De .Ao q.isto chegou !. a 21 de Dezembro de 2010 às 15:45

Até custa a crer que possa ter credibilidade, reflecte falta de pudor e é de uma imoralidade assustadora com ou sem crise Global.

Assunto: Ao ponto a que se chegou!

Por cada reunião do conselho de administração das cotadas do PSI-20 (as 20 maiores empresas cotadas na bolsa portuguesa), os administradores não executivos - ou seja, sem funções de gestão - receberam 7427 euros. Segundo contas feitas pelo DN, tendo em conta os responsáveis que ocupam mais cargos deste tipo, esta foi a média de salário obtido em 2009.

Daniel Proença de Carvalho, António Nogueira Leite, José Pedro Aguiar-Branco, António Lobo Xavier e João Vieira Castro são os "campeões" deste tipo de funções nas cotadas, sendo que o salário varia conforme as empresas em que "trabalham".

Proença de Carvalho é o responsável com mais cargos entre os administradores não executivos das companhias do PSI-20, e também o mais bem pago. O advogado é presidente do conselho de administração da ZON, é membro da comissão de remunerações do BES, vice-presidente da mesa da assembleia geral da CGD e presidente da mesa na Galp Energia.
E estes são apenas os cargos em empresas cotadas, já que Proença de Carvalho desempenha funções semelhantes em mais de 30 empresas. !!!

Considerando apenas estas quatro empresas (já que só é possível saber a remuneração em empresas cotadas em bolsa), o advogado recebeu 252 mil euros.
Tendo em conta que esteve presente em 16 reuniões, Proença de Carvalho recebeu, em média e em 2009, 15,8 mil euros por reunião.

O segundo mais bem pago por reunião é João Vieira Castro (na infografia, a ordem é pelo total de salário). O advogado recebeu, em 2009, 45 mil euros por apenas quatro reuniões, já que é presidente da mesa da assembleia geral do BPI, da Jerónimo Martins, da Sonaecom e da Sonae Indústria.

Segue-se António Nogueira Leite, que é administrador não executivo na Brisa, EDP Renováveis e Reditus, entre outros cargos.
O economista recebeu 193 mil euros, estando presente em 36 encontros destas companhias. O que corresponde a mais de 5300 euros por reunião.

José Pedro Aguiar-Branco é outro dos "campeões" dos cargos nas cotadas nacionais. O advogado é presidente da mesa da Semapa (que não divulga o salário do advogado), da Portucel e da Impresa, entre vários outros cargos. Por duas AG em 2009, Aguiar-Branco recebeu 8080 euros, ou seja, 4040 por reunião.

Administrador não executivo da Sonaecom, da Mota-Engil e do BPI, António Lobo Xavier auferiu 83 mil euros no ano passado (não está contemplado o salário na operadora de telecomunicações, já que não consta do relatório da empresa).
Tendo estado presente em 22 encontros dos conselhos de administração destas empresas, o advogado ganhou, por reunião, mais de 3700 euros.

Apesar de desempenhar apenas dois cargos como administrador não executivo, o vice-reitor da Universidade Técnica de Lisboa, Vítor Gonçalves, recebeu mais de 200 mil euros no ano passado. Membro do conselho geral de supervisão da EDP e presidente da comissão para as matérias financeiras da mesma empresa, o responsável é ainda administrador não executivo da Zon, tendo um rácio de quase 5700 euros por reunião. dn.pt, 16 Abril

Nota:
- não haverá por acaso qualquer ligação entre isto, o "déficit", e a situação de total descalabro do país?

Se estes senhores são tão bons para ganharem tanto dinheiro só para assistirem a reuniões e manifestarem as suas opiniões,
como pode o país destes senhores encontrar-se no estado em que se encontra?
- Qual é o real valor, a credibilidade e o reconhecimento internacional destes senhores tão bem pagos e que andam há tantos anos "por aí" na vida política e empresarial portuguesa?

(estas "dúvidas" estendem-se aos administradores executivos que sempre farão um pouco mais que assistir a reuniões e mandar "palpites"... e por isso sempre ganharão um pouco mais+++)

E são estes senhores as referências ''intelectuais e morais'', os deputados e ex-governantes deste Portugal, os ''exemplos'' para a juventude e cidadãos em geral, os fazedores de opinião e de leis... .

É (deveria ser!) urgente LIMPAR este País...


!... ELES COMEM TUDO, ELES COMEM TUDO!

... E NÃO DEIXAM NADA ...!!!"

REVOLTA -te...!!!


De Aldrabões e Ladrões p'rá PRISÃO, já. a 22 de Dezembro de 2010 às 12:17

Ernst & Young e o Lehman Brothers

A Ernst & Young é uma firma de auditoria das mais conceituadas mundialmente, portanto, de acordo com os ensinamentos da actual crise... é uma séria candidata a firma das mais FRAUDULENTAS do conceituadíssimo mercado global.
Vejamos o que diz The Wall Street Journal que invoca uma fonte do gabinete do promotor público de Nova Iorque, Andrew Cuomo:
“A Ernst & Young vai ser PROCESSADA pelas autoridades norte-americanas por ter colaborado no ENCOBRIMENTO da real situação financeira do banco Lehman Brothers - que faliu em 2008.”

“A Ernst & Young deu cobertura a este tipo de transacções [acções fraudulentas para encobrir a verdadeira situação do Lehman] ao longo de quase uma DÈCADA.
E, nos relatórios de auditoria às contas do banco, nunca alertou os clientes e os investidores para o facto de este tipo de operações esconder o verdadeiro nível de risco da instituição e mostrar um quadro financeiro muito mais saudável do que realmente existia na prática” [Link]

Mas afinal porque “errava” a firma de auditoria cujo lema é, como se vê na imagem, "Qualidade em tudo o que fazemos"?
Bem… era o (banco) Lehman (e outros) que lhe ENCOMENDAVA os relatórios e lhe "PAGOU mais de 100 milhões de dólares" por eles.

Moral da estória:
as "actividades" do Lehman Brothers, da Ernst & Young, das agências de rating, a MANIPULAÇÂO criativa dos produtos financeiros pela Wall Street em geral, durante os 30 anos da DESREGULAÇÂO financeira atingiram o objectivo pretendido:
transferiram BILIÕES de dólares dos bolsos da massa anónima das CLASSES MÉDIAS e TRABALHADORES (das suas pensões, poupanças e impostos) para os BOLSOS dos mais RICOS e de uma nova aristocracia de parvenues:
consultores, gestores de fundos, administradores de bancos e seus cúmplices.
EMPOBRECERAM dezenas ou centenas de MILHÕES de pessoas e tornaram fabulosamente ricos uns quantos milhares de especuladores.

Mais moral da estória:
apesar de tudo, nos EUA alguns dos conceituadíssimos MAFIOSOS acabam na prisão.
Cá, é que estamos para ver o que sucede aos 'bons rapazes' do BPN e do BPP... e seus amigos e beneficiários, que 'nada viram/olharam para o lado', que os defendem/ram, lucram/ram ... e ficaram 'bem na vida'..

Etiquetas: A Ernst e Young, Lehman Brothers.
# posted by Raimundo Narciso , PuxaPalavra
-------------------------------------

Estes ''competitivos, competentes e excelentes rapazes'', ''gestores dourados'', defensores do ''emagrecimento do Estado'' e dos ''nossos impostos'', dos ''mercados'' desregulados e do neoliberalismo...
e estas ''Agências de Rating'', ''Auditores'', ''Contabilistas'', ''Banqueiros'', ''Especuladores'', ''Correctores da Bolsa'' e seus apaniguados defensores (juristas, economistas, políticos, doutores/mentores, comentadores/fazedores de opinião) ...
merecem a PRISÃO e a confiscação de seus bens (próprios, em nome de interposta pessoa, ou em off-shore).


De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 22 de Dezembro de 2010 às 12:28
Eu não diria melhor..
Todos estes nossos «queridos» e «respeitáveis» vigaristas e quem lhes dá cobertura, para a prisão, já!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres