3 comentários:
De DD a 17 de Dezembro de 2010 às 19:24
Por questões formais, saíram em liberdade onze membros do gang do multibanco que assaltaram mais de 100 caixas multibanco e roubaram uns dois milhões de euros. Só um foi preso por posse de arma ilegal.
Também por questões formais, o assassino CONFESSO de uma freira de 66 anos de idade foi posto em liberdade. A confissão assinada foi desvalorizada pelos juízes. Então vale menos que uma escuta telefónica velha de 7 anos?
Por isso, qualquer militante do PS acusado em carta anónima não pode deixar de referir a questões formais e processuais.
Em Portugal há, sem dúvida, um excesso de impunidade para com os verdadeiros criminosos, os que matam e assaltam.


De Izanagi a 17 de Dezembro de 2010 às 20:55
Para DD um acto criminoso é aceitável e isento de sanção, desde que exista alguma questão formal, ainda que apenas de interpretação subjectiva, que não seja respeitada.
Da mesma forma DD preocupa-se, e bem, que ladrões de caixas multibanco, cujos roubos se aproximaram dos 2 milhões de euros, por questões formais não tivessem sido condenados em primeira instância (mas pode ficar descansado que o julgamento vai ser repetido) mas nunca lhe ouvi qualquer palavra e muito menos condenação pelos ladrões de bancos que os assaltam por dentro, tipo BPN ou BPP. Esse são ladrões engravatados, que até foram políticos de relevo e por isso merecem o seu (não o meu) perdão.
Para DD a questão não está na substância, mas tão só na forma. Não me surpreende. Compreendo perfeitamente a atitude corporativa.


De DD a 18 de Dezembro de 2010 às 00:11
Não percebeste pá. Eu estou a referir-me à ausência de uma justiça equitativa, igual para todos, de olhos vendados sem saber quem é quem, mas sim quem praticou algo de criminoso e quais as provas.
O cartão do PS é, sem dúvida, um passaporte para ser perseguido através de uma qualquer carta anónima.
Uma confissão assinada pode não ter valor algum. Em ambos os casos pode haver criminosos e nesse caso devem ser julgados e condenados.
Um grupo de gajos encapuçados assaltam 100 caixas multibanco e não são condenados porque não se sabe ao certo qual deles fez o quê quando é óbvio que todos fizeram o mesmo.
Uma carta anónima é já uma prova.
Quanto aos gajos do BPN e BPP, eles devem ser julgados com toda a severidade e deve ser apurado o que roubaram e onde está o dinheiro.
Acho mesmo que é indispensável acabar com a liberdade de circulação de dinheiro para fora da UE e parece que há legislação nesse sentido e algo no OE também.
Para além disso, não tenho interesse nenhum em atacar o PS e seus militantes. Para isso há uma vasta oposição, a esmagadora maioria dos meios de comunicação social e quase toda a justiça, além de muita outra gente. Atacar o PS é ir ao sabor de uma corrente fria e gelada como o tempo atual .
Houve aí um gajo que falou nos 50 mil militantes comprados em Coimbra quando o partido tem atualmente em todo o País e no resto Mundo 77.553 militantes inscritos. Como podiam estar 50 mil em Coimbra.


Comentar post