Domingo, 13 de Fevereiro de 2011

Ainda a Quinta/Jardim de Santa Clara, na Ameixoeira

Fez, no passado dia 11 do corrente um ano que o vereador dos espaços verdes José Sá Fernandes, se deslocou à Ameixoeira, conforme a seu tempo aqui no LUMINÁRIA noticiamos e, no Instituto Superior de Gestão (ISG) fez a respectiva apresentação do projecto de requalificação do espaço publico, há muito dotado ao abando e em estado adiantado de degradação no coração da Ameixoeira, a quinta Jardim de Santa Clara. 

O Estudo prévio do Jardim de Santa Clara e Plano de Acção Territorial (PAT) da Ameixoeira foi apresentado e no decurso do debate foi referido que o mais importante é que, conforme foi, apresentado pelo chefe da divisão de matas da autarquia, João Castro, o estudo prévio prevê a instalação de um parque infantil, de um quiosque que inclui casas de banho públicas e com esplanada e de uma área dedicada à fruição infantil e juvenil, adequada a bicicletas e patins será lançado o projecto a concurso de execução das obras em Setembro do corrente ano e no próximo ter a obra pronta, disse Sá Fernandes, na sequência da pergunta feita por um dos moradores.

O que falhou para que, como tantas vezes e quase sempre, não tivessem cumprido com a palavra publicamente dada? Será que são compulsivamente mentirosos?

O estranho, tanto quanto é do conhecimento público, nem executivo ou tão pouco a Assembleia da Freguesia pareçam ou demonstrem qualquer preocupação ou desagrado. É caso para nos perguntarmos o que andarão a fazer se não manifestam qualquer preocupação com a defesa dos interesses dos fregueses e do património (até do histórico) da freguesia?



Publicado por Zé Pessoa às 11:28 | link do post | comentar

2 comentários:
De Toda a gente conivente a 13 de Fevereiro de 2011 às 19:32
A passividade e "mansidão" já não é só dos eleitos alastrou-se, também , aos eleitores. Há um ano atrás , em tempo de eleições verificou-se uma certa agitação em que os próprios fregueses se envolveram, depois da promessa referida no post ninguém mais se preocupou a acompanhar o processo. Há manifesta conivência de toda agente incluindo do executivo com este desleixo.


De . a 14 de Fevereiro de 2011 às 12:42
SALVAR A QUINTA DAS CONCHAS

Quem por estes dias visitar a Quinta das Conchas fica a pensar que as árvores do seu pequeno bosque foram vendidas a algum madeireiro, tal é o frenesim com que estão a ser abatidas às dezenas, processo que se tem vindo a repetir nos últimos anos. Dizem que estão doentes, mas nesse caso estaremos perante uma epidemia local altamente contagiosa.

Há tempos António Costa prometeu aumentar a biodiversidade em Lisboa em 20%, mas não é aquilo a que se assiste na Quinta das Conchas e noutros parques de Lisboa, a não ser que a CML considere que se aumenta a biodiversidade plantando árvores exóticas. No caso deste parque de Lisboa assiste-se a um processo de empobrecimento contínuo, desde a sua criação à sua gestão tudo parece obedecer mais a critérios estéticos mais próprios de uma esteticista do que a qualquer preocupação com a biodiversidade. Alguém está a querer transformar a Quinta da Conchas e a Quinta dos Lilases num imenso prado inútil e sem vida, para se jogar futebol e levar cachorros a fazer xixi.

Jumento, 14.2.2011


Comentar post

MARCADORES

administração pública

alternativas

ambiente

análise

austeridade

autarquias

banca

bancocracia

bancos

bangsters

capitalismo

cavaco silva

cidadania

classe média

comunicação social

corrupção

crime

crise

crise?

cultura

democracia

desemprego

desgoverno

desigualdade

direita

direitos

direitos humanos

ditadura

dívida

economia

educação

eleições

empresas

esquerda

estado

estado social

estado-capturado

euro

europa

exploração

fascismo

finança

fisco

globalização

governo

grécia

humor

impostos

interesses obscuros

internacional

jornalismo

justiça

legislação

legislativas

liberdade

lisboa

lobbies

manifestação

manipulação

medo

mercados

mfl

mídia

multinacionais

neoliberal

offshores

oligarquia

orçamento

parlamento

partido socialista

partidos

pobreza

poder

política

politica

políticos

portugal

precariedade

presidente da república

privados

privatização

privatizações

propaganda

ps

psd

público

saúde

segurança

sindicalismo

soberania

sociedade

sócrates

solidariedade

trabalhadores

trabalho

transnacionais

transparência

troika

união europeia

valores

todas as tags

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS