, etc.

Por tudo isto é que é difícil acreditar em ''eficientes reguladores'' e na eficiência da Justiça portuguesa... e em 'virtuosos conúbios' entre políticos e empresários, entre 'parcerias público-privadas' ...
Por tudo isto é que é políticos e 'grandes' responsáveis institucionais deste país têm de fazer um enorme esforço para melhorar e muito...


De ei burro sou eu? a 29 de Maio de 2009 às 10:38
Pois é, e o buuro sou eu?
Eu sou mais burro que o outro porque ela, mesmo assim, tem uma churuda conta bancária e eu pago os impostos para financiar os buracos negros bancários. E o burro sou eu né!


De Izanagi a 29 de Maio de 2009 às 02:09
Há um ditado que diz que tão ladrão é o que vai á vinha como o que fica ao portão.
Um agente da autoridade, mais uma equipa de 4 ou 5 agentes, de que é responsável hierarquicamente, perante assaltos a cidadãos, fingem sistematicamente que não vêm, e por consequência nunca intervêm, permitindo que os assaltos sejam eficazes. Não merecem ser castigados? A sua omissão não configura uma ajuda aos assaltantes? Vítor Contâncio é o polícia desta história. Não tem responsabilidades, conjuntamente com o CA de que é Governador? Ou serei eu, contribuinte que terei essas responsabilidades, porque na realidade é a mim que vêm exigir parte dos impostos, provenientes de um trabalho honesto, para pagar os assaltos e as principescas, atendendo à produtividade, obscenas, remunerações


De DD a 31 de Maio de 2009 às 20:35
Imaginem que há dois anos atrás o BP retirava a licença de exercício da actividade bancária ao BPN como deveria ter feito.
O que se iriam dizer em defesa de pessoas tão "honestas" como Oliveira e Costa, Dias Loureiro, etc.
Toda a gente diria que era um ataque ao PSD e ao próprio presidente Cavaco que foi grande accionista do BPN.
Depois de rebentar a crise financeira de Nova Iorque e do Mundo, toda a gente passou a ver a actividade bancária com outros olhos, mas antes, ninguém no MUNDO viu um Madox e muitos outros ladrões. Eram todos boa gente que ganhavam dinheiro para os fundos das seguranças sociais, associações caritativas, pequenos e médios investidores, etc.

O BP bem andou atrás do BPN e muito tentou para ver o que se passava, mas foi sempre aldrabado e se tivesse retirado a licença do BPN, o que aconteceria aos depósitos e aos empregados e, mesmo, às empresas do grupo SLN?

Sejamos HONESTOS. Nenhum de nós viu ou pensou no que se passava. Agora é fácil criticar.


Comentar post