2 comentários:
De Ao ponto q.isto chegou ! a 20 de Dezembro de 2010 às 15:58
Até custa a crer que possa ter credibilidade, reflecte falta de pudor
e é de uma imoralidade assustadora com ou sem crise

Global.



Assunto: Ao ponto a que se chegou!


Por cada reunião do conselho de administração das cotadas do PSI-20,
os administradores não executivos - ou seja, sem funções de gestão -
receberam 7427 euros. Segundo contas feitas pelo DN, tendo em conta os
responsáveis que ocupam mais cargos deste tipo, esta foi a média de
salário obtido em 2009.

Daniel Proença de Carvalho, António Nogueira Leite, José Pedro
Aguiar-Branco, António Lobo Xavier e João Vieira
Castro são os "campeões" deste tipo de funções nas cotadas, sendo que
o salário varia conforme as empresas em que "trabalham".

Proença de Carvalho é o responsável com mais cargos entre os
administradores não executivos das companhias do PSI-20, e também o
mais bem pago. O advogado é presidente do conselho de administração da
Zon, é membro da comissão de remunerações do BES, vice-presidente da
mesa da assembleia geral da CGD e presidente da mesa na Galp Energia.
E estes são apenas os cargos em empresas cotadas, já que Proença de
Carvalho desempenha funções semelhantes em mais de 30 empresas.
Considerando apenas estas quatro empresas (já que só é possível saber
a remuneração em empresas cotadas em bolsa), o advogado recebeu 252
mil euros. Tendo em conta que esteve presente em 16 reuniões, Proença
de Carvalho recebeu, em média e em 2009, 15,8 mil euros por reunião.

O segundo mais bem pago por reunião é João Vieira Castro (na
infografia, a ordem é pelo total de salário). O advogado recebeu, em
2009, 45 mil euros por apenas quatro reuniões, já que é presidente da
mesa da assembleia geral do BPI, da Jerónimo Martins, da Sonaecom e da
Sonae Indústria.



Segue-se António Nogueira Leite, que é administrador não executivo na
Brisa, EDP Renováveis e Reditus, entre outros cargos.
O economista recebeu 193 mil euros, estando presente em 36 encontros
destas companhias. O que corresponde a mais de 5300 euros por reunião.

José Pedro Aguiar-Branco é outro dos "campeões" dos cargos nas cotadas
nacionais. O advogado é presidente da mesa da Semapa (que não divulga
o salário do advogado), da Portucel
e da Impresa, entre vários outros cargos. Por duas AG em 2009,
Aguiar-Branco recebeu 8080 euros, ou seja, 4040 por reunião.

Administrador não executivo da Sonaecom, da Mota-Engil e do BPI,
António Lobo Xavier auferiu 83 mil euros no ano passado (não está
contemplado o salário na operadora de telecomunicações, já que
nãoconsta do relatório da empresa). Tendo estado presente em 22
encontros dos conselhos de administração destas empresas, o advogado
ganhou, por
reunião, mais de 3700 euros.

Apesar de desempenhar apenas dois cargos como administrador não
executivo, o vice-reitor da Universidade Técnica de Lisboa, Vítor
Gonçalves, recebeu mais de 200 mil euros no ano passado. Membro do
conselho geral de supervisão da EDP e presidente da comissão para as
matérias financeiras da mesma empresa, o responsável é ainda
administrador não executivo da Zon, tendo um rácio de quase 5700 euros
por reunião. dn.pt, 16 Abril

Nota: não haverá por acaso qualquer ligação entre isto, o "déficit", e
a situação de total descalabro do país? Se estes senhores são tão bons
para ganharem tanto dinheiro só para assistirem a reuniões e
manifestarem as suas opiniões, como pode o país destes senhores
encontrar-se no estado em que se encontra? Qual é o real valor, a
credibilidade e o reconhecimento internacional destes senhores tão bem
pagos e que andam há tantos anos "por aí" na vida política e
empresarial portuguesa? (estas "dúvidas" estendem-se aos
administradores executivos que sempre farão um pouco mais que assistir
a reuniões e mandar "palpites"... e por isso sempre ganharão um pouco
mais)

É (deveria ser!) urgente varrer este País...


E, ESTOU EU EM CRER, QUE ALGUNS DESTES SENHORES TERÁ CANTADO NA SUA JUVENTUDE...

!... ELES COMEM TUDO, ELES COMEM TUDO!

... E NÃO DEIXAVAM NADA PARA MIM...!!!"

Insurge-te...!!!


De DD a 18 de Dezembro de 2010 às 20:02
No Expresso, um gajo qualquer faz um grande elogio aos atuais governantes do Reino Unido que terão ido para o poder com os dossiês prontos e afinados, sabendo o que queriam fazer.
Curiosamente, os estudantes revoltaram-se e destruíram portas, montras, janelas e interiores da sede do Partido Conservador e noutras manifestações até apedrejaram o Rolls do príncipe Carlos e da Camila.
O palerma do Expressa chama a isto saber o que deveriam fazer e ter dossiês preparados.


Comentar post