Domingo, 27 de Fevereiro de 2011

Moção de Sócrates ao congresso - Governo, governo, governo, governo … o Partido morreu?, o socialismo passou a chamar-se liberalismo?

O secretário-geral do PS, José Sócrates, apresentou ontem a sua moção de estratégia ao próximo congresso (do partido) socialista, que decorrerá nos dias 8, 9 e 10 de Abril, após as directas para a liderança do partido a realizar nos 25 e 26 de Março

Além do actual Secretário-geral são, também candidatos Fonseca Ferreira, Jacinto Serrão e António Brotas. Estes, muito naturalmente (?) serão candidatos perdedores dado que, como sempre e mais uma vez, têm contra si na medida em que se encontra/m favor do primeiro, o aparelho partidário e a maioria dos militantes, sempre à espera de qualquer benesse ou favor mesmo ao nível de imagem pública e publicitaria.

Conforme declarações à Lusa por fonte partidária, a moção apresentada por Sócrates intitula-se «Defender Portugal, Construir o Futuro» e sublinha a importância da estabilidade política como «uma condição de respeito dos portugueses» no contexto de crise económica.

O que essa fonte não terá sido capaz de esclarecer é quem são os portugueses que são obrigados a suportar os custos da crie e quem são os que ficam fora de tais sacrifícios porque tais medidas se lhes não aplicam e a quem se atribuem (sempre os mesmos) carácter de excepcionalidade.

Vivemos a ilusão das luzes e dos arautos do mediatismo das passarelas televisivas e dos poderes, ainda que efémeros, muito apelativos.

Debate interno? O Presidente do Partido manda que cada um “faça-se eleger” e “apareça nos debates das Novas Fronteiras”, quanto a secções fechadas e abandonadas sem actividades ou acção militante, nem uma palavra, quanto à inércia das esturras internas concelhias e federativas na promoção de verdadeiro debate interno, para bem do partido, para garantia e reforço da democracia, para que de melhor forma o país saia da crise, é uma surdez ensurdecedora.

Temos um país a muitas velocidades e a demasiadas excepcionalidades e sempre os mesmos. Este tipo de socialismo o povo dispensaria de bom grado como também os socialistas, aqueles de convicção, aqueles que, apesar de tudo e de todas as circunstâncias, ainda se vão esforçando por nutrir algum respeito pelos princípios que enformam tal doutrina ideológica.



Publicado por Zé Pessoa às 20:02 | link do post | comentar

8 comentários:
De Zé das Esquinas, o Lisboeta a 28 de Fevereiro de 2011 às 10:18
O PS tem um líder que se considera indispensável ao partido.
O país tem um PM que considera que sem ele a governar Portugal não existe.
É realmente confrangedor verificar que uma pessoa, uma só pessoa, se considera insubstituível e acima do próprio partido e do próprio país.
Mas mais confrangedor ainda, é verificar que os militantes do PS acreditam nisso e o maior partido da oposição, por motivos mesquinhos, de jogos de poder e de sucessão, faça com que os portugueses considerem que este execrável e vaidoso personagem, continue a arrastar o país para a miséria.


De Está a chegar D.Sebastião Jasmim... a 28 de Fevereiro de 2011 às 17:39

Mais um corajoso candidato à liderança do PS.

«Mais PS
Portugal como desígnio de si próprio »
- Moção Política de Orientação Nacional do
camarada da Madeira JACINTO SERRÃO


De Associados q. NADA fazem. a 28 de Fevereiro de 2011 às 11:35
Parece que ''a coisa'' (partido e governação e país) não está bem...
mas, como em tudo, estas situações existem e mantêm-se por inércia dos ABÚLICOS e MANSOS associados ('militantes' e 'cidadãos') ... que deixam a ''casa'' ser gerida por outros e NADA FAZEM para MUDAR os ''GERENTES/ Administradores do condomínio''... sempre à espera que outros façam o trabalho por eles... e entretanto criticam, protestam, berram ... mas baixinho e sem sairem da cadeira.


De ! Manifes até à Revolução Partidária ! a 28 de Fevereiro de 2011 às 11:40
Os narizes dos portugas não sentem o ''cheiro a jasmim'' ... e de ''pólvora'' também não ... só o da ''Me......''


De Portugueses de 2ª e 3ª categoria. a 28 de Fevereiro de 2011 às 17:25
Portugueses arrojados ... e portugueses ....
Uma versão diferente que faz pensar...
...
Um jovem diplomata, em diálogo com um colega mais velho, revelava o seu inconformismo.
A situação económica do país era complexa, os índices nacionais de crescimento e bem-estar, se bem que em progressão, revelavam uma distância, ainda significativa, face aos dos nossos parceiros.

Olhando retrospectivamente, tudo parecia indicar que uma qualquer "sina" nos condenava a esta permanente "décalage".
E, contudo, olhando para o nosso passado, Portugal "partira" bem.

«- Francamente, senhor embaixador, devo confessar que não percebo o que correu mal na nossa história. Como é possível que nós, um povo que descende das gerações de portugueses que "deram novos mundos ao mundo", que criaram o Brasil, que viajaram pela África e pela Índia, que foram até ao Japão e a lugares bem mais longínquos,
que deixaram uma língua e traços de cultura que ainda hoje sobrevivem e são lembrados com admiração, como é possível que hoje sejamos o mais pobre país da Europa ocidental.»

O embaixador sorriu, benévolo e sábio, ao responder ao seu jovem colaborador:

«- Meu caro, você está muito enganado.
Nós não descendemos dessa gente aventureira, que teve a audácia e a coragem de partir pelo mundo, nas caravelas, que fez uma obra notável, de rasgo e ambição.

- Não descendemos? - reagiu, perplexo, o jovem diplomata
- Então de quem descendemos nós?

-Nós descendemos dos que ficaram por aqui... »


De Por a ''Dançar'' os ''boys dourados''... a 28 de Fevereiro de 2011 às 14:14
Já que ele nos dá música neoliberal... vamos obrigá-lo a dançar ... com os 'boys dourados'' do PS e PSD...

Dia 12 Março
Participa na MANIF. da Geração Enrascada.


De Regionaliz. com estes... NÃO a 1 de Março de 2011 às 11:02
Da Regionalização, Hoje...

O Primeiro-Ministro, José Sócrates, anunciou a retirada da regionalização da agenda política.
Quem sempre foi contra a regionalização, regozijou-se com a notícia e quem, de há muito, a defende, manifestou o seu desagrado.
Pela minha parte e por muito extraordinário que a mim própria me pareça, fiquei aliviada!...

Estranhamente, reitero-o!, porque sempre defendi a regionalização como modelo de proximidade governativa das populações e instrumento de aperfeiçoamento da eficácia do planeamento e da estratégia de desenvolvimento local e regional!

Porém, confesso-o!, agora que melhor percepciono a forma de gestão técnica, ideológica e política dos nossos "eleitos", por uma questão de "controle de danos" - se assim se pode dizer!- e pelo respeito que me merece o dinheiro dos contribuintes, penso que a sociedade portuguesa -ou melhor, a classe política portuguesa!- não merece e não está preparada para gerir a regionalização.

Porquê? Porque - estou certa!- a (in)cultura política, ideológica e técnico-científica da grande maioria dos protagonistas da democracia representativa mais não faria do que gastar milhões de euros na consolidação de estruturas institucionais (equipamentos e logística para si próprios e para a classe de "súbditos" de que iriam rodear-se!) e procedimentos administrativos que, em nome da regionalização, agravariam o défice das contas públicas, adiariam o desenvolvimento regional (que, pelos vistos, mais depressa chegará via União Europeia do que através da governação nacional!) e em nada (ou quase nada!) contribuiriam, de facto!, para o aumento da qualidade de vida das pessoas, prolongando os argumentos da "crise" e do enquadramento nacional e europeu do desemprego...

Por tudo isto, sinceramente!, muito gostaria de um dia voltar a apoiar e a exigir a regionalização... mas, neste momento, conhecendo a dinâmica dos poderes locais e centrais e as suas lógicas de recrutamento, gestão e decisão, considero mais útil ao interesse público o seu adiamento... infelizmente, claro!

http://anapaulafitas.blogspot.com/2011/02/da-regionalizacao-hoje.html#comments


De Ao menos isso a 1 de Março de 2011 às 16:12
Fonseca Ferreira assegurou ainda que "há sindicatos de voto" no partido e que não se combatem aumentando o tempo de militância necessário para eleger e ser eleito para os órgãos socialistas.

"Os sindicatos de voto estão estabelecidos por aqueles que estão lá há muitos anos e que sabem como são as coisas", defendeu em entrevista à Lusa.

O candidato assumiu ter reunido com as candidaturas de António Brotas e de Jacinto Serrão, num encontro onde foi conversada a eventual apresentação de uma candidatura comum ao cargo de presidente, garantindo que o nome de Medeiros Ferreira é apenas uma possibilidade, entre várias.


Comentar post

MARCADORES

administração pública

alternativas

ambiente

análise

austeridade

autarquias

banca

bancocracia

bancos

bangsters

capitalismo

cavaco silva

cidadania

classe média

comunicação social

corrupção

crime

crise

crise?

cultura

democracia

desemprego

desgoverno

desigualdade

direita

direitos

direitos humanos

ditadura

dívida

economia

educação

eleições

empresas

esquerda

estado

estado social

estado-capturado

euro

europa

exploração

fascismo

finança

fisco

globalização

governo

grécia

humor

impostos

interesses obscuros

internacional

jornalismo

justiça

legislação

legislativas

liberdade

lisboa

lobbies

manifestação

manipulação

medo

mercados

mfl

mídia

multinacionais

neoliberal

offshores

oligarquia

orçamento

parlamento

partido socialista

partidos

pobreza

poder

política

politica

políticos

portugal

precariedade

presidente da república

privados

privatização

privatizações

propaganda

ps

psd

público

saúde

segurança

sindicalismo

soberania

sociedade

sócrates

solidariedade

trabalhadores

trabalho

transnacionais

transparência

troika

união europeia

valores

todas as tags

ARQUIVO

Novembro 2019

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Online
RSS