4 comentários:
De DD a 11 de Fevereiro de 2011 às 22:44
A Galp é hoje uma multinacional portuguesa com negócios na prospecção, exploração, refinação e distribuição de todos os combustíveis e fabrico de óleo lubrificantes. Expandiu-se, encontrou petróleo em Angola e no Brasil e ganha com isso.
Há portugueses que acham que uma grande empresa só deve ser americana ou alemã ou de outro país que conseideram civilizado em contraste com Portugal.
Mário Crespo criticou hoje o lucro da Galpa referindo-se à estatal Galp quando esta empresa é maioritariamente privada com uma pequena, mas significativa, participação, da CGD e do Estado.
A Galp prepara-se para explorar gás natural na plataforma continental ao largo do Algarve e pode tornar Portugal independente da importação desse gás limpo que alimenta os nossos fogões e esquentadores e faz funcionar as centrais térmicas.
Os estúpidos têm estado a combater essa possibilidade com pretensos argumentos ecológicos quando a independência energética do País é da máxima importância.Esses estúpidos estão sempre ao serviço dos interesses estrangeiros.


De Izanagi a 11 de Fevereiro de 2011 às 15:29
concordo com tudo o que FV escreve, com excepção do último parágrafo. Não é por este Blog que temos a actuação do governo ( e talvez mesmo este governo)que temos.
Com algumas excepções os "postantes" do Blog não são "carneiros" nem yesman. E veja-se o meu caso, em que a quase totalidade dos post que tenho colocado são para chamar a atenção de más opções do governo e do PS, se é que ainda há PS.
Um espírito atento e crítico, sem medo , independente como FV faz falta em qualquer Blog e por maioria de razão neste.
Espero que a decisão tenha sido a "quente" e que não seja irredutível.


De Parcerias P-P ruinosas... a 11 de Fevereiro de 2011 às 15:07
Negócios pouco saudáveis
- por João Rodrigues

José Sócrates com Mello em pano de fundo.

Parece que o grupo Mello contratou o gestor público que fiscalizava o contrato da sua parceria público-privada no Hospital de Braga para trabalhar no hospital de Vila Franca de Xira, mais uma parceria.

Boas práticas de captura em linha com o capitalismo mais avançado.
É a vida de quem retira o Grupo Mello da gestão do hospital Amadora-Sintra, entregando-lhe como prémio pela má gestão novos hospitais.

Parcerias público-privadas de duvidosa vantagem para o interesse público, mas com muitas vantagens para o interesse privado que assim coloniza um dos sectores mais apetitosos.

Afinal de contas, uma responsável do Espírito Santo Saúde já tinha afirmado à RTP, em 2007, que “melhor negócio do que a saúde só mesmo a indústria do armamento”.

Já agora, aproveito para recomendar este artigo de João Semedo e Sofia Crisóstomo.


De Esquerda.net a 11 de Fevereiro de 2011 às 15:39
« SNS - Nem rosa velho, nem laranja choque. A resposta da esquerda», João Semedo e Sofia Crisóstomo. Socialismo 2010.
A saúde é um direito a preservar !
em: http://www.esquerda.net/virus/media/virus1107.pdf





Comentar post