Quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

Digam em directo nas TV's

Quanto ganham ?

Diversos blogues têm muito justamente chamado a atenção e denunciado com vigor o infame e exclusivo desfile pelas televisões de economistas que são todos favoráveis à ofensiva governamental numa operação de intoxicação tão descarada e tão deliberada que neste caso até custa falar de ofensa ao pluralismo porque parece que até agora nem um dos muitos economistas que têm outra opinião foi convidado. Como é óbvio, esta situação é apenas um pequeno sinal de que eles não dormem em serviço e um aviso sobre a exigente batalha de ideias e de esclarecimento que é preciso travar até dia 24.
Perante esta escandaleira, começo por esclarecer que, desde há muitos anos, faço questão de não assimilar mecanicamente as opiniões das pessoas ao respectivo nível de rendimentos até porque conheço suficientes homens e mulheres deste país que ganham e vivem bem (e, por vezes, até muitíssimo bem) e entretanto tem posições de esquerda e de até de esquerda consequente.
Mas, na situação em que estamos e face a esta completa falta de vergonha e de escrúpulos, arrisco-me a lançar aqui um excepcional desafio: senhores economistas que vão às televisões tocar o fadinho da falta de alternativas e das inevitabilidades, importam-se de, logo de ínicio, informarem os telespectadores de quanto ganham ?  Não, não tenham problemas, como se calcula, isso não diminuirá em nada a receptividade dos telespectadores às vossas opiniões e ideias.

 

 

Não só quanto ganham mas também quanto pagam de IRS.

 

Acertaste na mouche. Inteiramente de acordo: há aliados dos mais pobres que, apesar de viverem bem, têm uma visão humanista mais justa da sociedade. Os picaretas falantes do capital um dia cairão das suas cadeiras de marfim! O ... anda numa fona... palpita sobre tudo sempre, sempre ao lado do Capital !

 

Basta olhar para os seus currículos. Poucos terão trabalhado alguma vez na economia real.

Todos eles, desde a juventude, andam às voltas do mesmo percurso triangular:  universidade, governo, sector financeiro - e sendo este quem lhes paga mais, é este que lhes forma a opinião.



Publicado por Xa2 às 00:07 | link do post | comentar

13 comentários:
De Estes sucialistas não representam o povo a 7 de Outubro de 2010 às 15:14
revolta qualquer um, excepto o Sr. Deputado, claro........
http://aeiou.expresso.pt/crise-deputado-esfomeado-reivindica-jantar=f607362

"Crise: Deputado esfomeado reivindica jantar na cantina da AR

O deputado do PS Ricardo Gonçalves gostava de ter a cantina da AR aberta ao jantar. Isto porque 3700€/mês que aufere "não dão para tudo".

Fiquei com um "aperto no coração" ao ler isto.
Tiago Mesquita (www.expresso.pt) 5.10. 2010

Pensava que nada me podia surpreender na política, mas eis que um deputado me acorda para a triste realidade: Portugal.

O absurdo é o limite.
O horizonte da estupidez ganha novos desígnios e contornos todo o santo dia.
À ''franqueza'' do presidente do Ps, Almeida Santos que diz algo como: «se o governo faz sacrifícios (...), o povo também deve fazer !», e aos actos do deputado (Ps) Ricardo Rodrigues dos gravadores (que retirou aos jornalistas que o entrevistavam e meteu ao bolso...), junta-se agora o deputado (Ps) Ricardo Gonçalves das refeições.

Este afirma que o que lhe põem no bolso não chega para tudo, mesmo que seja um valor a rondar os 3700€/ mês. Uma miséria.
"Se abrissem a cantina da Assembleia da República à noite, eu ia lá jantar. Eu e muitos outros deputados da
província. Quase não temos dinheiro para comer"
Correio da Manhã (vou fazer uma pausa para ir buscar uns kleenex...)

O corte de 5% nos salários irá obrigá-lo, como deputado da província", a apertar o cinto e consequentemente o estômago, levando-o
a sugerir com ironia mas com seriedade (!?) a abertura da cantina da AR para poder jantar.
Uma espécie de Sopa dos Pobres mas sem pobres e
sem vergonha.
Só com políticos, descaramento e sopa.

"Tenho 60 euros de ajudas de custos por dia. Temos de pagar viagens, alojamento e comer fora.
Acha que dá para tudo? Não dá". valerá a pena
acrescentar alguma coisa? Não me parece.
Só dizer que as almôndegas que comi ao jantar não se vão aguentar no estômago durante muito tempo depois de ter feito copy/paste desta declaração

Mas continuando a dar voz ao Sr.Deputado: "Estamos todos a apertar o cinto, e os deputados são de longe os mais atingidos na carteira".

Pois é, coitadinhos, andam todos a pão e água. Alguns são meninos para largar os bifes do Gambrinus.
Bem sabemos que os grandes sacrificados do novo pacote de austeridade do Governo vão ser os senhores deputados.
Ninguém tinha dúvidas quanto a isto. E ajuda a explicar o "aperto de coração" que o Primeiro-Ministro sentiu ao ter de tomar estas "medidas duras". Sabia
perfeitamente que ao fazê-lo estava a alterar os hábitos alimentares do Sr. Deputado Ricardo Gonçalves, o que é lamentável.

Que tal um regresso à província com o ordenado mínimo e um pacote senhas do Macdonalds?
Ser deputado não é o serviço militar obrigatório.
Pela parte que me toca de cidadão preocupado está
dispensado. Não o quero ver passar necessidades.

Há quem sobreviva com pensões de valor equivalente a 4 dias de ajudas de custo do senhor deputado. Quem ganha o ordenado mínimo está habituado a privações, paciência. Agora com 3700€ por mês e 60€/dia de ajudas compreendo que seja mais difícil saber onde cortar.

Podíamos começar por cortar na pouca-vergonha. Mas isso seria pedir demais. "


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 7 de Outubro de 2010 às 16:42
E podemos ir à cantina da Assembleia da República almoçar? E por 4,5 Euros como os 'tadinhos' dos deputados?
E alguém me explica como é que ganhar menos dinheiro e pagar mais impostos é bom para o povo?
E alguém me explica porque é que se a crise financeira tendo sido criada pela especulação de Bancos, Seguradoras e afins através de má gestão, aplicações em mercados virtuais com dinheiro real, etc... tem de ser paga pelo cidadão comum? E já agora onde está o dinheiro real que foi aplicado nos novos mercados emergentes (virtuais)? Evaporou?


Comentar post

MARCADORES

administração pública

alternativas

ambiente

análise

austeridade

autarquias

banca

bancocracia

bancos

bangsters

capitalismo

cavaco silva

cidadania

classe média

comunicação social

corrupção

crime

crise

crise?

cultura

democracia

desemprego

desgoverno

desigualdade

direita

direitos

direitos humanos

ditadura

dívida

economia

educação

eleições

empresas

esquerda

estado

estado social

estado-capturado

euro

europa

exploração

fascismo

finança

fisco

globalização

governo

grécia

humor

impostos

interesses obscuros

internacional

jornalismo

justiça

legislação

legislativas

liberdade

lisboa

lobbies

manifestação

manipulação

medo

mercados

mfl

mídia

multinacionais

neoliberal

offshores

oligarquia

orçamento

parlamento

partido socialista

partidos

pobreza

poder

política

politica

políticos

portugal

precariedade

presidente da república

privados

privatização

privatizações

propaganda

ps

psd

público

saúde

segurança

sindicalismo

soberania

sociedade

sócrates

solidariedade

trabalhadores

trabalho

transnacionais

transparência

troika

união europeia

valores

todas as tags

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS