5 comentários:
De DD a 6 de Outubro de 2010 às 14:57
Nesse estudo parece que será criada uma Freguesia de Telheiras na qual estaria incluído o cemitério do Lumiar, o largo e Igreja de S. Sebastião, o Paço do Lumiar com o Museu do Traje, etc.

Ora isso é inaceitável e inconcebível, pois historicamente aquela zona é que é o Lumiar desde a sua fundação há muitos séculos atrás.

Não devemos aceitar uma Freguesia de Telheiras, mas juntar Lumiar atual, Ameixoeira e Charneca numa só Freguesia e reduzir ainda mais o número de Freguesias para que possam ter alguma autonomia administrativa e custar menos ao erário público, mesmo que se perca uma série de tachos para eleitos e funcionários.


De Zé T. a 6 de Outubro de 2010 às 15:32
essa hipótese é um dos tipos de complicações e cedências ('capelas', 'quintas', nomes de lugarzitos com desejos de grandeza de papel, afectividades pacóvias, ...) que existem nesta tentativa de re-estruturação... e que poderão deitar tudo a perder...

outro caso será 'Parque das Nações' como nova freguesia;
ou a 'luta surda' entre 'Castelo-Alfama' e Mouraria, ...
para se agregarem ou dividirem entre si 'pedras-e-bandeiras', nomes-e-apoiantes, mais áreas-limites de coisa nenhuma ...

tudo coisinhas de gentinha pequenina e seus pequenos poderes e brinquedos ...
em vez de pensarem em termos de cidadania, de Lisboa, de qualidade de vida em geral nUM município, de melhor serviço público, com menos custos, ...


De municípe chateado ! a 6 de Outubro de 2010 às 15:51
Historicamente uma ova... de somenos importância !

-O que me interessa a mim que em ''Telheiras-PaçoLumiar'' tenha existido um assentamento pré-histórico (como o atestam as 'ostreiras' do 'planalto'), ou que o Lumiar tenha pertencido ao município de Olivais (sim!, também é verdade), ou que nos campos do futuro Paço Lumiar-A.Faia tenham acampado os sitiantes Castelhanos ....?!!

A mim, contribuinte-cidadão habitante neste município, o que primeiro me interessa é que na minha vizinhança, no meu município, exista Qualidade de Vida, com jardins públicos, com vias em bom estado, com escolas, centros de saúde, estações de metropolitano, estacionamentos, policiamento, segurança, ...

e o que NÃO QUERO são cocós de cão, são IMI de ladrões, são abusivas taxas de esgoto acopladas a garagens autónomas sem água nem electricidade, são burocracias excessivas que fazem perder a carteira e a paciência de qualquer um, ...


De Zé T. a 6 de Outubro de 2010 às 15:17
o número de freguesias (com poderes/competências alargadas, tipo 'mini-municipios' ou 'municipios de 2ª/3ªclasse') não deveria ser superior às 9 unidades locais ou distritos urbanos (tal como os ''arrrondissements'' de Paris, ...).

Se assim não for (devido às 'capelinhas e quintas' partidárias...) mais vale ficar quieto quanto às competências/poderes e, simplesmente, reduzir drasticamente o orçamento/verbas e nº de eleitos das freguesias existentes ...

Passar de 52 para 29 freguesias é reduzir a treta para meia-treta !!
e, no entretanto, complicar tudo, zangar-se com vários, ceder onde não se deve, ... !!
não vai resolver o problema, talvez até crie maias problemas e custos ...!!

Em qq caso, a reforma administrativa dos serviços e empresas municipais (de Lisboa e muitos outros municípios) deve avançar rapidamente, reduzindo o nº de unidades/subunidades orgânicas, o nº de chefias e direcções, reduzindo a burocracia e actividades sobrepostas/concorrentes, reduzindo custos ... e impostos (IMI, taxas, ...) aos seus munícipes !!

As organizações deveriam ter sempre presente o princípio : KIS - keep it simple ! SEJA SIMPLES, pois complicar é fácil mas custa demasiado !!


De . a 12 de Outubro de 2010 às 09:16
Mario , | 11/10/10 22:02

Falando sériamente, penso que até se podia eliminar este nível de governo local .
(especialmente nas sedes de concelho, aqui as freguesias são aberrações !!).
Na prática as freguesias nunca tiveram poder.

Se as câmaras estão sobredimensionadas de funcionários, e passando alguns trabalhadores das actuais freguesias para as câmaras, podiaqm estas ficar com as competências das juntas.

Hoje em dia, ir à junta ou à câmara, e com serviços eléctrónicos, é relativamente próximo para qualquer pessoa.

Além do que seria mais formal. Uma presidente da junta dizia-me que lhe aparecem senhoras a pedir ...? declaração mpara subsídio de desemprego do marido....e que o marido não pode ir à junta de freguesia porque está a trabalhar em Espanha! .....e a Junta acaba por passar pois são todos vizinhos!!
E assim, grão a grão se afunda o país.

FM , TV | 11/10/10 21:52

Em Lisboa, 9 freguesias chegavam, e sobre as unidades de gestão tenho muitas dúvidas.

No fim vão ficar 50 freguesias e mais 15 unidades de gestão, isto é, vai ainda ficar mais caro aos munícipes em especial e aos contribuintes em geral.

Só acredito vendo ...

jose M , | 11/10/10 21:27
Concordo, se olharmos para o mapa de lisboa podemos ver a miriade de micro-freguesias concentradas na zona velha da cidade com freguesias com freguesias gigantes em comparacao na orla.

Discordo com os comentarios dos que querem a reducao das camaras municipais.
O interior do pais ja se esta a despovoar e as camaras sao os unicos organismos que teem feito algo para evitar esse despovoamento tudo fazendo para atrair investimento e promover a melhoria de condicoes de vida da populacao local.

Sem elas estaremos a fazer ermos desabitados e virtualmente abandonados de boa parte do interior portugues.


Comentar post