5 comentários:
De Verdades? a 30 de Outubro de 2010 às 19:06
Em Portugal há um proverbio que diz "quem sai aos seus não degenera" cuidado DD, será que o amigo degenerou?

As "verdades" mesmo quando existem não são absolutas.



De DD a 30 de Outubro de 2010 às 20:44
Sou capaz de me ter degenerado e tornado muito latino, o que nem considero defeito algum.


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 31 de Outubro de 2010 às 11:25
«Eu, que sou de origem alemã, sei que os alemães são gente perigosa, principalmente quando têm poder na mão. Cuidado pois com os alemães e, principalmente, com a bruxa.»
Será que uma cobra que em pequena vai para um galinheiro, ao fim duns anos, ao ficar adulta e velha, torna-se numa galinha? Não será que quem nasce cobra, morre cobra?

Este post do DD, e o post acima do Público, abordam o mesmo tema, parece que concluem de forma idêntica, mas não são a mesma coisa. O post do jornal Público é sério, não tem falsas premissas. É discutível, como tudo na vida, mas não é habilidoso nem tendencioso.

Este post do DD é tendencioso e manipulativo. Pega em verdades indiscutíveis e mistura opiniões facciosas (para não dizer maldosas e segregacionistas) e onde sobressaem os já habituais ódios particulares do postante, para baralhar com as verdades ditas e chegar a conclusões falaciosas. A pior mentira que há, porque é a mais perigosa, é aquela que usa partes da verdade para enganar os outros.
E tem um vício enganoso terrível que é tomar a parte pelo todo.
Mostra ainda a arrogância do personagem. Leiam como ele começa: «Neste blog ninguém aprende nada».
Foi assim que Hitler fez no século passado aproveitando alguns judeus dominarem a finança alemã para iniciar um genocídio… E muitos outros grandes e pequenos ditadores fizeram no passado e fazem no presente muitas «democraticamente» …
É por isso que, por exemplo, não vale aos políticos gritarem «sou honesto, sou honesto…» porque a prática mostra como governaram e a ostentação da riqueza, após os poucos anos de exercício em cargos públicos, mostra como se governaram eles e os seus familiares e apaniguados, mesmo que as «leis» os legitimem ou os não investiguem por, por exemplo, terem caducados os prazos legais…
Tal como ao DD não vale a pena gritar «sou galinha, sou galinha…» porque quem nasce alemão, morre alemão…


De DD a 31 de Outubro de 2010 às 15:40
Aqui ninguém compreende nada.
Eu só pretendo explicar o óbvio, isto é, que a crise mundial e nacional, o desemprego e a falta de crescimento económico de Portugal não são culpa do Partido Socialista e do seu Governo e, menos ainda, desejadas por ambos, mas uma consequência do grande princípio económico que norteia o mundo de hoje: o trabalhador mais explorado destrói o posto de trabalho do menos explorado. Daí que defenda o levantamento de barreiras alfandegárias para proteger as indústrias dos 501 milhões de residentes na União Europeia.


De Apartidario a 31 de Outubro de 2010 às 16:30
Claro que a culpa é dos outros. Se não fosse dos outros seria de quem, nossa?
Claro que não é nossa nunca é nossa.´Nós somos um pais pequenino que pura e simplesmente vive a deriva dos mercados internacionais .

Claro que temos culpas no cartório
Claro que a culpa não é só nossa, vivemos numa europa que supostamente teria o objectivo de aproximar todos os países da União Europeia pregando o mesmo nível de vida, o mesmo poder de compra que os países como a Alemanha e afins.
Nos últimos 20 anos vivemos todos vidrados nessa promessa de melhor vida no nosso pais, sem a necessidade de emigrar, com a ilusão de poder mos comprar casas e carros e vivermos a grande e a alemã.
Vieram dar-nos rios e rios de dinheiro que foram bem aplicados por um lado em infra-estruturas , mas que foram completamente deitados a rua quando se pedia uma modernização da industria portuguesa uma modernização da maquina produtora de um pais que tem tanta coisa boa. Para o dia em que a torneira fechar estarmos a produzir a um nível equiparado a restante Europa .

Quando em 2013 a torneira se fechar e termos de ser nós a contribuir para as polónias eslovenias e romenias ai sim ... vai haver revolução social, porque não vai haver euros para nós mas seremos obrigados a dar euros a eles.

Nós não aproveitamos nestes 20 anos não vai ser nos próximos que vamos aproveitar.
Podemos dizer que a culpa é dos outros poderá ser.
mas o $$ esteve nas nossas mãos e não aproveitámos.







Comentar post