Esses ... - Quanto ganham ?... ! ...

Digam em directo nas TV's

Quanto ganham ?

Diversos blogues têm muito justamente chamado a atenção e denunciado com vigor o infame e exclusivo desfile pelas televisões de economistas que são todos favoráveis à ofensiva governamental numa operação de intoxicação tão descarada e tão deliberada que neste caso até custa falar de ofensa ao pluralismo porque parece que até agora nem um dos muitos economistas que têm outra opinião foi convidado. Como é óbvio, esta situação é apenas um pequeno sinal de que eles não dormem em serviço e um aviso sobre a exigente batalha de ideias e de esclarecimento que é preciso travar até dia 24.
Perante esta escandaleira, começo por esclarecer que, desde há muitos anos, faço questão de não assimilar mecanicamente as opiniões das pessoas ao respectivo nível de rendimentos até porque conheço suficientes homens e mulheres deste país que ganham e vivem bem (e, por vezes, até muitíssimo bem) e entretanto tem posições de esquerda e de até de esquerda consequente.
Mas, na situação em que estamos e face a esta completa falta de vergonha e de escrúpulos, arrisco-me a lançar aqui um excepcional desafio: senhores economistas que vão às televisões tocar o fadinho da falta de alternativas e das inevitabilidades, importam-se de, logo de ínicio, informarem os telespectadores de quanto ganham ?  Não, não tenham problemas, como se calcula, isso não diminuirá em nada a receptividade dos telespectadores às vossas opiniões e ideias.

 

 

Não só quanto ganham mas também quanto pagam de IRS.

 

Acertaste na mouche. Inteiramente de acordo: há aliados dos mais pobres que, apesar de viverem bem, têm uma visão humanista mais justa da sociedade. Os picaretas falantes do capital um dia cairão das suas cadeiras de marfim! O ... anda numa fona... palpita sobre tudo sempre, sempre ao lado do Capital !

 

Basta olhar para os seus currículos. Poucos terão trabalhado alguma vez na economia real.

Todos eles, desde a juventude, andam às voltas do mesmo percurso triangular:  universidade, governo, sector financeiro - e sendo este quem lhes paga mais, é este que lhes forma a opinião.



Publicado por Xa2 às 00:07 de 07.10.10 | link do post | comentar |

13 comentários:
De 'jornalismo' sabujo ou vampiro ?! a 12 de Outubro de 2010 às 14:51

São os mordomos do universo todo
Senhores à força mandadores sem lei
Enchem as tulhas bebem vinho novo
Dançam a ronda no pinhal do rei

Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

Na RTP :
Judite de Sousa (14.720 €), José Alberto de Carvalho (15.999 €) e José Rodrigues dos Santos (14.644 €),
o dobro do que recebe o primeiro-ministro José Sócrates e muito mais que o Presidenteda República.

José Alberto Carvalho tem como vencimento ilíquido e sem contar com as ajudas de custos a quantia de 15.999 €/mês, como director de informação.

A directora-adjunta. Judite de Sousa, 14.720 €. (a ganhar assim, também eu acharia o Sócrates um homem MUITO interessante!!!)
José Rodrigues dos Santos recebe como pivôt 14.644 €/mês.
O director-adjunto do Porto, Carlos Daniel aufere 10.188 € brutos,

remunerações estas que não contemplam ajudas de custos, viaturas Audi de serviço e mais o cartão de combustíveis Frota Galp.

De salientar que o Presidente da República recebe mensalmente o salário ilíquido de 10.381 € e o primeiro-ministro José Sócrates recebe 7.786 €

Outros escândalos:-

Director de Programas, José Fragoso: 12.836 euros-
Directora de Produção, Maria José Nunes: 10.594 €-
Pivôt João Adelino Faria: 9.736 €
Director Financeiro, Teixeira de Bastos: 8.500€-
Director de Compras, Pedro Reis: 5.200€-
Director do Gabinete Institucional (?), Afonso Rato: 4.000€-
Paulo Dentinho, jornalista: 5.330€-
Rosa Veloso, jornalista: 3.984€-
Ana Gaivotas, relações públicas: 3.984€-
Rui Lagartinho, repórter: 2.530€-
Rui Lopes da Silva, jornalista: 1900€-
Isabel Damásio, jornalista: 2.450€-
Patrícia Galo, jornalista: 2.846€-
Maria João Gama, RTP Memória: 2.350€-
Ana Fischer, ex-directora do pessoal: 5.800€-
Margarida Neves de Sousa, jornalista: 2.393€-
Helder Conduto, jornalista: 4.000€-
Ana Ribeiro, jornalista: 2.950€-
Marisa Garrido, directora de pessoal: 7.300€-
Jacinto Godinho, jornalista: 4.100€-
Patrícia Lucas, jornalista: 2.100€-
Anabela Saint-Maurice: 2.800€-
Jaime Fernandes, assessor da direcção: 6.162€-
João Tomé de Carvalho, pivôt: 3.550€-
António Simas, director de meios: 6.200€-
Alexandre Simas, jornalista nos Açores: 4.800€-
António Esteves Martins, jornalista em Bruxelas: 2.986 € (sem ajudas)-
Margarida Metelo, jornalista: 3.200 €

ISTO É UM ESCÂNDALO!! UM ROUBO !! UM ASSALTO e UM INSULTO !!

Vencimentos justos nas TVs :
Directores: 5.000 € sem ajudas de custos
Pivôt: 3.500 € sem ajudas de custos
Jornalistas: Três escalões -
Escalão A: 3.000 €
Escalão B: 2.400 €
Escalão C: 1.900 €

Tanto mal dizem estes jornalistas, dos Funcionários Públicos... queria dizer Trabalhadores em Funções Públicas ... e 'esquecem' referir o que eles próprios ganham !!
e ganham muito acima de qualquer técnico superior da Adm.Pública (mesmo mais do que os ex-assessores principais, de carreira) !!


De Cortes sem Equidade relativa a 11 de Outubro de 2010 às 17:21
Pensando em equidade relativa a respeito do PEC 3.
...
Dentro das medidas propostas sobre o corte de salários, não entendo porque a taxa de corte salarial ,a partir de 4200 € é a mesma?

Nem que fosse simbolicamente e, não é, os impactos teriam de certeza algum significado, haveria que ter pelo menos mais uma de 15% e até não veria mal uma segunda de 20%,. Vejamos, será que quem recebe 40 000/50 000€/mês mais uns pozinhos daqui e dali com cartões de crédito à mistura, etc, ficaria muito lesado em termos de qualidade de vida com um corte de 8 000 do que um com 4000€ que certamente tem menos pozinhos?

E não me venham com o argumento de que essa gente ia toda embora porque carregaria o botão do lado e tinha logo outro emprego ali à mão de semear.

# posted by Joao Abel de Freitas, PuxaPalavra 2010.10.10
-------------------------
Muito bem visto...
e porque não até um corte de 50% para aqueles que ganham mais ainda ?!!.

Os cortes 'progressivos' não devem ficar limitados aos 10% para todo um leque de altas remunerações ! e de pensões acumuladas!,
de 'duques e marajás... que existem em institutos, fundações e empresas públicas ou participadas
(ou subsidiadas ou parcialmente isentadas, i.e, de alguma forma beneficiadas pelo erário público !)

- e não venham com o argumento de que a maioria são empresas privadas (ou que a maioria dos seus accionistas decide de outra forma...), pois se assim é ...
então retirem-se-lhes todos os benefícios que recebem do Estado e das Autarquias, e agrave-se-lhes os impostos !!

...ou a crise/esforço 'nacional' é só para as classe média, classe baixa e desempregados ?!!!!
Zé T.


De Ética Sueca no erário público ! a 8 de Outubro de 2010 às 14:42
Parlamentares e governantes da Suécia não têm mordomias...
(não há subsidio de residência para 'deslocados', motorista, secretária, ...)

e ainda dá exemplo de transparência .

veja em:
http://www.youtube.com/watch?v=3aC4A7bSnXU&feature=player_embedded


De Valorizar ética e o q. é público ! a 8 de Outubro de 2010 às 14:57
e não há familiares empregados dos políticos (nepotismo);
e todas as contas e recibos de deputados estão livremente disponíveis ao público e jornalistas;
e os rendimentos de todos os cidadãos estão livremente acessíveis na internet;
e deputados e governantes deslocam-se a pé (lembram-se do PM. Olof Palm que andava na rua quando foi assassinado por um estrangeiro), de biciclete, carro próprio ou de transporte público; ...

mas isto é na pobrezinha da Suécia onde Luxos e mordomias são aberrações ... ''sulistas''.


De Parar esta (des)orientação direitista !! a 8 de Outubro de 2010 às 14:24
CGTP e UGT unidas numa greve geral em Novembro

Há 22 anos estas duas confederações sindicais marcaram uma greve geral, em separado, contra o pacote laboral do governo de Cavaco Silva.

Ontem, deram um passo adiante e, pela primeira vez, Carvalho da Silva e João Proença decidiram entregar um pré-aviso de greve, em conjunto, contra as medidas já anunciadas pelo governo de José Sócrates.

A direita esfrega as mãos e diz que não é pela greve geral que o governo deve recuar. De algum modo, embora demarcando-se, incita o governo a não ceder em nada.

A situação económico financeira do país é grave. Todos reconhecem.

Mas, a maioria do país está em desacordo profundo com as medidas anunciadas pelo governo para debelar essa crise.

A sociedade civil de um modo geral considera que #####
são sempre as pessoas de menores recursos, a classe média/baixa sobretudo, a pagar e que os governos têm medo de enfrentar os mais poderosos e os de maiores recursos económicos.
#####

Se a direita estivesse no governo, a situação ainda seria mais a matar.

Mas, não deixa de ser verdade que competia a um governo PS um maior diálogo com a sociedade civil para o encontro de soluções que conduzissem a uma repartição mais equitativa dos custos da crise, mas parece não haver sensibilidade social.

Não o fez, não o faz e e dessa forma está a perder o pé e a criar condições propícias para que o poder se desloque para os partidos de direita.

As centrais sindicais, não tenho dúvidas, vêem que a situação pode ainda piorar mas dada a actuação do governo têm todas as razões, direi patrióticas, para promoverem a greve geral para fazer parar esta orientação.

# posted by Joao Abel de Freitas, PuxaPalavra, 8.10.2010


De gestores e administradores, púb.e priv. a 8 de Outubro de 2010 às 14:14
Não tenho a culpa

Sim, eu sei. Sei que gostariam de nos ter mansos e controlados mas vão ter-nos rebeldes. Sei que, possivelmente, não haverá outra coisa a fazer senão aquilo que inventaram com o "crescimento negativo" dos vencimentos da função pública. Sei que espalharam aos sete ventos a ideia da inevitabilidade destas medidas.

Sei que a culpa é da Administração Pública. Digo "Administração Pública" e não "Funcionários Públicos".

A Administração Pública tem sido gerida danosamente. É um animal insaciável de muitas clientelas que constituem uma casta destinada a sacar para si os benefícios que resultam de uma Administração Pública descontrolada e ao Deus-dará. São esses (públicos e privados, com e sem cor – muitas vezes privados vindos do público) e não os funcionários públicos que contratam o que não tem de ser contratado, que compram o que não tem de ser comprado, que não gerem o que tem de ser gerido e que colocam nos lugares chave aqueles que asseguram a continuidade dos seus propósitos.

Essa gente fura tudo. Fura os concursos para chefias, o que lhes permite manter em situação provisória (chamam-lhes em substituição), anos a fio, as pessoas que lhes interessa, fura a intenção da Lei, fingindo que o PRACE serviu para reduzir os lugares de chefia quando afinal se destinou só a designar por outro nome esses mesmos lugares que renumera de forma igual, fura as medidas de contenção continuando a inundar os serviços de inutilidades caras em nome de um progresso que nunca deixa acontecer por imaturidade dos processos que implementa e fura o SIADAP adulterando o sentido de avaliação por mérito através de uma coisa a que chamam o “dividir o mal pelas aldeias” ou seja, esquecer que se trata de uma avaliação por mérito e aplicá-la por regras de igualitarismo.

É essa gente e o poder político que lhes permite continuar a agir impunemente que tem a culpa e que deverá ser chamada à pedra. Os segundos são avaliados, recompensados ou penalizados, nas eleições. Os primeiros estão bem e recomendam-se.

Volto a dizer:

Sou funcionário público e não tenho a culpa da situação a que chegámos. Desafio quem quer que seja, seja público ou privado, a demonstrar que trabalhou e produziu numa vida de trabalho, mais ou melhor do que eu.

LNT, A barbearia do sr.Luis, 8.10.2010


De Func.Púb. NÃO È Admin.Púb. nem CASTA di a 11 de Outubro de 2010 às 14:03
Luis Novaes Tito disse... (em A Barbearia, 8.10.2010):
A.Ag,
Isto nada tem a ver com o PS, PSD, PCP, BE, ou seja com o que for.
Tem a ver com a tal casta que dirige a AP, que até no gozo se diz independente,
que sobrevive a todas as colorações, e que faz o que quer.
É verdade que o poder político acaba por ter culpa, essencialmente porque deveria estar atento e inviabilizar este estado de coisas,
mas esses, como digo no meu texto, ao menos têm de prestar contas em cada eleição.

8 .10.2010, fidalgo disse...
antes fosse apenas culpa de um ou outro partido...mas infelizmente a coisa é bem pior...como diz o nosso "barbeiro",
o problema de uma casta que se instalou e tornou o estado refém...é INFERNAL !!!!!! !!!!! E agora? Não sei.

O que sei é que de TODO não contribui para este estado de coisas,

JPN disse...
Boa reflexão. E concordo contigo. Há uns restos de discurso neoliberal (engraçado ver o Silva Peneda hoje apontar-lhe a inutilidade e o nefasto contributo)

que quando falam do Estado dizem funcionários públicos e se esquecem
do problema que é a Administração Pública e
a forma como ela está subordinada a interesses privados. :)

A Ag. disse...

a tal casta, não caiu do céu. Foi-se instalando à sombra do poder politico que governa este país desde 1974.
Os vícios foram ganhando espaço e quem tentou lutar contra a maré, teve de mudar de vida...

Ou considera que chegámos ao ponto em que estamos por obra e graça do espírito santo?
Mais:
por aquilo que conheço nenhum governo, de esquerda ou de direita, consegue fazer nada, pois os vícios são tantos e estão tão entranhados na máquina, que pouco, ou nada, há a fazer...

Esclareço, para os devidos efeitos, que sei do que falo...

mdsol disse...
Muito útil esta distinção entre função pública e
administração pública, sr. Barbeiro.

Anônimo disse...
Gostei daquele anónimo que escreveu:
Se Portugal tivesse Primeiros Ministros sérios e competentes...
Se Portugal tivesse Ministros sérios e competentes...
Se Portugal tivesse Secretários de Estado sérios e competentes...
e por aí fora.
Ora aí está!
O anónimo como todo o povo português excluí~se das responsabilidades.
A culpa é sempre dos outros.

Mas quem está a receber subsídio de desemprego e trabalha noutro lado é o povo,
quem está a trabalhar e ao mesmo tempo a receber o rendimento mínimo é o povo,
quem anda na construção cívil, não paga impostos, não passa facturas é o povo
e por aí fora, agora sim era um nunca mais acabar.

O responsável por esta situação é nem mais nem menos que o povo.
...Com um povo assim não há solução!

sou eu quem?
Um português que é funcionário do estado português que sente cada vez mais a incompetência a espalhar-se pelas várias direcções e chefias.

A administração pública portuguêsa necessita ser devidamente estruturada, mas de cima para baixo.

O problema não está no povo, está em quem o dirige.
Entendido????
Já agora e para finalizar, tenho as minhas contas em dia e não tenho calotes ao erário público.

Luis Novaes Tito disse...
A anónimo (tinha de assim ser) que resolveu escrever nesta caixa de comentários que me estou nas tintas para os desempregados (e o resto da demagogia do costume) está muito mal informado.

No entanto não o vou esclarecer melhor mas só dizer-lhe que
para ganhar o que ganho tive de trabalhar toda a vida e que tenho todos os meus impostos em dia.

É com esses impostos que participo no esforço nacional para protecção aos desempregados,
coisa que irá ser cada vez mais difícil por ter agora também de pagar com parte do meu vencimento para dar cobertura aos jantares que por aí se fazem.

A demagogia é sempre fácil, caro anónimo, no entanto nunca se esqueça que o que eu ganho é a compensação do trabalho que desenvolvo e como já disse no texto desafio quem quer que seja a provar que numa vida de trabalho fez mais ou melhor do que eu.

A casta não caiu do céu mas digo-lhe que ela comporta todos as colorações políticas (sem excepção).
Aliás é exactamente isso que a faz ter o poder que tem. No entanto só não só não se acaba com ela porque ainda ninguém teve coragem para a erradicar. Possivelmente sabem que essa gente tem na mão informações capazes de comprometer uns e outros e por is


De Estes sucialistas não representam o povo a 7 de Outubro de 2010 às 15:14
revolta qualquer um, excepto o Sr. Deputado, claro........
http://aeiou.expresso.pt/crise-deputado-esfomeado-reivindica-jantar=f607362

"Crise: Deputado esfomeado reivindica jantar na cantina da AR

O deputado do PS Ricardo Gonçalves gostava de ter a cantina da AR aberta ao jantar. Isto porque 3700€/mês que aufere "não dão para tudo".

Fiquei com um "aperto no coração" ao ler isto.
Tiago Mesquita (www.expresso.pt) 5.10. 2010

Pensava que nada me podia surpreender na política, mas eis que um deputado me acorda para a triste realidade: Portugal.

O absurdo é o limite.
O horizonte da estupidez ganha novos desígnios e contornos todo o santo dia.
À ''franqueza'' do presidente do Ps, Almeida Santos que diz algo como: «se o governo faz sacrifícios (...), o povo também deve fazer !», e aos actos do deputado (Ps) Ricardo Rodrigues dos gravadores (que retirou aos jornalistas que o entrevistavam e meteu ao bolso...), junta-se agora o deputado (Ps) Ricardo Gonçalves das refeições.

Este afirma que o que lhe põem no bolso não chega para tudo, mesmo que seja um valor a rondar os 3700€/ mês. Uma miséria.
"Se abrissem a cantina da Assembleia da República à noite, eu ia lá jantar. Eu e muitos outros deputados da
província. Quase não temos dinheiro para comer"
Correio da Manhã (vou fazer uma pausa para ir buscar uns kleenex...)

O corte de 5% nos salários irá obrigá-lo, como deputado da província", a apertar o cinto e consequentemente o estômago, levando-o
a sugerir com ironia mas com seriedade (!?) a abertura da cantina da AR para poder jantar.
Uma espécie de Sopa dos Pobres mas sem pobres e
sem vergonha.
Só com políticos, descaramento e sopa.

"Tenho 60 euros de ajudas de custos por dia. Temos de pagar viagens, alojamento e comer fora.
Acha que dá para tudo? Não dá". valerá a pena
acrescentar alguma coisa? Não me parece.
Só dizer que as almôndegas que comi ao jantar não se vão aguentar no estômago durante muito tempo depois de ter feito copy/paste desta declaração

Mas continuando a dar voz ao Sr.Deputado: "Estamos todos a apertar o cinto, e os deputados são de longe os mais atingidos na carteira".

Pois é, coitadinhos, andam todos a pão e água. Alguns são meninos para largar os bifes do Gambrinus.
Bem sabemos que os grandes sacrificados do novo pacote de austeridade do Governo vão ser os senhores deputados.
Ninguém tinha dúvidas quanto a isto. E ajuda a explicar o "aperto de coração" que o Primeiro-Ministro sentiu ao ter de tomar estas "medidas duras". Sabia
perfeitamente que ao fazê-lo estava a alterar os hábitos alimentares do Sr. Deputado Ricardo Gonçalves, o que é lamentável.

Que tal um regresso à província com o ordenado mínimo e um pacote senhas do Macdonalds?
Ser deputado não é o serviço militar obrigatório.
Pela parte que me toca de cidadão preocupado está
dispensado. Não o quero ver passar necessidades.

Há quem sobreviva com pensões de valor equivalente a 4 dias de ajudas de custo do senhor deputado. Quem ganha o ordenado mínimo está habituado a privações, paciência. Agora com 3700€ por mês e 60€/dia de ajudas compreendo que seja mais difícil saber onde cortar.

Podíamos começar por cortar na pouca-vergonha. Mas isso seria pedir demais. "


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 7 de Outubro de 2010 às 16:42
E podemos ir à cantina da Assembleia da República almoçar? E por 4,5 Euros como os 'tadinhos' dos deputados?
E alguém me explica como é que ganhar menos dinheiro e pagar mais impostos é bom para o povo?
E alguém me explica porque é que se a crise financeira tendo sido criada pela especulação de Bancos, Seguradoras e afins através de má gestão, aplicações em mercados virtuais com dinheiro real, etc... tem de ser paga pelo cidadão comum? E já agora onde está o dinheiro real que foi aplicado nos novos mercados emergentes (virtuais)? Evaporou?


De Vilanagem, acólitos e sabujos !! a 7 de Outubro de 2010 às 11:02
Vilanagem, acólitos e sabujos ! ao serviço do capital selvagem !

PARA QUE NINGUÉM TENHA A MENOR DUVIDA, NEM SE ESQUEÇA DE QUEM É A CULPA DE ESTARMOS A BATER NO FUNDO...
DE UMA FORMA IGNÓBIL, VÃO ASFIXIAR QUEM JÁ QUASE NEM RESPIRAR PODE...

CORTEM OS BENEFICIOS E MORDOMIAS OBSCENAS AQUI A ESTES "AMIGALHAÇOS" ENTRE OUTROS,
E NUNCA A QUEM NÃO TEM, NEM VIVEU SULTANESCAMENTE Á CUSTA DO ERÁRIO PUBLICO...!!!

AINDA ONTEM GASTARAM 5 MILHÕES DE EUROS A "REEQUIPAR A POLICIA"...
CARROS ANTI-MOTIM, CAPACETES, ETC...

PARECE-ME QUE ESTÃO COM MEDO DO PIOR...
QUE ERA O MELHOR QUE NOS PODIA ACONTECER...
SERÁ APENAS INVEJA A NOSSA INDIGNAÇÃO ????

Ora cá vão uns salariozitos de remediados:
São VALORES MENSAIS ! :

-Mata da Costa: Presidente dos CTT, 200.200 Euros
-Carlos Tavares: CMVM, 245.552 Euros
-Antonio Oliveira Fonseca: Metro do Porto, 96.507 Euros
-Guilhermino Rodrigues: ANA, 133.000 Euros
-Fernanda Meneses: STCP, 58.859 Euros
-José Manuel Rodrigues: Carris 58.865 Euros
-Joaquim Reis: Metro de Lisboa, 66.536 Euros
-Vítor Constâncio: Banco de Portugal, 249.448 Euros (este é que pode pagar mais IRS)
-Luís Pardal: Refer, 66.536 Euros
-Amado da Silva: Anacom, Autoridade Reguladora da Comunicação Social, ex-chefe de gabinete de Sócrates, 224.000 Euros
-Faria de Oliveira: CGD, 371.000 Euros
-Pedro Serra: AdP, 126.686 Euros
-José Plácido Reis: Parpública, 134.197 Euros
-Cardoso dos Reis: CP, 69.110 Euros
-Vítor Santos: ERSE, Entidade Reguladora da Energia, 233.857 Euros
-Fernando Nogueira: ISP, Instituto dos Seguros de Portugal, 247.938 euros (este não é o ex-PSD que se encontra em Angola !! )
-Guilherme Costa: RTP, 250.040 Euros
-Afonso Camões: Lusa, 89.299 Euros
-Fernando Pinto: TAP, 420.000 Euros
-Henrique Granadeiro: PT, 365.000 Euros

E ainda faltam as Estradas de Portugal, EDP, Brisa, Petrogal Galp, Refer, CP, TAP, RDP, RTP, ... todas as outras empresas públicas e participadas ou subsidiadas (ou isentadas) pelo Estado, Fundações, Institutos, Conselhos, comissões, gabinetes, agências, observatórios e reguladoras ...

Enfim, é um fartar vilanagem ! e Ladroagem engravatada !
E pedem contenção e cortes nos salários da classe média / média baixa e baixa !! !!

Imaginem o que é pagar um Subsídio de férias ou de Natal a estes senhores:
''Tome lá meu caro amigo 350.000 € para passar férias ou fazer compras de Natal''.

E pagar-lhes esta reforma ... É no mínimo imoral e no máximo corrupção à sombra da lei ...

Até porque estes cargos não são para técnicos, mas são de nomeação política .. É isto que lhes retira toda e qualquer credibilidade junto do povo e dos quadros técnicos.

TUDO NOSSO DINHEIRO QUE ALIMENTA ESTE BANQUETE, ONDE A CRISE NÃO BATE À PORTA E Onde há aumentos PARA SEMPRE Amigos

PODE NÃO PARECER, MAS ESTES SÃO VALORES MENSAIS, eu REPITO, MENSAIS !!!!....

POBRE PORTUGAL


De . a 7 de Outubro de 2010 às 18:14

3.706.630,00 € ..total desta amostra de 'duques' que andam a sugar os portugueses

51.892.820,00 € .. Valor do ordenado anual (12 meses + subs Natal + subs férias)

926.657,50 € .. Média de Prémios (como ''mui excelentes'' administradores...)

52.819.477,50 € .. total de remuneração anual média destes ''duques''...

e agora, compare-se com os
900,00 € .. Média do vencimento de um funcionário público

58.688,31 - é o nº de funcionários públicos que dá para pagar com o mesmo dinheiro

portanto:

Eu DISCORDO dos cortes nos salários dos trabalhadores sem cargos de administração, direcção ou chefia ...
e
EU NÃO ABDICO DO SUBSÍDIO DE FÉRIAS E/OU NATAL PARA AJUDAR O PAÍS...


NOTA : divulguem e pensem naqueles que querem ter emprego e não conseguem….


De DD a 7 de Outubro de 2010 às 22:13
Felizmente ou infelizmente, as reformas dos 3,6 milhões de portugueses reformados custam 56 milhões de euros por DIA.
Não estou a criticar, até porque aí está incluída a minha reforma que nem é nada alta, mas também não é miserável.
Nos tempos do Caetano é que era "bom", pois só havia 250 mil reformados em Portugal..
Portanto, os tais administradores ganham por ano um dia de reformas, o que não é valor comparativo dado serem uns poucos contra 3,6 milhões, mas não é daí que vem o mal ao País, até porque ´´e uma gota de água ou 1/365.
Além disso, a esmagadora maioria dos altos salários entram no escalão máximo do IRS que é agora de 46,5% e no caso das empresas puramente públicas vão sofrer uma quebra de 10% dos respectivos ordenados. Enfim, um pouco mais de metade desses ordenados vai para o fisco.
São 17 pessoas citadas. A razão porque os regimes comunistas igualitários falharam foi sempre essa; de um lado 3,6 milhões de reformados e quase 5 milhões de trabalhadores e do outro 17 administradores mais uns tantos que não devem totalizar mais de uma a duas centenas, incluindo aqui alguns advogados, juristas, economistas, arquitetos e engenheiros muito bem pagos, mas também esses são bem poucos.

.


De DD a 7 de Outubro de 2010 às 10:39
O Cartrioga tem uma reforma fabulosa da Galp que acumula com os cargos de administrador da Sovena e de outra empresa de adubos.
Todos esses economistas, a começar pelo Medina Carreira e o Cantigas juntamente com o jornalista Mário Crespo coimetem sistematicamente aquilo que é considerado o grande pecado do jornalismo, a repetição contínua das mesmas notícias e oipiniões.
Já fui jornalista e no estágio sempre me disseram que uma notícia, comentário ou artigo nunca deve ser uma repetição de algo dito anteriormente.
Se o Crespo só sabe fazer as mesmas perguntas às mesmas pessoas é porque não é um profissional, mas apenas um amador politiqueiro.


Comentar post

DESTAQUE DO MÊS
14_04_botão_CUS
MARCADORES

todas as tags

CONTACTO

Email - Blogue LUMINÁRIA

ARQUIVO

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS
blogs SAPO