De Câmara no sacanço aos Lisboetas !! a 27 de Outubro de 2010 às 16:46
JÁ ME ESTÃO A IR AO BOLSO
(-por Manuel Falcão, Metro, 26.10.2010)

Aqui há cerca de um ano os eleitores de Lisboa foram
a votos e António Costa foi o vencedor, por reduzida
margem, aliás. Fez uma campanha essencialmente
pró-governamental:
por exemplo defendia que a terceira ponte tivesse utilização automóvel, trazendo mais carros para a cidade;
defendia que o aeroporto saísse da Portela;
defendia o contrato do novo terminal de contentores de Alcântara.

Nenhuma destas medidas era favorável para a cidade, todas pioravam a qualidade de vida dos seus habitantes.

No geral, António Costa associou-se, na sua campanha, aos projectos de grandes obras públicas, e à transformação da cidade. O maior sinal desta transformação, nestes seus anos à frente da Câmara, está plantado no feio deserto em que o Terreiro do Paço foi transformado e
no funcionamento da EMEL (abusivo e lesivo dos habitantes da cidade) e ineficaz nos resultados alcançados – quem não se lembra da
promessa do fim do estacionamento em dupla fila, já lá vão quase três anos?
António Costa prometeu muito durante a sua campanha eleitoral, mas tem cumprido muito pouco do que tem prometido.

Curiosamente, uma coisa que ele não prometeu, mas que foi rápido a fazer, foi ir ainda mais ao bolso dos lisboetas.
Na semana passada os moradores de Lisboa começaram a receber nas facturas de gás a cobrança de uma taxa de ocupação de subsolo.
Quer dizer, a Câmara resolveu cobrar a utilização do subsolo pela empresa que faz a distribuição do gás. Os consumidores já pagam o serviço que recebem – mas agora têm também de pagar à Câmara para
poderem ter gás canalizado em casa.

Quem vive em Lisboa, quem aqui paga IRS, eventualmente IMI e IMT, quem paga as taxas de instalação e revisão do gás (com os abusos que se conhecem…), a taxa de Resíduos Sólidos, quem paga a própria factura do fornecimento, tem agora que pagar mais uma taxa.

Aqui está o que é a governação de António Costa – ir-nos ao bolso logo que arranja pretexto.
Assim se promove o repovoamento de Lisboa.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres